Imagem da matéria: Para o Lobo de Wall Street, uso de anfetaminas causou colapso da FTX: "Você pensa que é brilhante"
Jordan Belfort, o “lobo de Wall Street” (Foto: Shutterstock)

O investidor Jordan Belfort, que ficou conhecido por ter sua história contada pelo cineasta Martin Scorcese no filme “O Lobo de Wall Street”, tem sido uma voz ativa nas análises do mercado de criptomoedas. Em entrevista concedida esta semana ao canal de YouTube Newsmax, o Lobo afirmou que o uso de drogas pelos líderes da FTX foi decisivo no colapso da empresa.

Belfort tem experiência no ramo: usava e abusava de drogas lícitas e ilícitas, como cocaína e anfetaminas. Sam Bankman-Fried já havia dito abertamente que ele e sua equipe usavam remédios para aumentar o foco e concentração e trabalhar mais. Uma dessas pessoas era sua ex-namorada, Caroline Ellison, que era CEO da Alameda Research, braço de investimentos do grupo.

Publicidade

“A coisa sobre anfetaminas e cocaína é que você pensar que é muito mais inteligente quando está sob o efeito disso, mas você está longe disso. Porém, você realmente pensa que é brilhante. Então na cabeça dela, ela pensava que tinha esse brilho coletivo ao redor por conta de estar chapada de anfetaminas”, disse Belfort sobre Ellison.

O Lobo cumpriu 22 meses de prisão por fraudes no mercado de ações. Ele prevê uma pena infinitamente mais dura para SBF: “Eles aceitaram acordos, o que significa que estão dando um roteiro para o procurador dos EUA e o FBI agora. Esse cara não tem recursos. Ele não tem defesa. Ele vai se declarar culpado em algum momento e aceitar uma confissão. Ele não vai a julgamento e vai ser sentenciado. Meu palpite é algo em torno de 50 anos de prisão, talvez até mais.”

O Lobo e as criptomoedas

Em novembro, Jordan Belfort revelou que foi hackeado e perdeu o equivalente a US$ 300 mil em criptomoedas que mantinha na carteira MetaMask. As informações são de reportagem do portal Yahoo Finance.

Belfort foi questionado sobre como fica sua confiança no mercado de criptomoedas após a quebra da FTX. Foi então que revelou que não usa corretoras, mas que isso não impediu de levar um golpe: “Eu não tenho nada do meu dinheiro cripto em corretoras. Está tudo off chain.. Está em uma cold wallet, com uma Ledger. Perdi US$ 300 mil na MetaMask no último ano”.

Publicidade

Segundo o investidor, a indústria cripto é “muito muito dura” e é literalmente um “velho oeste”. Famoso personagem do mercado financeiro por ignorar as regras, Belfort mostra que a idade o tornou mais conservador: [O mercado cripto] está em um estado desesperador de necessidade de regulamentação . A SEC ou outro órgão precisa entrar e trazer um pouco de ordem para esse caos”.

Em dezembro, Belfort voltou a comentar sobre as criptomoedas em um vídeo publicado em seu canal no Youtube. Para ele, as únicas moedas que valem aposta no momento são as duas maiores do mercado, Bitcoin (BTC) e Ethereum (ETH).

Como será o mercado de criptomoedas em 2023? Clique aqui e descubra no relatório gratuito do time de Research do MB

VOCÊ PODE GOSTAR
Mão segurando celular com logo da Toncoin e no fundo ícones do Telegram

Rede TON do Telegram vai se conectar ao Ethereum via blockchain de segunda camada

Em meio ao boom dos jogos do Telegram, The Open Network está pronta para lançar uma camada 2 compatível com Ethereum em colaboração com a Polygon
J.D. Vance.

Quem é J.D. Vance? Vice de Trump que tem mais de US$ 100 mil em Bitcoin

O senador e autor de best-sellers J.D. Vance parece ter entrado no movimento republicano a favor das criptomoedas
Donald Trump posa para foto em evento político nos EUA

Trump cobrará R$ 5 milhões de quem quiser dividir mesa com ele em evento de Bitcoin

Uma foto com Trump também custará caro aos participantes, indo de R$ 330 mil a R$ 550 mil
Celular mostra logotipo da memecoin BONK

Memecoins da Solana Bonk e Billy disparam em meio à queda do mercado

Movimentos significativos foram feitos no mercado, transformando a BONK na maior memecoin de Solana e o Gigachad o maior vencedor semanal