Maior corretora de criptomoedas dos EUA se prepara para abrir capital na bolsa, diz Reuters

Maior corretora de criptomoedas dos EUA se prepara para o mercado de ações, diz Reuters
Foto: Shutterstock


A Coinbase, maior exchange de criptomoedas dos EUA, avaliada em US$ 8 bilhões, está se preparando para entrar no mercado de ações. Segundo informações da Reuters, a empresa estaria explorando a abertura de capital por meio de uma lista direta, em vez de um IPO.

De acordo com a agência, três pessoas familiarizadas com o assunto confirmaram que a empresa pode buscar a listagem no final deste ano ou no início de 2021.

Caso se comprovem os rumores, a Coinbase pode ser a primeira grande empresa do setor de criptomoedas a ser listada em bolsa. No entanto, para que isso ocorra, a instituição vai precisar de aprovação da Comissão de Valores Mobiliários dos EUA (SEC).

Uma empresa do tamanho da Coinbase na bolsa seria um marco no setor, escreveu a agência, acrescentando que tal realização é bastante sonhada pelos defensores das criptomoedas.

Corretora de criptomoedas na bolsa

Conforme os relatos das pessoas, que pediram à Reuters o anonimato, o que foi preparado até agora pela exchange ainda pode sofrer alterações.

Disseram, também, que a Coinbase ainda não registrou sua intenção de abertura de capital na SEC, mas que já estaria em negociações para contratar bancos de investimento e escritórios de advocacia para dar andamento.

Procurada pela reportagem, um assessor da Coinbase disse que a empresa não comenta rumores ou especulações. Segundo a agência, a SEC também se recusou a comentar sobre o assunto.



IPO já foi cogitado em 2018

Há cerca de dois anos, o mesmo rumor rodou nos jornais após o comentário de Ran NeuNer em um programa na CNBC Africa. Na ocasião, ele também especulou tal ação da exchange.

Também na época, o CEO da Coinbase, Brian Armstrong, disse que previa 1 bilhão de pessoas no mundo fazendo parte do ecossistema das criptomoedas. 

Usuários em mais de 100 países

Fundada em 2012, a Coinbase é uma das empresas de criptomoedas mais conhecidas do mundo e possui cerca de 35 milhões de usuários em 102 países. Por meio dela, os clientes negociam vários criptoativos, como Bitcoin, Ethereum e Ripple por exemplo.

Dentre seus financiadores então a própria bolsa de Nova York, NYSE, e o banco espanhol BBVA. Este último inclusive, juntamente com o Banco Central da Argentina (BCRA) e o banco Santander, já participa de testes de transferências e rastreabilidade em blockchain.

Em maio, a empresa anunciou a aquisição da corretora americana Tagomi. Focada em investimento institucional de criptomoedas, a empresa recebeu aporte de US$ 2,1 milhões de Peter Thiel, cofundador do Paypal, há cerca de dois anos.

Apesar de na prática estar tudo certo, a aquisição está sujeita às condições habituais de fechamento, incluindo aprovações regulatórias. Segundo a empresa, o esperado é que tudo seja concluído ainda em 2020.


BitcoinTrade: Negocie criptomoedas com segurança e agilidade!

Cadastre-se agora! Eleita a melhor corretora do Brasil. 95% dos depósitos aprovados em menos de 1 hora! Acesse: bitcointrade.com.br