Ilustração mostra mãos segurando moeda de bitcoin entre o polegar e o indicador
Shutterstock

Uma proposta importante para aumentar a funcionalidade do Bitcoin está circulando no Twitter — e, como de praxe, está gerando controvérsias entre os desenvolvedores.

As chamadas “Drivechains” — propostas por Paul Sztorc como BIP 300 e BIP 301 — criariam um mecanismo nativo de sidechain para o Bitcoin, permitindo que o BTC seja interligado em cadeias separadas de modo trustless.

Publicidade

As sidechains são protegidas por meio de mineração de fusão cega, o que permite que os mineradores existentes do Bitcoin garantam efetivamente outras blockchains sem precisar executar o software da sidechain.

Essas redes podem ser construídas com qualquer funcionalidade alternativa desejada pelos desenvolvedores, ao mesmo tempo em que herdam tanto a segurança quanto a criptomoeda nativa do Bitcoin.

“As sidechains são uma espécie de atualização ‘santo graal’ para o Bitcoin”, disse o especialista Paul Sztorcao Decrypt. “Obtemos todas as funcionalidades que poderíamos desejar e, ainda melhor, as funcionalidades são todas opcionais.”

Isso inclui privacidade, contratos inteligentes e tokens adicionais. No entanto, certos críticos não veem isso como algo positivo.

“Quanto mais leio sobre o BIP300, mais parece uma ótima maneira de introduzir enormes quantidades de exploração [no sentido de fraude], complexidade, risco e funcionalidades parecidas com ‘shitcoins‘ no código do Bitcoin”, twittou o popular entusiasta hodlonaut nesta semana.

Publicidade

Para contextualizar, entende-se por ‘shitcoin’ uma criptomoeda criada sem um fundamento ou projetada apenas para especulação ou isca para golpes.

Cautela com mudanças

Assim como muitos na comunidade, hodlonaut apoia uma postura de “extrema cautela em relação a mudanças” e desconfia das motivações de qualquer pessoa “fazendo política para alterar o Bitcoin”.

Muitos outros se opõem às drivechains, considerando-as uma desculpa disfarçada para introduzir shitcoins no Bitcoin, pois não estão completamente convencidos de que haverá muita utilidade além disso. Isso inclui o entusiasta fervoroso do Bitcoin e autor do livro “Bitcoin Standard” (O Padrão Bitcoin), Saifedean Ammous, que agora é conselheiro do presidente de El Salvador, Nayib Bukele.

No entanto, de acordo com Sztorc, o oposto é verdadeiro: o BIP300 se destaca de protocolos como Taro, Ordinals e Coloured Coins por não exigir um novo ativo. Em vez disso, eles podem ser usados estritamente para fins de BTC, como transações mais privadas e escalonáveis.

Publicidade

De certa forma, isso também está em consonância com o espírito do conservadorismo do Bitcoin: por meio de uma atualização, as drivechains poderiam permitir que o desenvolvimento futuro ocorresse em cima do Bitcoin, sem a necessidade de alterações na camada base.

“É o mesmo que a Lightning Network. Se você não executar um nó de drivechain, nem mesmo o verá”, disse Sztorc.

Não é uma solução perfeita, no entanto. Certos desenvolvedores são críticos em relação às drivechains por motivos técnicos, especialmente relacionados ao seu mecanismo de “peg-out”.

Como explicou Sztorc, os usuários devem “confiar que 51% da taxa de hash [do Bitcoin] não transmitirá um hash errôneo por 6 meses consecutivos” para desbloquear as funcionalidades da drivechain. “Se isso acontecer, as moedas da L2 [camada 2] serão perdidas.”

De acordo com o desenvolvedor do Bitcoin Core, Luke Dashjr, isso tornaria um possível ataque de 51% ao Bitcoin muito mais grave. Os mineradores não apenas poderiam conspirar para reverter a blockchain, mas também teriam ativamente o poder de roubar as moedas dos usuários.

Publicidade

“Com o atual estado de centralização da mineração, na minha opinião, seria bastante tolo enviar qualquer Bitcoin para uma drivechain”, escreveu Dashjr na semana passada. “Existem maneiras melhores de queimar bitcoins ou doar para os mineradores.”

No entanto, o desenvolvedor disse que permanece “neutro” em relação às drivechains como conceito, e que elas deveriam estar disponíveis para aqueles que as desejam se houver apoio suficiente da comunidade. No início deste mês, ele apresentou um rascunho de proposta no GitHub sobre como implementar potencialmente sidechains.

Embora reconhecendo o risco, Sztorc considera esse vetor de ataque “mais fácil falar do que fazer”, uma vez que qualquer comportamento malicioso de mineradores seria “altamente auditável” e precisaria ser mantido “bloco após bloco por 6 meses consecutivos”.

Prós e contras

Sztorc afirmou que os mineradores devem ser incentivados a manter as drivechains em funcionamento, já que eles as exploram por meio das taxas. Teoricamente, se essa ideia se mostrar incorreta, então o próprio Bitcoin também pode estar condenado.

“O design de Satoshi [Nakamoto] assume que, a longo prazo, as taxas por si só serão suficientemente atrativas para compelir o avanço de uma blockchain valiosa”, ele disse. “Portanto, ou as taxas são um impedimento eficaz, ou não são.”

Tony Cai, CEO da Atomic Finance, também está interessado em como as drivechains podem promover a inovação baseada no Bitcoin, mas tem várias preocupações de segurança e econômicas.

Publicidade

Por exemplo, o MEV (sigla em inglês para Valor Máximo Extraível) poderia rapidamente complicar a economia e os incentivos do Bitcoin se os mineradores se sentissem priorizados para processar transações de drivechain em vez das transações na rede principal.

“Se uma drivechain fosse comprometida, poderia manchar a confiança geral no ecossistema do Bitcoin”, acrescentou em uma mensagem ao Decrypt. “Provavelmente devemos agir com cuidado.”

Por outro lado, Sztorc não se preocupa muito com as drivechains de alguma forma corrompendo os “incentivos dos mineradores”. Como ele destacou, o Bitcoin já resistiu a várias mudanças que afetaram sua economia de mineração, incluindo a queima de gás natural, acordos de recompra de eletricidade, mineração combinada com o Namecoin e muito mais.

“Os incentivos de mineração são os mesmos de sempre: seguir as regras dos nós completos, fazer o máximo de hash possível, maximizar as receitas e minimizar os custos”, disse ele.

No final das contas, Sztorc acredita que trazer novas funcionalidades para o Bitcoin por meio das drivechains pode ser a chave para garantir sua vitória sobre todas as outras moedas. Caso contrário, o risco de uma altcoin com melhores funcionalidades e propriedades monetárias eventualmente ultrapassar o Bitcoin ainda é uma possibilidade real.

“Com as sidechains do BIP300, até essa possibilidade remota é eliminada”, ele disse. “Portanto, a vitória do Bitcoin (sobre as altcoins e o dinheiro fiduciário) é praticamente certa nesse ponto.”

*Traduzido e editado com autorização do Decrypt.

VOCÊ PODE GOSTAR
Imagem da matéria: Bitcoin cai mas analistas ainda acreditam que preço vai chegar a US$ 150 mil este ano

Bitcoin cai mas analistas ainda acreditam que preço vai chegar a US$ 150 mil este ano

A AllianceBernstein concorda com os analistas do Standard Chartered e acredita que o preço do BTC mais que dobrará nos próximos 18 meses
Imagem da matéria: Bitcoin entra em onda de alta e atinge o seu maior preço desde o halving

Bitcoin entra em onda de alta e atinge o seu maior preço desde o halving

Dados do CoinGecko mostram que o Bitcoin subiu cerca de 3% no último dia e no período de uma semana valorizou em 9%
Criador do Twitter e da Square, Jack Dorsey em palestra no TED

Preço do Bitcoin atingirá US$ 1 milhão até 2030, diz Jack Dorsey

Em uma entrevista recente, o cofundador do Twitter e da Block argumentou que o Bitcoin poderia atingir US$ 1 milhão e ir “além” no futuro
trader segura moeda de bitcoin em frente a grafico em computador

Bolsa de Chicago planeja lançar negociação de Bitcoin à vista, diz jornal

O objetivo é capitalizar a crescente demanda este ano entre os gestores de Wall Street para ganhar exposição ao setor de criptomoedas