Imagem da matéria: Nigéria proíbe instituições financeiras de processar transações com bitcoin
Foto: Shutterstock

O Banco Central da Nigéria emitiu uma diretiva às instituições financeiras do país, nesta sexta-feira (5), na qual proíbe o processamento de transações de Bitcoin (BTC) e outras criptomoedas, de acordo com o portal de notícias local Peoples Gazette.

No documento, o banco orienta as instituições a identificar e fechar as contas dos clientes que estiverem comprando, vendendo ou armazenando criptomoedas. O descumprimento dessas regras pode resultar em sanções severas, conforme mostra a publicação do perfil Documenting Bitcoin no Twitter.

Publicidade
Carta emitida pelo Banco Central da Nigéria

É provável que a determinação afete o mercado de criptomoedas nigeriano. A Nigéria é o segundo país no mundo com o maior volume de negociações diretas (p2p) de criptomoedas, de acordo com uma pesquisa realizada pela corretora Paxful. Assim, há anos, o país tem se colocado como um dos principais expoentes da utilização em massa do Bitcoin.

O Bitcoin e as outras criptomoedas são populares na Nigéria devido ao estado econômico precário enfrentado pelo país. Em 2020, o país entrou em recessão econômica pela segunda vez em cinco anos.

Movimento anti-brutalidade policial pode ter contribuído para o banimento

O governo da Nigéria enfrenta o movimento “end SARS” (acabem com a SARS, em inglês) desde outubro de 2020. A SARS é uma divisão especial da polícia nigeriana responsável por atuar contra os roubos. No entanto, ela recebe várias críticas por supostas práticas de brutalidade nas suas operações.

No Twitter, a hashtag #endSARS é popular entre os jovens nigerianos e fez a causa local ficar conhecida internacionalmente durante os últimos meses. Muitas vezes, essa hashtag é associada ao Bitcoin, que é utilizado para custear os protestos, de acordo com a publicação Quartz Africa.

Publicidade

Nessa linha, a publicação Pulse Nigeria acaba de abrir uma enquete no Twitter. “O banimento das criptomoedas pelo Banco Central tem a ver com a maneira como os jovens nigerianos levantaram fundos em Bitcoin para os protestos do #endSARS, no último outubro?

A proibição das criptomoedas na Nigéria, portanto, está provavelmente ligada a dois fatores: em primeiro lugar, à tentativa do governo de impulsionar a moeda local e evitar o uso de ativos alternativos. Além disso, o banimento limita as possibilidades de financiamento dos protestos contra as autoridades nigerianas.

VOCÊ PODE GOSTAR
tornado cash 1

Desenvolvedor do Tornado Cash é condenado a 5 anos de prisão por lavagem de dinheiro

“O Tornado Cash, em sua natureza e funcionamento, é uma ferramenta destinada a criminosos”, disse um dos juízes ao condenar Alexey Pertsev
Donald Trump ex-presidente dos EUA

Donald Trump recebe compradores de seus NFTs em jantar de luxo

O ex-presidente resolveu aproveitar o dia de folga do Tribunal de Nova York para receber os apoiadores no resort de luxo Mar-a-Lago
Senado, Congresso, Câmara dos Deputados, Brasília, Parlamento

Projeto de Lei quer proibir uso de criptomoedas fruto de crimes durante processo penal

Deputado autor do PL afirma que em muitos casos, mesmo durante a investigação, acusados continuam a movimentar recursos do crime
Imagem da matéria: Hacker se arrepende e planeja devolver R$ 365 milhões roubados de investidor de Bitcoin

Hacker se arrepende e planeja devolver R$ 365 milhões roubados de investidor de Bitcoin

O autor de um golpe de “envenenamento de endereço” parece estar pensando duas vezes depois de roubar US$ 71 milhões de um grande investidor