Círculo formado por criptomoedas com bitcoin no centro
Foto: Shutterstock

O Ministério Público Federal lançou na última terça-feira (31) um edital de licitação para a contratação de um serviço de rastreio de transações com criptomoedas, com uma proposta de pagar até R$ 6,4 milhões pelo programa.

A sessão para a licitação está marcada para dia 20 de novembro, às 11h e será vencedora a proposta que seguir os critérios técnicos do processo e apresentar o menor preço pelo serviço.

Publicidade

O edital ainda prevê que o sistema funcione 24 horas por dia, 7 dias por semana e permita a “identificação, monitoramento, rastreamento, pesquisa e análise de transações eletrônicas realizadas com as principais criptomoedas”, citando Bitcoin (BTC), Ethereum (ETH), Binance Coin (BNB), Tether (USDT), XRP, Bitcoin Cash (BCH), Litecoin (LTC), Chainlink (LINK), Wrapped Bitcoin (WBTC) e Polygon (MATIC).

Além disso, o sistema contratado deverá ser constantemente atualizado para incluir novas criptomoedas e deverá permitir o rastreamento das operações em tempo real. Nesse caso, a licitação pede que o produto permita o rastreio da operação em si, da exchange que realizou, dos endereços que participaram, valores, entre outras coisas.

As regras do edital

O MPF ainda não deixou claro detalhes do que pretende fazer com esse sistema que está contratando e o texto do edital define apenas que dois itens serão contratados:

  • Subscrição de sistema para identificação, monitoramento, rastreamento, pesquisa e análise de transações eletrônicas com uso de criptomoedas;
  • Treinamento para uso de sistema para identificação, monitoramento, rastreamento, pesquisa e análise de transações eletrônicas com criptomoedas.

Para cada um desses itens, o edital prevê a contratação de 10 unidades, sendo o valor unitário de R$ 641.040 pelo sistema em si e R$ 3.995 pelo treinamento, totalizando R$ 6.450.350 previstos na licitação — valor esse que pode ser menor caso a proposta vencedora ofereça um custo mais baixo.

Publicidade

Pelo cronograma, o serviço deverá ser testado em até 60 dias após a assinatura do contrato, e logo em seguida entrará em funcionamento pelo prazo de três anos, podendo ser prorrogado sucessivamente por até 10 anos.

Vale ressaltar que qualquer compra que órgãos governamentais façam é preciso realizar um processo de licitação, uma espécie de leilão em que as empresas se cadastram para oferecerem o bem ou serviço necessário. É por meio desse tipo de processo que o governo tenta obter o produto de melhor qualidade pelo melhor preço.

VOCÊ PODE GOSTAR
Imagem da matéria: Transfero se une à Fuse Capital e lança joint venture para modernizar mercado financeiro com blockchain

Transfero se une à Fuse Capital e lança joint venture para modernizar mercado financeiro com blockchain

BRX Finance busca aproveitar as potencialidades da blockchain para criar uma infraestrutura financeira mais eficiente, acessível e transparente para todos os brasileiros
Imagem da matéria: EUA não têm autoridade para processar trades DeFi, diz advogado do hacker da Mango Markets

EUA não têm autoridade para processar trades DeFi, diz advogado do hacker da Mango Markets

Avraham Eisenberg é o trader cripto acusado de drenar mais de US$ 100 milhões da plataforma de negociação Mango Markets
graficos vermelhos em queda

Investidores sacam R$ 1 bilhão de projeto DeFi da Solana após renúncia de CEO

O fundador da Marginfi anunciou sua renúncia em meio a um turbilhão de controvérsia e desentendimento operacional
Ilustração de correntes ilustradas com pequenos zeros e uns

Degen Chain: a rede de camada 3 que está chamando atenção com a febre das memecoins

Novidade no mercado, a Degen foi construída na Base, uma rede de camada 2 do Ethereum, e já tem tido uma forte alta no número de transações