moeda de Bitcoin à frente do logotipo do Goldman Sachs
Shutterstock

O Goldman Sachs, um dos maiores bancos do mundo, vai promover uma teleconferência sobre inflação, ouro e bitcoin com seus clientes. Intitulada “Perspectivas Econômicas dos EUA e Implicações das Políticas Atuais para Inflação, Ouro e Bitcoin”, a reunião acontece na próxima quarta-feira (27) e será transmitida online.

O Goldman Sachs parece ser a mais recente entidade de Wall Street a reconhecer a principal criptomoeda, incluindo o tema na 15ª reunião de uma série de tendências macroeconômicas e financeiras.

Publicidade

Isso porque recentemente o maior banco dos EUA, JPMorgan Chase, abriu as portas para exchanges de criptomoedas. A decisão foi significativa para um setor que luta para manter relacionamentos bancários há anos.

Outro ponto a observar foi um relatório recente do bilionário americano Paul Tudor Jones onde recomendou o Bitcoin como reserva de valor diante da atual situação de instabilidade econômica global.

Reunião Goldman Sachs

Não há muitos detalhes sobre a reunião do Goldman Sachs, mas de acordo com uma imagem publicada na conta de Mike Dudas, fundador do site The Block, no Twitter, o evento será conduzido pela diretora de investimentos do grupo, Sharmin Mossavar-Rhami.

De acordo com as informações, ao lado dela estará Jason Furman, professor de economia da Harvard Kennedy Business School, e Jan Hatzius, chefe de pesquisa global do Goldman Sachs.

Publicidade

Ainda sobre a inclusão do tema bitcoin no evento online, a Forbes fez um comentário: “A última teleconferência de clientes da Goldman Sachs incluirá um assunto que Wall Street ridicularizou ou ignorou: o Bitcoin”.

Goldman Sachs e Bitcoin

A história revela que sempre houve um impasse sobre o conceito do bitcoin ao longo do tempo entre alguns executivos do Goldman Sachs.

Curiosamente, Sharmin Mossavar-Rhami, que estará à frente da próxima reunião, já tachou o bitcoin como bolha. Isso aconteceu em 2018.

Na época, a executiva disse que talvez existisse espaço para criptomoedas desde que criadas por grandes bancos centrais.

“Poderiam ser úteis? Poderiam reduzir os custos das transações? Sim. Mas não essas que estão aí”, disse.

Stablecoin Goldman Sachs

Em meados do ano passado, o diretor executivo da instituição, David Solomon, não descartou a possibilidade de a instituição criar uma stablecoin.

Publicidade

Na ocasião, ele disse que a ideia do Goldman Sachs era fazer o mesmo que JPMorgan fez, com a JPM Coin.

Para isso, disse Solomon, a equipe do banco realizava “extensas pesquisas” sobre tokenização e stablecoins.

“É a direção que o sistema irá”

Também na época, a Fundação Libra buscava por parceiros no desenvolvimento de sua criptomoeda.

Quando questionado sobre o assunto, se o Goldman Sachs poderia aderir ao plano, Solomon respondeu:

“Acho o princípio interessante. É a direção que o sistema irá”.


Compre Bitcoin na Coinext 

Compre Bitcoin e outras criptomoedas na corretora mais segura do Brasil. Cadastre-se e veja como é simples, acesse: https://coinext.com.br

VOCÊ PODE GOSTAR
Donald Trump ex-presidente dos EUA

Donald Trump recebe compradores de seus NFTs em jantar de luxo

O ex-presidente resolveu aproveitar o dia de folga do Tribunal de Nova York para receber os apoiadores no resort de luxo Mar-a-Lago
bitcoin e ethereum em grafico vermelho de queda

Bitcoin e Ethereum passam a cair e provocam liquidações de US$ 150 milhões

Tanto o Bitcoin quanto o Ethereum despencaram na manhã de sexta-feira (10), provocando uma onda de liquidação de longo prazo
moeda de Bitcoin ao lado de letreiro com ETF

Estado dos EUA investe R$ 510 milhões em ETF de Bitcoin da BlackRock

O investimento foi confirmado hoje pelo Conselho de Investimentos do Estado de Wisconsin (SWIB)
Criador do Twitter e da Square, Jack Dorsey em palestra no TED

Preço do Bitcoin atingirá US$ 1 milhão até 2030, diz Jack Dorsey

Em uma entrevista recente, o cofundador do Twitter e da Block argumentou que o Bitcoin poderia atingir US$ 1 milhão e ir “além” no futuro