Imagem da matéria: Exchange de derivativos com bitcoin e criptomoedas EMX abre escritório no Brasil
Foto: Shutterstock

O mercado cripto brasileiro vai ganhar um novo integrante nas próximas semanas. A plataforma global de derivativos EMX abriu um escritório no Brasil e aguarda pendências burocráticas para iniciar operações formais no país.

Desde maio de 2019, usuários da maior parte dos países (incluindo o Brasil) podem depositar bitcoin e outras criptomoedas e negociar contratos oferecidos pela exchange.

Publicidade

A gestão do escritório brasileiro da EMX, localizado em São Paulo, fica com Rafael Noguerol, que antes era gerente de comunidade e crescimento da empresa.

Segundo ele, a meta no país é expandir as operações e base de clientes, e abrir uma mesa de negociação balcão (OTC).

“Desde minha entrada traduzimos a plataforma, disponibilizamos suporte ao cliente em língua portuguesa, listamos dois contratos do mercado tradicional brasileiro (BRAZIL-60 & USDBRL) e agora com o escritório no Brasil esperamos aumentar nossa base de clientes e lançar nossa mesa de negociação OTC, para também facilitar a entrada de clientes locais na plataforma global”.

O produto citado por Noguerol está disponível no Brasil desde novembro passado e permite negociar o Índice Bovespa (IBOV) da bolsa de valores brasileira — B3 — utilizando bitcoin (BTC) com o garantia.

Publicidade

Halving e aquecimento do mercado

Noguerol não cita números, mas ressalta que o Brasil foi responsável por uma parte relevante do volume global da EMX nos últimos meses.

Essa movimentação, somada a uma expectativa de valorização do bitcoin devido ao halving previsto para maio, animam o representante da EMX quanto ao mercado brasileiro.

“Temos boas expectativas com a operação brasileira, inclusive por já termos clientes no país e por ser ano de halving, que olhando o passado é um período que o mercado sempre ‘esquenta’. A competição está cada vez maior, mas isso é bom pois obriga o mercado a amadurecer e se profissionalizar”.

A EMX foi fundada em 2017 por Jim Bai, ex-Citigroup, e Craig Austin, ex-AQR Capital Management, e está registrada na ilha de Bermuda. Lançou seu produto ao mercado em 2019 e recebeu US$ 1 milhão em investimento da Bain Capital Ventures e de Jaan Tallinn, cofundador do Skype.

VOCÊ PODE GOSTAR
Michaël van de Poppe em vídeo no Youtube

“É hora de investir em altcoins como Ethereum além do Bitcoin”, diz Michaël van de Poppe

Citando o Ethereum com uma das opções, o analista diz que o mercado de altcoins já passou por correção e que a tendência agora é de alta
CEO do MB Reinlado Rabelo em evento da CVM na USP

“A Bolsa é sim lugar de startups”, diz CEO do Mercado Bitcoin em evento da CVM

Reinaldo Rabelo participou do evento do “Tecnologia e Democratização dos Mercados de Capitais no Brasil”
Imagem da matéria: Manhã Cripto: Ethereum (ETH) decola 20% com expectativa para aprovação de ETFs nos EUA

Manhã Cripto: Ethereum (ETH) decola 20% com expectativa para aprovação de ETFs nos EUA

A animação dos investidores fez aumentar em 219% o volume de negociação do Ethereum nas últimas 24 horas
Imagem da matéria: Manhã Cripto: Bitcoin abre semana em alta de 2,8%; Grandes investidores do Japão e EUA ganham exposição ao BTC

Manhã Cripto: Bitcoin abre semana em alta de 2,8%; Grandes investidores do Japão e EUA ganham exposição ao BTC

Wells Fargo dos EUA e a Metaplanet do Japão anunciaram novos investimentos no Bitcoin