Dois carros da polícia federal do Brasil em movimento 1
(Foto: Reprodução/PF)

A Polícia Federal (PF) cumpre nesta nesta quarta-feira (09) cinco mandados de busca e apreensão em Palmas, no Tocantins contra suspeitos de aplicarem um golpe de R$ 15 milhões através de oferta de investimentos em criptomoedas. Segundo informou o órgão, o suposto esquema fraudulento funcionava a partir de captação de recursos de terceiros.

A ação da PF, chamada de ‘Operação Cripta’, conta com pelo menos 24 agentes federais que foram nos endereços apontados nos mandados expedidos pela 4ª Vara Federal da Seção Judiciária do Estado do Tocantins. Os nomes dos investigados não foram informados na nota da PF.

Publicidade

De acordo com as investigações, que tiveram início a partir de denúncias de consumidores, os suspeitos de terem causado o prejuízo milionário prometiam a investidores rendimentos entre 5% e 30% do capital investido, “mas não possuíam autorização nem da Comissão de Valores Mobiliários (CVM), nem do Banco Central do Brasil (BCB) para realizarem as operações financeiras anunciadas”, disseram as autoridades.

“Tais operações não eram reveladas de maneira que os investidores não sabiam se as operações com criptoativos ocorriam de fato”, ressalta a PF.

Outro ponto é a maneira como os suspeitos se apresentavam e gastavam o dinheiro das supostas vítimas. “Os investigados teriam adquirido diversos bens de alto valor, ostentando boa condição financeira, tudo para conferir maior credibilidade ao suposto negócio”, descreve a PF.

Penas podem chegar a 20 anos de reclusão

Até o fechamento desta matéria não houve informação sobre prisão de algum suspeito. Contudo, com possíveis provas colhidas pelos agentes federais no dia de  hoje, os investigados poderão responder por vários crimes, segundo a PF.

Publicidade

Os crimes podem ser de indução de investidor em erro, de operação irregular de instituição financeira, de evasão de divisas e de lavagem de dinheiro. A PF ainda afirma que as penas para esses casos podem chegar a 20 anos de reclusão e multa.

O nome da operação, explica  PF, “remonta à etimologia da palavra ‘Cripta’, que significa ‘esconder-se’, referindo-se tanto aos ativos que se prometia adquirir (criptomoedas), quanto à sistemática do negócio proposto, cuja realidade era escondida dos investidores”.

Procurando uma corretora segura que não congele seus saques? No Mercado Bitcoin, você tem segurança e controle sobre seus ativos. Faça como nossos 3,8 milhões de clientes e abra já sua conta!

VOCÊ PODE GOSTAR
Arte digital mostra mãos operando um celular que projeta moedas

Como declarar tokens de utilidade no Imposto de Renda 2024?

Entenda como declarar os utility tokens, ativos que dão acesso a serviços específicos
Joe Biden posa para foto

Biden expulsa mineradora cripto chinesa de área próxima a base militar: “Risco de espionagem”

O governo afirma que a MineOne possui equipamentos especializados de origem estrangeira potencialmente capazes de facilitar atividades de vigilância e espionagem
Logo da ftx, dólares e bitcoin

Analistas preveem alta no mercado cripto com ressarcimento bilionário a clientes da FTX

A FTX deve cerca de US$ 11 bilhões a credores, mas a massa falida conseguiu levantar mais de US$ 14 bilhões
Moeda prateada da Chainlink com reflexo em um fundo roxo

Chainlink sobe 18% ao lançar projeto piloto em Wall Street com JP Morgan, BNY Mellon e DTCC

A DTCC anunciou que acaba de concluir um projeto piloto de tokenização com gigantes de Wall Street, como JP Morgan e BNY Mellon, aproveitando o CCIP da Chainlink