Imagem da matéria: FTX questiona cobrança de US$ 24 bilhões em impostos e diz que não terá como pagar vítimas do seu colapso
Foto: Shutterstock

A falida exchange de criptomoedas FTX afirmou em um documento no último domingo (10) que a Receita Federal dos Estados Unidos (IRS) precisa mostrar como fez os cálculos do processo em que cobra US$ 24 bilhões da empresa em impostos não pagos. Para os advogados, a única função dessa cobrança é tirar dinheiro das vítimas do colapso da companhia.

O processo contesta o valor cobrado e alerta que caso a Justiça americana aceite o valor pedido pela Receita, as vítimas da fraude da FTX não conseguirão receber nenhuma grande quantia de volta. A massa falida da FTX diz que não deve nenhum valor em impostos.

Publicidade

Durante sua existência, a antiga exchange nunca distribuiu dividendos ou lucros e “nunca ganhou nada próximo a quantias que pudessem sustentar as reivindicações do IRS de US$ 24 bilhões em impostos”, disseram os advogados no documento. Pelo contrário, a FTX perdeu uma grande quantidade de dinheiro, acrescentaram.

“A única fonte de recuperação para o IRS é retirar das recuperações das vítimas. Como não há base para reivindicar qualquer reclamação fiscal contra os devedores, a confiança do IRS em seus próprios processos serve apenas para atrasar as distribuições aos verdadeiramente feridos”, os advogados argumentaram no processo.

Quando a briga começou, em abril, a Receita chegou a pedir cerca de US$ 44 bilhões em impostos devidos pela empresa, valor que foi ajustado para US$ 43 bilhões em setembro. Foi só no mês passado que o IRS decidiu reduzir o pedido para US$ 24 bilhões.

A Receita afirma que essa quantia está relacionada a impostos de renda, impostos trabalhistas e multas devidas pela FTX e suas entidades afiliadas de 2018 a 2022. Ainda não é um valor final porque o IRS não terminou uma auditoria.

Publicidade

A FTX chamou a afirmação de “absurda e sem mérito”. Tanto a FTX quanto a empresa de contabilidade EY responderam a mais de 2.300 solicitações de informações do IRS e forneceram quase todos os documentos solicitados pelo IRS, exceto alguns que serão fornecidos até 15 de janeiro de 2024, diz o documento.

O IRS diz que tem a presunção de correção e que a obrigação de provar qual o valor correto é da FTX. Os advogados da exchange chamaram isso de “argumento Alice no País das Maravilhas” e que não tem respaldo na lei.

A FTX ainda insiste que um cronograma sugerido deve ser aprovado para evitar “atrasar indefinidamente as distribuições às vítimas”. A próxima audiência sobre o caso de falência da FTX está marcada para quarta-feira (13).

You May Also Like
Imagem da matéria: Manhã Cripto: Bitcoin (BTC) estaciona em US$ 52 mil em meio a apostas de novas máximas; Reino Unido quer regular stablecoins em 6 meses

Manhã Cripto: Bitcoin (BTC) estaciona em US$ 52 mil em meio a apostas de novas máximas; Reino Unido quer regular stablecoins em 6 meses

Bitcoin opera com leve queda na manhã desta terça-feira (20), enquanto o Ethereum teve avanço modesto, ainda abaixo de US$ 3 mil
Bandeira com o logotipo da Coinbase se mov eao ar l ivre

Coinbase apoia ETF de Ethereum da Grayscale: ‘Virtualmente idêntico a ETFs de Bitcoin’

Citando a configuração técnica e a capitalização de mercado do Ethereum, a Coinbase acredita que a SEC deveria aprovar um ETF spot de ETH
Popó em entrevista no Flow podcast

Popó comemora prisão de donos da Braiscompany: “Melhor presente de 2024”

O boxeador investiu R$ 1,2 milhão na pirâmide financeira de Antônio Neto Ais e Fabrícia Campos
Arte digital mostra mãos operando um celular que projeta moedas

Token Ribus atinge aumento de 1500% em volume de negociação

Movimentação no Mercado Bitcoin passou de R$ 451 mil em dezembro para R$ 11 milhões em fevereiro