Imagem da matéria: ETF de criptomoedas que será vendido pelo Itaú levanta R$ 615 milhões
Foto: Shutterstock

O primeiro ETF de criptomoedas do Brasil arrecadou R$ 615 milhões em sua primeira emissão, segundo comunicado divulgado pela gestora Hashdex na manhã desta sexta-feira (23).

O montante é quase três vezes maior do que o valor mínimo pretendido pela empresa, que era de R$ 250 milhões.

Publicidade

No total, foram emitidos 28.358 pedidos de reserva do novo produto financeiro e 12.305.014 cotas. O preço de cada uma das cotas foi R$ 47,02.

O ETF, que recebeu sinal verde da Comissão de Valores Mobiliários (CVM) em março, ficará disponível para o mercado secundário da Bolsa de Valores e de Balcão na segunda-feira (26), sob o ticker HASH11.

O lançamento do produto foi coordenado pelo Banco Genial, BTG Pactual e Itaú, que apesar de entrar agora no mercado de criptomoedas, vive ’em pé de guerra’ com corretoras de bitcoin.

Na quarta-feira (14), o diretor de produtos do banco, Eric Altafim, disse durante o podcast Investidor em Foco que os correntistas do Itaú Personnalité poderão investir — por meio de sua plataforma — no primeiro ETF de criptomoedas do Brasil, da gestora Hashdex.

Publicidade

O ETF, que é um fundo de investimentos cujas cotas são listadas para negociação numa bolsa de valores, tenta replicar a perfomance de algum índice. No caso do HASH11, o índice é o Nasdaq Crypto Index (NCI), desenvolvido pela Nasdaq em parceria com a Hashdex.

Além de criptomoedas, o Brasil em breve também terá um ETF de bitcoin da QR Asset Management, gestora de recursos da holding QR Capital.

VOCÊ PODE GOSTAR
simbolo do dolar formado em numeros

Faculdade de Direito da USP recebe evento da CVM sobre democratização dos mercados de capitais

Centro de Regulação e Inovação Aplicada (CRIA) da CVM vai a “Tecnologia e Democratização dos Mercados de Capitais no Brasil” com transmissão ao vivo no Youtube
moeda de bitcoin dentro de armadilha selvagem

CVM faz pegadinha e descobre que metade das pessoas cairia em golpe com criptomoedas

Junto com a Anbima, a entidade criou um site de uma empresa fictícia que simulava a oferta de investimentos com lucros altos irreais
Imagem da matéria: Justiça nega pedido de liberdade para PM acusado de vender armas ao "Faraó do Bitcoin"

Justiça nega pedido de liberdade para PM acusado de vender armas ao “Faraó do Bitcoin”

Réu é acusado de ser responsável pela segurança do criador da GAS Consultoria e vender armas para a organização criminosa
busto de homem engravatado simulando gesto de pare

CVM proíbe corretora de criptomoedas e forex de captar clientes no Brasil

O órgão determinou, sob multa diária de R$ 1 mil, a imediata suspensão de qualquer oferta pública de valores mobiliários pela Xpoken