Botão com "play" e duas mãos fazendo o enquadramento
Fonte.Shutterstock

Com o objetivo de democratizar o acesso aos investimentos, a empresa de streaming especializada em investimentos Monett anuncia sua primeira parceria com uma corretora de criptomoedas, o Mercado Bitcoin. A partir de agora, os clientes do serviço terão acesso direto para negociar criptos pela plataforma. A associação vem em momento oportuno para investimentos em ativos digitais que, segundo especialistas, estão prontos para uma retomada.

“Os criptoativos estão, em sua maioria, em sobrevenda em gráficos de análises e os indicadores apontam que a força vendedora vem minguando fortemente. Após nove semanas em queda, o mercado cripto dá sinais de reversão”, comenta Helena Margarido, sócia e analista de criptomoedas da Monett.

Publicidade

Para a Monett, a parceria é muito significativa e marca o início de uma nova fase em que o streaming irá plugar uma série de corretoras de ações e ativos digitais para negociação direta no aplicativo .

“O nosso objetivo é ser uma plataforma one stop shop, com produtos de várias corretoras. Em 12 meses vamos ter mais de 15 corretoras disponíveis para nossos clientes realizarem operações diretas”, diz Olivia Alonso, CEO da Monett. “Iniciamos com criptomoedas pois enxergamos uma demanda muito grande analisando nossos dados internos. Entendemos também que este é um momento excelente para olhar para as criptomoedas ”, completa.

Longa data

O relacionamento da Monett com o Mercado Bitcoin é de longa data. O streaming produziu uma série sobre unicórnios em que um dos episódios retrata o MB, que agora torna-se a primeira exchange cripto a integrar a plataforma. “Essa parceria é parte de um processo de democratização do acesso à nova economia digital. Nosso propósito é sempre agregar valor e facilitar a vida dos clientes”, enfatiza Reinaldo Rabelo, CEO do Mercado Bitcoin.

Neste primeiro mês de funcionamento, os assinantes que negociarem a partir de R$ 1 mil em criptomoedas pelo aplicativo da Monett ganharão cashback na moeda digital Chainlink. Além disso, para assinar o serviço de streaming durante o primeiro mês da parceria todos terão 30% de desconto.

Publicidade

Helena justifica a escolha pelo cashback em Chainlink, que faz parte de sua principal carteira recomendada, explicando que o ativo utiliza uma tecnologia altamente revolucionária. “A Chainlink é uma das minhas grandes teses de valorização no mercado de criptoativos. Eu acredito que o valor de mercado dela está extremamente descontado e por isso tem muito potencial de valorização.”

VOCÊ PODE GOSTAR
simbolo do dolar formado em numeros

Faculdade de Direito da USP recebe evento da CVM sobre democratização dos mercados de capitais

Centro de Regulação e Inovação Aplicada (CRIA) da CVM vai a “Tecnologia e Democratização dos Mercados de Capitais no Brasil” com transmissão ao vivo no Youtube
Bitcoin e grafico de mercado

Traders de Bitcoin miram US$ 74 mil já na próxima semana com nova onda de fluxo positivo para ETFs

Com ETFs registrando quatro dias seguidos de entradas e dados de inflação nos EUA abaixo do esperado, o Bitcoin já começou a retomar a alta e superou os US$ 66 mil
Imagem da matéria: Propina paga a Eduardo Requião foi usada para investir na pirâmide financeira do "Rei do Bitcoin"

Propina paga a Eduardo Requião foi usada para investir na pirâmide financeira do “Rei do Bitcoin”

Nova operação da Polícia Federal visando fraudes no portos do Paraná revelou uma curiosa ligação entre o irmão do Roberto Requião e um dos maiores piramideiros do Brasil
Imagem da matéria: FTX prometeu devolver 118% dos fundos dos clientes; o que acontece agora?

FTX prometeu devolver 118% dos fundos dos clientes; o que acontece agora?

Segundo os balanços, a FTX deve cerca de US$ 11 bilhões, e conseguiu levantar entre US$ 14,5 e US$ 16,3 bilhões até agora