Moeda de bitcoin com gráfico de baixa
Foto: Shutterstock

Saídas de capital de fundos que investem especificamente em bitcoin (BTC) totalizaram US$ 453 milhões, acabando com todas as entradas de capital registradas nos últimos seis meses, de acordo com um relatório da gestora CoinShares.

Os fundos analisados são produtos de investimento que dão aos investidores tradicionais exposição a criptomoedas sem que estes também tenham de custodiar esses ativos.

Publicidade

Quando investidores compram um fundo baseado em cripto, esse processo é chamado de entrada de capital (ou “inflow”) e é um sinal de otimismo. O processo oposto, quando investidores vendem tais fundos, é chamado de saída de capital (ou “outflow”) e é um sinal de pessimismo.

Em termos de ativos sob gestão (ou AUM, na sigla em inglês), as saídas de capital na última semana foram as terceiras maiores, representando 1,2% do AUM de todos os fundos que a CoinShares analisa. As piores saídas de capital foram as de 1,6% registradas durante o mercado de baixa de 2018.

Porém, as saídas de capital da última semana foram as maiores na amostragem em dólares.

Além do bitcoin, outros ativos, incluindo ETH (US$ 10,9 milhões), o fundo de índice BITI da ProShares (US$ 15,3 milhões), ADA (US$ 800 mil), TRX (US$ 100 mil), DOT (US$ 200 mil) e outros ativos (US$ 2,9 milhões) registraram um total de saídas de capital de US$ 30 milhões na última semana, resultando em saídas líquidas de US$ 423 milhões.

Gestoras, como CoinShares Physical (US$ 3,7 milhões) e Purpose (US$ 490,7 milhões) registraram fluxos negativos de capital na última semana. Já ProShares (US$ 42,1 milhões), 21Shares (US$ 8,5 milhões) e ETC Group (US$ 13 milhões) tiveram um resultado positivo na semana passada.

Publicidade
Fluxo de capital por ativo (Imagem: CoinShares)

“Desinvestimento” em bitcoin

Recentemente, bancos centrais, incluindo o Federal Reserve dos EUA e o Banco do Canadá, implementaram aumentos na taxa de juros para combater a alta na inflação.

O Banco do Canadá aumentou os juros de 1% para 1,5% enquanto o Fed subiu de 1% para 1,75%.

Geralmente, a alta de juros resulta em altos retornos de títulos que podem parecer mais atrativos do que fundos cripto para muitos investidores.

Esses aumentos afetaram bastante grande parte dos mercados, incluindo cripto. Mas parece que foram os investidores canadenses que abandonaram o bitcoin em massa. De acordo com o relatório da CoinShares, os produtos cripto da canadense Purpose Investments perderam um impressionante capital de US$ 490,7 milhões.

Em relação aos Estados Unidos, o relatório indica que produtos no país perderam um total de US$ 41 milhões.

As principais criptomoedas continuaram caindo no último dia. O bitcoin caiu quase 3% nas últimas 24 horas e está sendo negociado a US$ 20,7 mil. Já o ether está precificado em US$ 1,18 mil, também registrando uma queda de 3%, de acordo com dados do site CoinMarketCap.

*Traduzido por Daniela Pereira do Nascimento com autorização do Decrypt.co.

VOCÊ PODE GOSTAR
Mão segurando uma moeda dourada de Bitcoin (BTC) em frente à bandeira da Colômbia

De olho no turismo, Usiacurí é o primeiro município da Colômbia a adotar criptomoedas

“Vimos que chegava um turista estrangeiro que vinha com criptomoedas”, diz prefeito
smartphone com logotipo da Toncoin TON à frente de monitor que mostra gráfico de mercado

Semana Cripto: Bitcoin cai enquanto Toncoin sobe e se aproxima da Dogecoin em valor de mercado

Criptomoedas de grande capitalização como PEPE e WIF também tiveram quedas de até 20% na semana
Imagem da matéria: CEO da Ripple será julgado por supostas "declarações enganosas" em entrevista de 2017

CEO da Ripple será julgado por supostas “declarações enganosas” em entrevista de 2017

CEO da Ripple disse em 2017 que estava “muito comprado” em XRP, mas investidores alegam que ele vendeu milhões de dólares em XRP no mesmo ano
moeda e notas pendurada em um varal

Operação contra maior milícia do RJ revela que suspeitos compravam Bitcoin para lavar dinheiro

Fonte do dinheiro movimentado pelos suspeitos seria oriundo de grilagem de terras, extorsão contra comerciantes e exploração do transporte