Imagem da matéria: O misterioso perfil do Twitter que vem revelando o esquema de corrupção do criador da LUNA
Foto: Shutterstock

O que não faltou durante o recente colapso do ecossistema Terra foram críticos cobrando explicações da Terraform Labs e de seu CEO, Do Kwon. Nesse meio, um personagem se destacou mais do que qualquer outro: o usuário do Twitter @FatManTerra.

Ninguém saber quem é a pessoa — ou grupo de pessoas — por trás do pseudônimo. Talvez o anonimato tenha até o ajudado a construir seu perfil de misterioso justiceiro, um altruísta a serviço do interesse comum da comunidade que já conta com mais de 60 mil seguidores.

Publicidade

FatMan fez muitas acusações graves no Twitter. Ele disse, por exemplo, que Do Kwon e sua empresa Terraform Labs, desviaram centenas de milhões de dólares “diretamente da capitalização de mercado da LUNA” nos últimos anos para “pagar salários de funcionários e despesas operacionais do Terra”.

Todas as acusações, diz, são baseadas em informações obtidas com delatores que trabalham dentro das empresas envolvidas e que não querem ter suas identidades reveladas.

Para proteger suas supostas fontes, o usuário misterioso se esquiva do dever de fornecer provas, algo que faz com que muitos duvidem da veracidade de suas publicações.

De qualquer forma, o sucesso do personagem cresceu com o fracasso da Luna: a cada acusação que FatMan fazia no Twitter, seu número de seguidores aumentava. Pessoas importantes do setor cripto passaram a repercutir tudo que saia na sua conta no Twitter que hoje acumula 62,9 mil seguidores —  até mesmo a Terraform Labs o segue.

Publicidade

Quem é FatMan?

Pouco se sabe sobre a identidade de FatMan e, apesar da legião de apoiadores, não faz muito tempo que ele é uma voz ativa na comunidade Terra. A conta do Twitter foi criada em maio deste ano. 

Também foi em 11 de maio que ele lançou seu perfil no Terra Research Forum, espaço que concentra as principais discussões do ecossistema.

Ele criou a conta no fórum no dia que publicou uma proposta de reembolso para os usuários que tinham a stablecoin algorítmica UST na carteira e que foram afetados quando a moeda foi a zero.

Seu plano era que a Terraform Labs usasse os fundos da Luna Foundation Guard (LFG) para fazer um reembolso escalonado no qual todos os detentores de UST receberiam quantias equivalentes de USDC, priorizando as carteiras pequenas.

Publicidade

Embora a proposta não tenha ido para votação, recebeu o apoio indireto de algumas pessoas importantes no meio cripto, como o criador do Ethereum, Vitalik Buterin

“Apoio fortemente isso. Simpatia e alívio coordenados para o pequeno detentor de UST que foi influenciado por algo estúpido como ‘taxas de juros de 20%’ por um influenciador”, tuitou Buterin.

A proposta, que não seguiu adiante, foi um incentivo para que pessoas começassem a se importar com o que FatMan tinha a dizer, mas foram suas denúncias que o tornaram famoso.

As acusações de FatMan

Poucos dias depois de surgir no Twitter, FatMan passou a publicar longas threads recheadas de denúncias sobre atividades suspeitas de Do Kwon e da Terraform Labs (TFL).

De acordo com ele, todos os meses, a TFL desviava dezenas de milhões de dólares diretamente do valor de mercado do LUNA, ou seja, um dinheiro que “saia dos bolsos dos detentores de LUNA & UST”, para pagar os salários e despesas operacionais da empresa. 

Publicidade

Ele afirma que, no auge, os 70 funcionários da TFL recebiam US$ 180 milhões por mês, fruto desse dinheiro da comunidade. “A verdadeira questão é: quanto desse dinheiro foi direto para o bolso do funcionário mais bem pago do Terra (você-sabe-quem)”, escreveu FatMan, se referindo a Do Kwon.

O crítico também acusou o empresário sul-coreano de pagar dezenas de pequenos sites de notícias para publicar artigos dizendo que seu patrimônio líquido não passava de US$ 10 milhões, como uma tentativa de parecer menos rico do que realmente é.

Na sequência, FatMan acusou Kwon de usar o protocolo descentralizado Mirror para lucrar com o ecossistema Terra e beneficiar a si e aos comparsas na Jump Crypto.

Ele afirmou que a Terraform Labs pagava US$ 1 milhão por mês para a Jump como recompensa pela empresa ter supostamente “salvado” o Terra em maio de 2021. 

O FatMan também acusou a Jump de manipular o mercado e fazer investidores do varejo perderem bilhões em UST e LUNA. Ele insinuou que o CEO da Jump, Kanav Kariya, servia aos interesses de outra pessoa cuja identidade ele havia descoberto, mas se absteve de divulgar na ocasião.

Embora não apresentasse provas na maioria das denúncias, os tuítes de FatMan ganharam uma grande repercussão. O CEO da Binance, CZ, falou sobre os tuítes de FatMan em entrevista à Fortune na segunda-feira (30), e disse que pediu à equipe especializada da Binance investigar as denúncias publicadas pelo usuário.

Publicidade

“Eu vi as threads do FatMan no Twitter, o que é bastante interessante. Não tenho certeza de quanto disso é verdadeiro ou falso”, disse, acrescentando que entre todas as pessoas e empresas expostas, ele e a Binance “com sorte” não estavam lá. 

Um dia depois da publicação, FatMan escreveu que a Binance US tem medidas de segurança “fracas”, entre outras alegações. Procurado pelo veículo, CZ não quis comentar os novos tuítes de FatMan.

Entre fãs e haters

Embora muitos duvidem da veracidade das informações que FatMan posta no Twitter pela falta de provas, muitos o admiram. “Seus pontos são baseados em fatos e razoáveis. Obrigado por dar voz à razão, mesmo se perdermos”, escreveu @CryptoKarlFog. Já o usuário @AzoyaLabs disse estar “amando seu trabalho e seu compromisso com a comunidade”.

Mas nem todos estão do seu lado. No principal fórum do Terra, a publicação “Quem é FatMan?” conta com poucos comentários a seu favor. Mais do que elogios, a comunidade ativa do Terra tenta descobrir sua identidade, e como alguém que acabou de chegar no meio já tem tantos contatos importantes.  

Alguns suspeitam que quem está por trás do perfil de FatMan é um grupo de pessoas, já que frequentemente alternam entre as grafias das palavras britânicas e americanas. Muitos também acreditam que há uma “equipe de inteligência” por trás da conta.

Outros até mesmo arriscam palpites do local onde FatMan está baseado. “Considerando que ele vai dormir por volta das 10-11 da manhã, horário europeu, ele provavelmente está no Hemisfério Ocidental (EUA, Canadá, Ilhas Cayman?)”, sugere um usuário do fórum.

Talvez o comentário do usuário “Fanatec1” no fórum principal da rede Terra resuma a percepção de muitos aliados de Do Kwon sobre o FatMan:

“FatMan é um cara que perdeu alguns UST antes/depois do acidente. Sua falsa proposta deu alguma esperança aos detentores. Agora eles consideram todos os seus comentários “divinos” por algum motivo, como se ele merecesse aplausos até se peidasse. É isso. FatMan é na verdade um homem gordo em algum lugar do mundo, sentado em um porão, agindo todo presunçoso e aproveitando seus 15 minutos de fama”.

No Twitter, o FatMan compartilhou mensagens de apoio que recebeu, como a de um ex-jornalista que lhe escreveu: “Parabéns pelas informações que você está revelando e pelo seu compromisso em proteger suas fontes. Você receberá muitas críticas de pessoas próximas a Do Kwon. Eles pedirão provas e virão até você com ataques ad hominem [crítica ao autor e não ao seu conteúdo]. Fique forte e não se preocupe”.  

O Portal do Bitcoin tentou entrar em contato com FatMan, mas até o fechamento desta matéria não teve resposta.

 

VOCÊ PODE GOSTAR
Imagem da matéria: Ex-conselheiro do Ethereum quer R$ 50 bilhões do governo dos EUA por ser preso injustamente

Ex-conselheiro do Ethereum quer R$ 50 bilhões do governo dos EUA por ser preso injustamente

Steven Nerayoff alega ter sido vítima de provas fabricadas em um suposto caso de extorsão de 10.000 ETH
Imagem da matéria: Hackers invadem prefeitura, roubam R$ 6 milhões da Caixa e convertem fundos em criptomoedas

Hackers invadem prefeitura, roubam R$ 6 milhões da Caixa e convertem fundos em criptomoedas

PF faz operação nesta manhã contra grupo que sacou dinheiro da Caixa após invadir o sistema GovConta da prefeitura de Telêmaco Borba (PR)
Ilustração de correntes ilustradas com pequenos zeros e uns

Degen Chain: a rede de camada 3 que está chamando atenção com a febre das memecoins

Novidade no mercado, a Degen foi construída na Base, uma rede de camada 2 do Ethereum, e já tem tido uma forte alta no número de transações
Imagem da matéria: EUA não têm autoridade para processar trades DeFi, diz advogado do hacker da Mango Markets

EUA não têm autoridade para processar trades DeFi, diz advogado do hacker da Mango Markets

Avraham Eisenberg é o trader cripto acusado de drenar mais de US$ 100 milhões da plataforma de negociação Mango Markets