Imagem da matéria: "O Bitcoin tornou a nossa moeda inútil ou sem valor", diz senador da Nigéria
Senador da Nigéria Sani Musa (Foto: divulgação)

A discussão sobre as criptomoedas chegou ao Senado da Nigéria nesta quinta-feira (11), de acordo com o perfil oficial da Casa no Twitter. Após o Banco Central do país banir as instituições financeiras de processarem transações com criptoativos, o governo está tentando regulamentar a questão de forma definitiva.

Não será uma tarefa fácil, de acordo com o que acredita o senador Sani Musa: “As criptomoedas se tornaram um meio de transferências global, no qual você não consegue identificar quem possui o quê. A tecnologia está tão forte que eu não vejo como nós podemos regulamentá-la. O Bitcoin tornou a nossa moeda quase inútil ou sem valor”.

Publicidade

O senador Biodun Olujimi aponta para um caminho mais favorável a criptomoedas: “O que nós podemos fazer é assegurar que as pessoas erradas não as utilizem. Esse tema é muito importante para nós. Chegou o momento de harmonizar todas as questões que envolvem as criptomoedas”, disse o senador.

A partir das discussões, o Senado resolveu que a Comissão sobre Assuntos Financeiros e Crimes Cibernéticos vai convidar o presidente do Banco Central da Nigéria (BCN) para uma discussão sobre o assunto.

No encontro, devem ser discutidas as oportunidades e riscos que envolvem as criptomoedas, em relação à economia daquela nação. Essa Comissão vai apresentar um relatório oficial em algumas semanas, de acordo com o Senado.

Na semana passada, o Banco Central da Nigéria emitiu um comunicado aos bancos e demais instituições do setor. No documento, elas foram informadas que deveriam banir qualquer transação com criptomoedas das suas plataformas. As instituições também estão obrigadas a excluir as contas dos usuários de criptomoedas, de acordo com o BCN.

Publicidade

Nigéria recorre ao Bitcoin em meio a crise econômica

A população da Nigéria é uma das maiores adeptas do Bitcoin em todo o mundo. Em 2020, com o agravamento da crise econômica, a criptomoeda se tornou uma alternativa do povo para contornar o uso da Naira, que é a moeda oficial do país.

Além disso, um protesto conhecido como “End Sars” (acabem com a Sars, em inglês) tomou o país no final do ano passado. Nas manifestações, os jovens nigerianos pediram o fim da Sars, que é uma divisão especial da polícia nigeriana contra os roubos. Os protestantes acusam a Sars de agir de forma truculenta nas suas operações.

Agora, as discussões políticas sobre o tema podem culminar numa regulamentação definitiva sobre as criptomoedas. Contudo, é difícil proibir completamente as transações, já que os criptoativos podem ser enviados de pessoa a pessoa, sem a necessidade de intermediários.

Talvez você queira ler
Imagem da matéria: Manhã Cripto: Juiz proíbe ex-CEO da Binance de deixar os EUA; Investidores da FTX processam F1 e liga de beisebol 

Manhã Cripto: Juiz proíbe ex-CEO da Binance de deixar os EUA; Investidores da FTX processam F1 e liga de beisebol 

O fundador da Binance deverá permanecer em território americano até que o tribunal de Seattle avalie se ele poderá retornar aos Emirados Árabes
Smartphone mostra logotipo da Receita Federal; ao fundo, um leão

Contadora pioneira do mercado de criptomoedas vai revelar segredos da profissão em série de eventos

Objetivo é  proporcionar a contadores e profissionais da área insights exclusivos que transcendem relatórios tradicionais
CEO interina da OpenAI, Mira Murati, posa para foto

Quem é Mira Murati? A sucessora de Sam Altman na gigante de inteligência artificial OpenAI

Embora a ex-diretora técnica esteja aberta à regulamentação de produtos de IA, ela também rejeitou pedidos para desacelerar o ritmo de desenvolvimento da OpenAI
Imagem da matéria: Justiça exige que Atlas Quantum devolva R$ 1,6 milhão em Bitcoin para cliente lesado; entenda

Justiça exige que Atlas Quantum devolva R$ 1,6 milhão em Bitcoin para cliente lesado; entenda

Decisão da justiça determina o pagamento de mais de 9 bitcoins, mas ressarcimento ainda está longe de acontecer