Investidor comemorando
Shutterstock

As maiores criptomoedas operam em alta na manhã desta quinta-feira (29), mantendo a montanha-russa nas cotações vista nos últimos dias, enquanto no mercado acionário investidores evitam se arriscar depois do forte rali na sessão anterior. 

Nas últimas 24 horas, o Bitcoin (BTC) avança 4,2%, para US$ 19.447, segundo dados do CoinGecko. O Ethereum (ETH) sobe 4,8%, negociado a US$ 1.334. 

Publicidade

Em reais, o Bitcoin ganha 4,3%, cotado a R$ 104.311, mostra o Índice do Portal do Bitcoin (IPB).   

As altcoins mais negociadas também se recuperam do tombo, entre elas Binance Coin (+3,8%), Cardano (+1,2%), Solana (+3,9%), Dogecoin (+1,1%), Polkadot (+1,9%), Shiba Inu (+1,3%), Polygon (+2,1%) e Alavanche (+1,4%). XRP opera com leve baixa de 0,8% depois de mergulhar 11% durante a madrugada. 

Crise no Reino Unido 

A quarta-feira (28) foi marcada pela intervenção do Banco da Inglaterra (BoE) no mercado de títulos para evitar uma crise de liquidez em meio à desvalorização no preço da libra esterlina. A instituição prometeu uma nova rodada de compra de dívida, o que levou o índice S&P 500 a dar um salto e fechar com ganho de 2%, interrompendo uma sequência de seis dias em queda.  

Mas a empolgação durou pouco e a aversão ao risco volta a dominar as negociações nesta manhã, com perdas para os índices futuros das bolsas americanas e para o Stoxx Europe 600. 

Investidores tentam navegar pelos sinais contraditórios enviados pelos bancos centrais nos últimos dias, com autoridades do Fed inflexíveis na determinação de apertar a política monetária, um plano de 65 bilhões de libras esterlinas do BoE (US$ 71 bilhões) para apoiar a dívida do governo e autoridades na Ásia tentando frear a desvalorização de suas moedas. 

Publicidade

“O banco central está em uma posição muito difícil agora”, disse em referência ao BoE Julie Biel, analista sênior de pesquisa e gestora de portfólio da Kayne Anderson Rudnick, em entrevista à Bloomberg TV. 

Bitcoin hoje 

As criptomoedas, que iniciaram a quarta-feira no vermelho, seguiram os passos de Wall Street, mas especialistas voltaram a destacar a resistência do Bitcoin acima dos US$ 19 mil. 

Quanto tempo a maior criptomoeda conseguirá se segurar acima desse nível é algo incerto, assim como seu suposto papel como hedge contra a inflação. 

“Há algumas coisas que não sabemos”, disse a cofundadora e CEO da Defiance ETFs, Sylvia Jablonski, em entrevista ao CoinDesk TV. “Pensávamos que a criptomoeda seria esse grande hedge contra a inflação, seria o novo ouro, e isso não funcionou. Acontece que a criptomoeda estava altamente correlacionada com ações, particularmente com ações de alto crescimento, com a Nasdaq.” 

Publicidade

O presidente da Comissão de Negociação de Futuros de Commodities (CFTC) nos EUA, Rostin Behnam, disse que, sob a regulamentação da agência, o Bitcoin poderia “dobrar de preço”.  

“O crescimento pode ocorrer se tivermos um espaço bem regulamentado”, afirmou Behnam a participantes de um evento da NYU School of Law na quarta-feira (28). 

Confiança no Bitcoin 

Relatório da Glassnode aponta que a adoção de criptomoedas caiu para níveis vistos pela última vez durante a crise da Covid-19. Mas os chamados “hodlers” – investidores de longo prazo – permanecem “resolutos” de modo que a turbulência atual estaria associada a investidores de curto prazo. O resultado desses movimentos opostos estaria por trás do grau de força relativa do Bitcoin. 

Prova disso são refúgios do mundo cripto como o bar Bam Bam Beach Bitcoin na Meia Praia, em Lagos, Portugal, onde a confiança nas moedas digitais continua firme, mesmo diante da recente turbulência, aponta artigo do New York Times. “Nós não vendemos”, disse o trader de criptos Paulo Estevão, durante almoço em um restaurante na cidade litorânea de Ericeira. Seus investimentos perderam 80% do valor desde o pico, mas Estevão revela: “Estou investindo mais”.  

Avanço das CBDCs

Autoridades monetárias mundiais avançam os projetos para suas moedas digitais de bancos centrais, ou CBDCs, na sigla em inglês. Os bancos centrais da Suécia, Noruega e Israel lançaram um projeto com o Banco de Compensações Internacionais (BIS) para testar pagamentos transfronteiriços de varejo e remessas com CBDCs, segundo comunicado do Riksbank, o BC da Suécia, divulgado pela Reuters. 

Publicidade

No Brasil, o presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto, acredita que o maior desafio da autoridade monetária é integrar todas as inovações recentes do sistema financeiro, como o Pix, open finance e o real digital. “O projeto de integração a gente sabe como começa, mas não tem muita certeza de como vai se desenvolver”, disse em vídeo gravado para a abertura na quarta-feira (28) do “Fintouch 2022”, promovido pela Associação Brasileira de Fintechs (ABFintechs). 

Também no evento, Aristides Andrade Cavalcante Neto, chefe-adjunto do Departamento de Tecnologia da Informação do BC, destacou que o real digital, ainda em fase de testes, não vai acabar com o PIX. 

Já o presidente da CVM, João Pedro Nascimento, defendeu que os criptoativos tenham um ambiente regulatório “adequado” e “não invasivo” por meio do diálogo com agentes do mercado. 

Outros destaques das criptomoedas  

Beibei Liu, CEO da NovaDax, quer a corretora no 2º lugar em volume de bitcoins negociados no Brasil, com a aposta em taxas baixas e diversificação de produtos, contou ao Valor. A exchange cripto é a terceira maior do país, atrás da BitPreço e Binance, de acordo com a Cointrader Monitor. 

A executiva também disse que a NovaDax lançará um produto para aumentar a sinergia com aplicações descentralizadas, o DAO Club. “Queremos ter parcerias maiores com esses projetos”, afirmou Liu. 

A fintech Easy Hash, que faz parte do laboratório de inovação tecnológica do Banco Central, recebeu aporte de recursos e autorização para emitir tokens que representam frações de contratos de microcrédito, segundo o Valor. O fracionamento permite descentralizar, diluir e redistribuir a possibilidade de inadimplência das operações. 

Publicidade

A plataforma digital BEE4 iniciou na quarta-feira (28) a negociação de tokens que representam ações de empresas com o aval da CVM. O primeiro token (BABY1) negociado foi o da Engravida, rede de clínicas de reprodução assistida. Com o objetivo de facilitar o acesso ao mercado de capitais, o foco da tokenização de ações são empresas emergentes com faturamento entre R$ 10 milhões e R$ 300 milhões por ano. 

A mineradora de Bitcoin FMI Minecraft captou R$ 10 milhões para investir na produção de BTC em larga escala na Zona Franca de Zapala, na Argentina, informou o Valor. Os recursos serão destinados à compra de computadores, cujos preços recuaram neste ano em meio ao inverno cripto. 

A Pantera Capital planeja levantar US$ 1,25 bilhão para seu segundo fundo de investimento em blockchain, aproveitando o crescente apetite por ativos digitais entre investidores institucionais, mesmo com a queda dos preços, disse o fundador Dan Morehead à Bloomberg. 

Regulação, CBDCs e Cibersegurança 

O projeto da Visa em parceria com a Microsoft foi um dos nove selecionados pelo BC para testar a eficácia do real digital. Em entrevista à Folha, Nuno Lopes Alves, presidente da rede de cartões Visa no Brasil, disse que o processo de digitalização dos hábitos financeiros vai seguir no país, independentemente de quem vencer as eleições. 

Em entrevista ao podcast Flow, o ministro da Economia, Paulo Guedes, disse que, com a CBDC brasileira, “vai acabar esse negócio de dinheiro de papel, vai ser tudo digital”. Guedes também classificou a tecnologia blockchain de “interessante” e destacou o papel que o registro digital aberto e descentralizado pode exercer no combate aos crimes digitais. 

A Terraform Labs, por trás do colapso dos tokens TerraUSD e LUNA, acusou promotores sul-coreanos de abusar de seus poderes com a “politização do caso”, duas semanas depois do mandado de prisão do cofundador da empresa, Do Kwon. Em comunicado ao Wall Street Journal, um porta-voz da empresa de Singapura disse que a LUNA não é um valor mobiliário, portanto, não se enquadraria na lei de mercado de capitais da Coreia do Sul. 

Um aplicativo usado para realizar transações de câmbio conhecido como MetaTrader (também MT4 ou MT5, dependendo da versão) foi removido da App Store na última sexta-feira (23), de acordo com a Forbes. Por enquanto, o aplicativo permanece disponível no Google Play Store. O app é associado ao chamado “abate de porcos”, novo golpe com criptomoedas com o uso de aplicativos e sites falsos. 

Em meio ao aperto na regulação, a SEC, a CVM dos EUAdisse que a Hydrogen Technology, empresa por trás da moeda digital Hydro, e uma formadora de mercado cripto tentaram inflar artificialmente o preço do token depois de um airdrop. 

Metaverso, Games e NFTs 

O milionário Martin Mobarak, de Miami, é investigado por autoridades do México após ter divulgado um vídeo onde queima o que seria uma obra rara de Frida Kahlo, avaliada em US$ 10 milhões, conforme a Folha. O empresário teria destruído a versão original para promover a venda de 10 mil cópias na forma de tokens não fungíveis, por meio de sua empresa Frida.NFT. 

A startup brasileira Liqi vai pagar mais de R$ 400 mil para investidores do token Coritiba Foot Ball Club, segundo informações do Cointelegraph. O valor é referente à transferência do jogador Dodô, ex-Shakhtar Donetsk, para a Fiorentina.  

O sistema de tokenização usado pelo Coritiba está associado aos direitos do Mecanismo de Solidariedade da FIFA, criado com o propósito de compensar clubes pela formação de atletas. 

VOCÊ PODE GOSTAR
Imagem da matéria: Trader transforma US$ 27 mil em US$ 2 milhões ao antecipar alta da GameStop

Trader transforma US$ 27 mil em US$ 2 milhões ao antecipar alta da GameStop

O súbito ressurgimento das ações “memes” nesta semana rendeu uma pequena fortuna aos traders que nunca desistiram das loucuras de 2021
Números e letrs douradas sob um placa formam símolo do Real brasileiro

5 vantagens da tokenização de ativos do mundo real (RWA) | Opinião

Para o autor, a custódia de RWA tokenzados é um elemento crucial para a democratização do acesso aos investimentos
Imagem da matéria: Ex-diretor da FTX deve pegar até 7 anos de prisão, pedem promotores dos EUA

Ex-diretor da FTX deve pegar até 7 anos de prisão, pedem promotores dos EUA

Ryan Salame foi um dos executivos da FTX que coordenaram a doação de milhões para campanhas políticas usando dinheiro dos clientes
Imagem da matéria: Bitcoin salta 6% e supera US$ 66 mil conforme a inflação desacelera nos EUA

Bitcoin salta 6% e supera US$ 66 mil conforme a inflação desacelera nos EUA

“Os números do CPI dos EUA desencadearam uma ruptura na faixa de ativos de risco”, disse a empresa de Cingapura QCP Capital sobre a alta do Bitcoin