Imagem da matéria: FTX pode liquidar dívida fiscal de US$ 24 bilhões por US$ 200 milhões
Foto: Shutterstock

A falida exchange de criptomoedas FTX pode ser capaz de liquidar uma reivindicação de US$ 24 bilhões do Internal Revenue Service (IRS) dos EUA – a Receita Federal americana – por US$ 200 milhões. Este acordo ainda está pendente de aprovação judicial, mas resolveria uma das disputas mais espinhosas e maiores reivindicações, no valor de bilhões de dólares.

A FTX, que já foi um player proeminente no mercado de criptomoedas, entrou com pedido de concordata, Capítulo 11, em novembro de 2022, após um colapso dramático. A empresa enfrentou uma crise de liquidez desencadeada por um aumento nas retiradas de clientes e revelações de má gestão financeira.

Publicidade

No seu auge, a FTX era a terceira maior bolsa de criptomoedas do mundo, mas as consequências expuseram um buraco negro financeiro substancial, levando à sua queda e subsequentes desafios legais.

O IRS inicialmente apresentou reivindicações contra a FTX superiores a US$ 44 bilhões, posteriormente ajustadas para US$ 24 bilhões. O acordo proposto reduz significativamente essas reivindicações, com o IRS definido para receber um pedido prioritário de US$ 200 milhões e uma reivindicação subordinada júnior de US$ 685 milhões. Essas reivindicações serão tratadas como parte do plano de reorganização proposto pela FTX, cuja audiência está agendada para 25 de junho.

Num processo judicial de 3 de junho, John J. Ray III, o CEO que supervisiona a reestruturação da FTX, enfatizou que o acordo representa um passo crucial para a resolução eficiente da falência da empresa.

“Juntos, a partir do desastre financeiro mais desafiador que já vi, os devedores e os seus credores criaram um enorme valor a partir de uma situação que facilmente poderia ter sido uma perda quase total para os clientes”, afirmou Ray.

Publicidade

O plano de reorganização visa reembolsar credores e clientes o mais rapidamente possível, com a expectativa de que mais de 90% dos ativos possam ser devolvidos até meados de 2024. Este acordo não apenas mitiga extensos custos de litígio, mas também fornece um caminho claro para os numerosos credores da FTX.

As consequências do colapso da FTX foram extensas, impactando inúmeras partes interessadas e desencadeando um escrutínio regulatório mais amplo em toda a indústria de criptomoedas. O fundador e ex-CEO da empresa, Sam Bankman-Fried, foi considerado culpado de acusações de fraude, conspiração e lavagem de dinheiro em conexão com o fim da bolsa.

*Traduzido com autorização do Decrypt.

VOCÊ PODE GOSTAR
Policiais federais fotografados de costas

PF e Receita Federal caçam grupo suspeito de lavagem de dinheiro com criptomoedas

Policiais federais e auditores-fiscais se mobilizaram em quatro estados para cumprir mandados de prisão, busca e apreensão em um esquema de importações ilegais
elon musk

Elon Musk, superfã da Dogecoin, diz que nunca discutiu sobre cripto com Donald Trump

Em meio à mudança do ex-presidente dos EUA para abraçar as criptomoedas, o CEO da Tesla nega uma notícia que diz que eles conversaram sobre políticas de criptoativos
moeda cardano ADA com graficos ao fundo

Charles Hoskinson diz que hard fork ‘Chang’ será marco na história da Cardano

Agendado para este mês de junho, a atualização Chang levará a Cardano para a versão 9.0
Imagem da matéria: Manhã Cripto: Bitcoin começa semana em alta e volta a buscar faixa de US$ 70 mil

Manhã Cripto: Bitcoin começa semana em alta e volta a buscar faixa de US$ 70 mil

Bitcoin abre o primeiro dia útil da semana em forte alta: valorização de 2,5% nas últimas 24 horas, cotado em US$ 69.107