Roger Ver em palestra sobre o Bitcoin
Roger Ver é um dos pioneiros do Bitcoin (Foto: Arquivo Pessoal)

O Office of Public Affairs (PAO), escritório de Relações Públicas do Departamento de Justiça dos EUA, afirmou nesta terça-feira (30) em um comunicado que o “Jesus do Bitcoin”, Roger Ver, fundador do site Bitcoin.com e ‘pai’ do Bitcoin Cash (BCH), foi preso no último final de semana na Espanha sob acusações criminais dos EUA.

De acordo com o PAO, Ver, que trocou sua cidadania americana pela de São Cristóvão e Nevis em 2014, está sendo acusado de fraude postal, evasão fiscal e apresentação de declarações fiscais falsas e que as autoridades americanas buscam extraditá-lo o mais rápido possível para ser julgado no país.

Publicidade

As acusações estão ligadas a duas empresas que Ver teve nos EUA, quando era morador de Santa Clara, na Califórnia — MemoryDealers.com Inc. e Agilestar.com Inc., voltadas para o ramo de computadores e equipamentos de rede. A partir de 2011, descreve o comunicado, Ver supostamente começou a adquirir bitcoins para si e para suas empresas.

Conforme descreve a entidade, em 4 de fevereiro de 2014, Ver e suas empresas supostamente possuíam aproximadamente 131.000 bitcoins que eram negociados em diversas grandes exchanges por cerca de US$ 871 cada. “MemoryDealers e Agilestar supostamente detinham aproximadamente 73.000 desses bitcoins”.

“Como resultado da sua expatriação, Ver alegadamente foi obrigado, ao abrigo da lei dos EUA, a apresentar declarações fiscais que reportassem ganhos de capital provenientes da venda em nível global dos seus ativos, incluindo os bitcoins, bem como reportar seus valores justos de mercado”, acrescenta o PAO.

Fora isso, Ver também teria sido obrigado a pagar o imposto “exit tax”, aplicado a quem deixa os EUA, sobre ganhos de capital.

Publicidade

Roger Ver tentou enganar o fisco

Ver então contratou um escritório de advocacia para ajudá-lo em sua expatriação e para preparar suas declarações fiscais relacionadas à sua iniciativa de deixar os EUA, informando, porém, números falsos aos advogados — inclusive que não detinha pessoalmente quaisquer Bitcoin, o que culminou também em informações falsas às autoridades americanas

Mas a acusação, explica o PAO, alega ainda que, até junho de 2017, as duas empresas de Ver continuavam a possuir bitcoins,  que teriam sido vendidos por Ver ao valor de US$ 240 milhões, que não foram declarados à Receita dos EUA, o IRS..

A unidade de crimes cibernéticos do IRS Criminal Investigation está investigando o caso que está sendo processado pela procuradoria da Califórnia.

VOCÊ PODE GOSTAR
Michaël van de Poppe em vídeo no Youtube

“É hora de investir em altcoins como Ethereum além do Bitcoin”, diz Michaël van de Poppe

Citando o Ethereum com uma das opções, o analista diz que o mercado de altcoins já passou por correção e que a tendência agora é de alta
Sob um banco de madeira três criptomoedas ao lado de um celular com logo do Nubank

Nubank libera envio e recebimento de criptomoedas de carteiras externas

Já estão disponíveis para essas transações Bitcoin, Ethereum e Solana; outras moedas e redes serão adicionadas em breve
Cofre dourado no formato de baleia receb moedas shiba inu SHIB

Baleias voltam a encher os bolsos de Bitcoin, mostra análise

A acumulação acelerada de baleias é um sinal de que o mercado altista do Bitcoin ainda está ativo
Cachorro Shiba Inu que inspitou Dogecoin

Kabosu, a cachorrinha que inspirou a Dogecoin, falece aos 18 anos

Kabosu sofria de doença crônica e já era muito idosa; segundo sua dona, a cachorrinha “faleceu silenciosamente”