Imagem da matéria: Manhã cripto: Mercado em alta, Dogecoin nos braços de Musk e a nova tentativa do Senado com a lei das criptomoedas
Foto: Shutterstock

O mercado de criptomoedas ensaia uma recuperação nesta terça-feira (26) puxada pela Dogecoin, com a aposta de que o token ganhe ainda mais espaço com o Twitter nas mãos de Elon Musk. O Bitcoin sobe 5,3% nas últimas 24 horas, para US$ 40.615,07, segundo dados do CoinGecko. O Ethereum avança 6,5%, cotado a US$ 3.003,77.  

No Brasil, o Bitcoin ganha 6%, negociado a R$ 197.686,22, segundo o Índice do Portal do Bitcoin (IPB).  

Publicidade

As criptomoedas tiveram uma sessão volátil na segunda-feira, sob o peso de incertezas devido à pandemia de Covid na China, guerra entre Rússia e Ucrânia e cenário de juros mais altos nos Estados Unidos. O Bitcoin chegou a cair para o menor nível em seis semanas, atingindo a marca de US$ 38.200, mas voltou a ser negociado acima dos US$ 40.000. 

O impulso veio em linha com os ganhos das ações de tecnologia após a confirmação da compra do Twitter por Elon Musk, cofundador e CEO da Tesla, por US$ 44 bilhões. André Franco, analista do Mercado Bitcoin, destacou em entrevista ao Money Times que o mercado cripto ainda tem uma correlação positiva com o índice Nasdaq. 

E agora, Twitter? 

Dogecoin dispara 30% nas últimas 24 horas. Musk, o homem mais rico do mundo, é um dos defensores da criptomoeda-piada, e algumas propostas indicam a possibilidade de que o Twitter passe a usar o token como cripto oficial da plataforma. 

Musk ainda não forneceu detalhes sobre os planos para o Twitter. Análise do colunista Timothy L. O’Brien, da Bloomberg, destaca que não se sabe se a proeza do executivo no comando da montadora de veículos elétricos funcionará à frente de uma empresa de mídia em uma era digital desafiadora, com anúncios em queda, dificuldade para encontrar novos canais e aumentar a receita com assinaturas. 

Jack Dorsey, cofundador do Twitter, disse em tuíte que, em princípio, ninguém deveria ser dono da rede social, mas apoia a compra: “Elon é a única solução na qual confio”. Para Dorsey, o Twitter estava nas mãos de Wall Street e fechar o capital da empresa é um “passo correto”.  

Publicidade

Aposta em altcoins 

As principais altcoins também se beneficiam da maior confiança de investidores e avançam nesta terça-feira, com ganhos para Binance Coin (4,6%), XRP (4,8%), Solana (6%), Terra (8,2%), Cardano (6,3%), Polkadot (3,9%) e Avalanche (6,6%), mostram dados do CoinGecko.   

Shiba Inu tem alta de 7% com o lançamento de um mecanismo de “queima”, criado para diminuir a oferta em circulação do token enquanto recompensa “holders” com uma moeda digital que gera rendimentos. 

Investidores de fundos relacionados a criptomoedas seguem apostando em altcoins, com destaque para Avalanche, Solana, Terra e Algor, segundo relatório da CoinShares. Ainda assim, produtos de investimento em ativos digitais registraram saídas de US$ 7,2 milhões na semana encerrada em 22 de abril. 

Análise do UBS com cerca de 160 produtos mostra que fundos de índice relacionados a criptomoedas devem registrar saídas recordes em abril. Investidores já retiraram mais de US$ 417 milhões desses ETFs no acumulado do mês. 

Publicidade

Além disso, relatório da Glassnode aponta que decrescentes volumes de negociação e um menor número total de contratos em aberto sejam um sintoma de capital saindo de derivativos de bitcoin e buscando oportunidades de alto retorno e risco possivelmente mais baixo. 

Outros destaques 

A Hashdex recebeu aprovação para listar produtos negociados em bolsa (ETPs) na SIX, da Suíça, parte dos planos de expansão da gestora brasileira de criptomoedas na Europa, conforme o CoinDesk. 

A Fidelity Investments permitirá que os investidores nos EUA coloquem bitcoin em seus planos de aposentadoria 401(k) ainda este ano, segundo informações do Wall Street Journal e do New York Times divulgadas nesta terça-feira (26). Os planos 401(k) são oferecidos pelos empregadores, que poderiam estipular um teto de 20% para a quantia destinada a bitcoins. 

A Binance movimentou cerca de US$ 490 bilhões no total do mercado à vista em março, um aumento de 15,7% na comparação mensal. Com isso, a participação da corretora de criptomoedas subiu para 30,2%, um pouco abaixo da fatia recorde de 33,7% em novembro de 2021, de acordo com relatório da CryptoCompare. A Binance foi seguida pela Coinbase e OKX, com participações de 5% e 4,7% em março, respectivamente. 

Regulação, Cibersegurança e CBDCs  

Wall Street espera uma maior definição do marco regulatório e compliance interna para avançar com maior velocidade no mundo cripto, aponta artigo da Bloomberg. Michael Moro, CEO da corretora de moedas digitais Genesis, diz que o mercado de criptoativos tende a caminhar mais rápido que os bancos. 

Publicidade

No Brasil, investidores ainda estão na expectativa da votação do projeto de lei que regulamenta os criptoativos. A votação do PL foi adiada na semana passada em razão da prioridade para a medida provisória do “Programa Universidade para Todos”, mas fontes do mercado acreditam que o projeto tem chance de ser votado nesta terça-feira (26) no plenário do Senado. 

Nesse contexto de maior regulação, a indústria de criptomoedas está intensificando esforços para reforçar a equipe de advogados, de acordo com o Wall Street Journal

No âmbito da União Europeia, Fabio Panetta, membro do conselho executivo do Banco Central Europeu, defendeu novos padrões globais para regular os criptoativos e também indicou que estes poderiam enfrentar uma carga tributária mais pesada devido ao alto consumo de energia para mineração, segundo o CoinDesk

E por falar em mineração de criptomoedas, congressistas de Nova York avançaram um projeto de lei que visa estabelecer uma moratória de dois anos para algumas operações no estado com prova de trabalho, o mecanismo de consenso usado pela rede Bitcoin. 

Ainda nos EUA, o Departamento de Justiça anunciou na segunda-feira (25) o indiciamento de dois europeus por supostamente conspirar com um pesquisador americano recentemente condenado por ajudar a Coreia do Norte a contornar as sanções do governo americano, conforme a Reuters

Metaverso, Games e NFTs 

Embora o mercado de vinhos seja mais lento para absorver mudanças, grandes produtores de olho no futuro, como Dom Perignon, já entraram no espaço dos tokens não fungíveis, além de celebridades como Brad Pitt, cuja marca de champanhe planeja lançar os primeiros NFTs em alguns meses, segundo a Bloomberg.  

Publicidade

Mas Robbie Stevens, gerente para América do Norte do marketplace de vinhos Liv-Ex, ainda é cético, dizendo que essas NFTs “levarão muito tempo até que cheguem ao mainstream, porque o mundo do vinho é muito fragmentado”. 

A conta oficial no Instagram do Bored Ape Yacht Club foi hackeada ao compartilhar um link para um site falso. Dados iniciais apontam que os hackers teriam roubado cerca de US$ 2,8 milhões em NFTs de pessoas que conectam suas carteiras Ethereum. 

A Meta planeja abrir sua primeira loja física no mês que vem em meio aos planos para se tornar líder do metaverso. A Meta Store será inaugurada em 9 de maio no campus da empresa em Burlingame, Califórnia, segundo o New York Times

VOCÊ PODE GOSTAR
Imagem da matéria: Ethereum Rio: Começa hoje evento que promove ecossistema da segunda maior criptomoeda do mundo

Ethereum Rio: Começa hoje evento que promove ecossistema da segunda maior criptomoeda do mundo

Evento Ethereum Rio ocorre entre os dias 13 e 15 de maio no Porto Maravalley, Rio de Janeiro
dupla de homens sendo presa

Irmãos são presos por roubo de R$ 130 milhões em ataque de 12 segundos na rede Ethereum

O procurador americano Damian Williams disse que “este suposto esquema era novo e nunca havia sido acusado antes”
Imagem da matéria: Bitcoin sobe mais de 3% após dado de inflação dos EUA cair em abril

Bitcoin sobe mais de 3% após dado de inflação dos EUA cair em abril

Bitcoin, Ethereum e outras criptomoedas sobem nesta quarta-feira após o relatório do CPI dos EUA mostrar que os preços subiram mais lentamente que o esperado
Ilustração de uma lâmpada flamejando B de bitcoin

Parceria em tokenização entre Mercado Bitcoin e Bolt Energy democratiza acesso ao setor de energia

A parceria entre as empresas teve início em 2022