Imagem da matéria: Ex-diretor da Coinbase que apostou em Bitcoin a R$ 1 milhão lança fundo para anarcocapitalistas
Balaji Srinivasan, ex-CTO da Coinbase (Foto: Wikipédia)

Após ser notícia por meses no início do ano ao apostar que o Bitcoin atingiria US$ 1 milhão em 90 dias, o empresário e ex-diretor da Coinbase, Balaji Srinivasan, volta aos holofotes. Agora, ele está liderando um fundo de investimento que tem como objetivo criar uma sociedade anarcocapitalista, conforme anunciou no X.

A empreitada tem forte conexão com o mundo cripto, já que entre os financiadores estão os bilionários da Coinbase, incluindo o CEO, Brian Armstrong, bem como Fred Wilson, membro do conselho da corretora que vendeu suas ações por US$ 1,8 bilhão após o IPO.

Publicidade

O fundo se chama “Network States” e se orienta pela seguinte concepção de mundo: o Ocidente teria entrado em declínio pelo excesso de intervenção estatal, mas esse estágio pode ser superado com a Internet, o Bitcoin e o avanço de novas formas sociais, com propriedades privadas e sem Estado. 

Ao apresentar a ideia, Balaji afirma que o fundo terá como guia os”valores da Internet”, como projetos open source e uma lógica de comunidade “peer to peer”. 

O valor mínimo para investir é US$ 10 mil (R$ 49 mil). “Invista apenas se sua situação financeira for sólida. Eu tenho capital suficiente de outras fontes. E esse são investimentos de risco e de longo prazo”, afirma.

Balaji diz que irá investir em startups que promovem sociedades alternativas e “network states”. Dois exemplos são a área Culdesac, em Tempe, no estado do Arizona (EUA) onde entidades privadas estão criando uma cidade onde é proibida a circulação de carros; e Próspera, em Honduras, cidade privada criada pelo bilionário Peter Thiel, que ganhou status de “zona econômica especial” e tem polícia e leis próprias. 

Publicidade

Aposta errada volta para assombrar

Em março deste ano, Balaji fez uma aposta de que em 90 dias o Bitcoin estaria valendo US$ 1 milhão a unidade. Isso não ocorreu e o empresário teve que pagar US$ 500 mil para James Medlock, o apostador na outra ponta.

Na época da aposta, em meio às falências bancárias nos EUA, Medlock escreveu: “Aposto 1 milhão de dólares com qualquer um que os EUA não entram na hiperinflação”. Em resposta, Balaji disse: “Se o BTC valer mais de US$ 1 milhão em 90 dias, eu ganho”.

Agora, com seu novo fundo, Balaji se vê tendo que lidar com a previsão que foi tão espalhafatosa quanto errada. O usuário do X, @badenglishtea, apontou as taxas de remuneração como gestor do fundo e disse: “Dê para o cara que apostou Bitcoin a US$ 1 milhão em 90 dias o seu dinheiro. Você toma o risco e ele fica com o lado bom”.

VOCÊ PODE GOSTAR
Ilustração mostra sinal triangular de alerta vermelho e anzol simulando golpe de phishing

Compound, um dos maiores serviços DeFi, tem site invadido por hackers

O site da Compound Finance foi substituído por uma página de phishing que tenta roubar criptomoedas dos clientes
Imagem da matéria: As maneiras mais loucas que os jogadores estão usando para ganhar mais no Hamster Kombat

As maneiras mais loucas que os jogadores estão usando para ganhar mais no Hamster Kombat

De pistolas de massagem a máquinas de costura, os jogadores estão pensando em maneiras malucas e criativas de otimizar seus toques no Hamster Kombat
Imagem da matéria: Polícia apreende R$ 100 mil em mineradoras de criptomoedas dentro de carro no Paraná

Polícia apreende R$ 100 mil em mineradoras de criptomoedas dentro de carro no Paraná

As mineradoras de criptomoedas estavam em um carro modelo Onix que foi abordado pelos policiais durante a Operação Protetor
Imagem da matéria: PF derruba quadrilha que enviou R$ 1,6 bilhão para exterior com uso de criptomoedas e doleiros

PF derruba quadrilha que enviou R$ 1,6 bilhão para exterior com uso de criptomoedas e doleiros

Estima-se que foram importados para o país mais de 500 mil telefones celulares pela organização criminosa nos últimos cinco anos