Tela de computador que mostra moeda de bitcoin em meio a traços matrix
Shutterstock

Um investidor que na semana passada pagou uma taxa equivalente a R$ 15 milhões em uma transação de Bitcoin — o que entrou para a história como a taxa mais cara já paga na rede do BTC —, afirmou em uma publicação no X que foi vítima de um hacker.

Até então, um provável bug na carteira ou até mesmo desatenção ao preencher os detalhes da transação eram considerados a possível causa do problema enfrentado pelo misterioso investidor.

Publicidade

O usuário veio à publico na sexta-feira (24) contar sua versão da história através da conta recém-criada @83_5BTC no X, cujo nome faz referência à taxa paga na transação na quinta (23), de 83,5 BTC.

O nome do usuário também traz a mensagem “Hackers_paid_83.5BTC_fee_with_my_money” (Hackers pagaram taxa de 83,5 BTC com meu dinheiro”.

“Eu criei uma nova carteira fria (offline), transferi 139 BTC para ela e ela foi transferida para outra carteira imediatamente. Só posso imaginar que alguém estava executando um script naquela carteira e que o script tinha um cálculo de taxa estranho”, exlicou ele na publicação.

Para provar que era de fato o detentor da carteira que fez o pagamento da taxa, o usuário do X assinou uma mensagem através do endereço Bitcoin em questão que dizia: “@83_5BTC é o proprietário dos fundos que pagaram a alta taxa”. A assinatura foi verificada por dois especialistas em blockchain.

A conta @mononautical, do analista do explorador de blocos do Bitcoin, mempool.space, escreveu o seguinte: “A assinatura é verificada, @83_5BTC aparentemente controla a chave que pagou aquela taxa de 83,7 BTC”.

Publicidade

“Assinatura verificada”, postou também Jameson Lopp, cofundador da Casa, empresa focada em segurança de autocustódia de criptomoedas.

Contudo, segundo Mononaut, se a wallet de @83_5BTC estiver comprometida, a mensagem também pode ter sido assinada por um invasor.

Entenda o caso 

Um usuário da rede do Bitcoin pagou 83,65 BTC (R$ 15 milhões) em taxas para fazer uma simples transferência de 139,42 BTC (R$ 25,4 milhões) de um endereço para outro. Para se ter uma ideia, as taxas mais caras na rede do Bitcoin na ocasião não passava de R$ 22, segundo dados do Mempool.

Ele estabeleceu um novo recorde de dólares americanos pagos na taxa de uma única transação de Bitcoin, mais de seis vezes o recorde anterior de taxa de US$ 500 mil paga em setembro.

Até o momento, não se tem conhecimento do nome real da empresa ou do investidor que está por trás desta cara transação.

Publicidade

Paxos já cometeu erro parecido

Um caso muito semelhante ocorreu em setembro deste ano, quando a provedora de infraestrutura de criptomoedas Paxos, que atende empresas como Nubank e PayPal, pagou uma taxa de R$ 2,5 milhões para transferir uma quantidade de Bitcoin que equivalia a R$ 9,7 mil. 

No episódio da Paxos, a mineradora que recebeu a taxa exorbitante foi a F2Pool, que concordou em devolver o bitcoin pago a mais de volta para a empresa. 

Naquela ocasião, a Paxos explicou que errou no pagamento da taxa devido a um bug que afetou uma única transferência e que, segundo a empresa, já foi corrigido.

You May Also Like
Bandeira com o logotipo da Coinbase se mov eao ar l ivre

Coinbase apoia ETF de Ethereum da Grayscale: ‘Virtualmente idêntico a ETFs de Bitcoin’

Citando a configuração técnica e a capitalização de mercado do Ethereum, a Coinbase acredita que a SEC deveria aprovar um ETF spot de ETH
foguete decolando para lua com simbolo do bitcoin

Bitcoin se mantém estável enquanto investidores especulam sobre novo All-Time High

Nos mercados de derivativos de Bitcoin, as opções de compra superaram em muito as opções de venda, em sinal de forte otimismo
michael saylor microstrategy

MicroStrategy compra mais 3 mil bitcoins e reserva no ativo sobe para US$ 9,9 bilhões

MicroStrategy tem 193 mil bitcoins, comprados a um valor total de US$ 6,09 bilhões
Ilustração de uma lâmpada flamejando B de bitcoin

Há 15 anos, Satoshi debateu uso de energia na rede Bitcoin: “Seria menos cara do que a atividade bancária”

Os comentários constam em e-mails revelados na sexta-feira pelo desenvolvedor Martti Malmi, um dos primeiros colaboradores do criador do Bitcoin