Imagem da matéria: Justiça dos EUA condena criador de esquema ponzi com gado a pagar R$ 3 milhões a vítimas
Foto: Pixabay

O juiz federal norte-americano Matthew W. Brann condenou um sócio de uma empresa que compra gados a pagar US$ 550 mil a dois fazendeiros da Pensilvânia (EUA). O acusado foi apontado como responsável por um tipo de ‘esquema ponzi de transferência de gado’.

De acordo com a sentença, publicada na semana passada, os fazendeiros Eugene Nicholas e Heidi Worden, do distrito de Loganton, venderam entre 2016 e 2017 centenas de cabeças de gado para Jeffrey Snider, sócio de uma empresa chamada CAV Farms Inc. Ele administrava as finanças e os registros do negócio.

Publicidade

O acusado, segundo a sentença, usou um intermediário chamado Michael Rogers para fazer a negociação de bois com os fazendeiros. Após a venda, no entanto, o réu Snider se recusou a pagá-los, e alegou que o tal do Rogers na verdade era um malfeitor.

Em agosto de 2018, os fazendeiros prejudicados entraram com ação na Justiça em busca da reparação dos valores perdidos na negociação.

Na decisão, o magistrado Matthew W. Brann disse que na verdade o tal do Rogers era um agente de Snider, que atuava como ‘traficante’ e havia montado um tipo “esquema ponzi de vaca” para ganhar dinheiro.

“O réu estavam no centro de uma espécie de esquema ponzi de vaca”, falou o juiz.

Após analisar o caso, o juiz entendeu que tudo havia sido orquestrado individualmente por Jeffrey Snider, pois ele era o responsável pela administração da CAV. O tal do Rogers, que fez a negociação em nome dele, não foi condenado.

Publicidade

De acordo com o magistrado, Snider permitia que Rogers conduzisse os negócios de maneira a prejudicar os clientes e gerar vantagem indevida.

Pirâmide de vaca brasileira

Golpes financeiros no campo são comuns no Brasil. Um dos mais conhecidos é o esquema das “Fazendas Reunidas Boi Gordo”, considerada uma das maiores fraudes financeiras do Brasil.

Em resumo, a fazenda oferecia contratos de investimentos coletivo nos anos 90, com a promessa de pagar 40% sobre o investimento em um período de 18 meses. O negócio afirmava trabalhar com criação, engorda e venda de bois.

Cerca de 30 mil pessoas foram enganadas. O prejuízo chegou a quase R$ 4 bilhões.

VOCÊ PODE GOSTAR
Paolo Ong, da SEC Filipinas

Termina prazo para saída da Binance das Filipinas e reguladores avisam: “Não há como sacar fundos após bloqueio”

“Não podemos endossar nenhum método de como retirar seu dinheiro agora que a ordem de bloqueio foi emitida”, disse o regulador filipino
Moeda de Tether (USDT) sob superfície lisa

Tether anuncia reorganização para ir além de sua stablecoin e cria quatro divisões

Mudança em sua estrutura visa ampliar o fornecimento de soluções de infraestrutura focadas na inclusão
Tigran Gambaryan, chefe de compliance da Binance, posa para foto

Executivo da Binance que fugiu da Nigéria é localizado e pode ser extraditado

Autoridade queniana disse que não é simplesmente prender, pois Nadeem Anjarwalla é de família influente que “tem o apoio de algumas pessoas poderosas”
silhueta de executivo triste em frente a computador

Trader que lucrou milhões com manipulação de preços vai a julgamento; caso pode impactar setor DeFi

Trader que lucrou US$ 100 milhões manipulando preços na exchange descentralizada Mango Markets começa a ser julgado hoje nos EUA