Imagem da matéria: Estados Unidos impõe sanções contra corretora de criptomoedas
Foto: Shutterstock

Vocês se lembram quando o presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, jurou ir atrás dos autores de ransomwares? Não só está acontecendo, como está atingindo com força o ecossistema das criptomoedas.

O Escritório de Controle de Ativos Estrangeiros, uma agência do Departamento do Tesouro dos Estados Unidos, colocou a corretora Chatex na sua lista de empresas sancionadas, junto com mais três companhias que supostamente forneceram infraestrutura —IZIBITS OU, da Estônia; Chatextech SAI, da Letônia; e Hightrade Finance, das ilhas São Vicente e Granadinas.

Publicidade

Também estão envolvidos no caso um ucraniano e um russo que supostamente teriam coordenado os ransomwares.

Ransomware é um ataque no qual os hackers usam um software para controlar computadores e redes e deixar os donos sem acesso; os criminosos então pedem um pagamento, geralmente em forma de Bitcoin ou da criptomoeda privada Monero, para restaurar o acesso às vítimas.

“Análises de transações da Chatex indicam que mais da metade são diretamente ligadas a atividades ilícitas ou de alto risco como mercado marginal da internet e ransomwares”, disse o Departamento do Tesouro por meio de um comunicado à imprensa nesta segunda-feira (8).

O Departamento do Tesouro afirma que a Chatex, que viabiliza trocas “peer to peer” (ponto a ponto) via Telegram, tem “ligações diretas” com a Suex, exchange que que sofreu sanções no dia 21 de setembro por facilitar o pagamento para hackers.

As sanções significam que qualquer ativo da Chatex nos Estados Unidos está bloqueado e que todo cidadão americano e empresa do país estão proibidos de fazer negócios com a companhia e entidades afiliadas a ela.

Publicidade

Os governos da Letônia e da Estônia já suspenderam os registros das empresas envolvidas.

A agência governamental dos EUA também impôs sanção ao ucraniano Yaroslav Vasinskyi e ao russo Yevgeniy Polyanin. Este último é acusado de desenvolver o ransomware que atacou a Kaseya. O Departamento do Tesouro acredita que ambos estão envolvidos com a Sodinokibi/REvil, um grupo de hackers do leste europeu que já obteve mais de US$ 200 milhões em Bitcoin e Monero em pedidos de resgate.

Essa é uma grande parte do total de US$ 590 milhões que o governo relatou já terem sido pagos em ransomwares.

“Grupos de ransomware e organizações criminosas têm como alvo empresas americanas e instituições públicas de todos os tamanhos e setores, buscando minar a espinha dorsal de nossa economia”, escreveu o secretário adjunto do Tesouro Wally Adeyemo, antes de concluir: “Esta é uma das principais prioridades para o administração de Biden”.

*Traduzido e editado com autorização do Decrypt.co.

VOCÊ PODE GOSTAR
Moedas de bitcoin sob mesa escura com sigal ETF

ETFs de Bitcoin voltam a ter entradas líquidas com fluxo de US$ 101 milhões

ETFs de Bitcoin tiveram dois dias de saídas e voltaram a ter fluxo positivo com uma retomada do ânimo do mercado após dados de inflação nos EUA
Ilustração mostra mãos robótica segurando moeda de Bitcoin

Criptomoedas e IA podem adicionar US$ 20 trilhões ao PIB global até 2030, diz Bitwise

Analista da Bitwise avalia que existe um grande potencial de sinergia entre protocolos de criptomoedas e soluções envolvendo inteligência artificial
Imagem da matéria: IA e mineração de Bitcoin vão obrigar rede elétrica do Texas a crescer mais que o previsto

IA e mineração de Bitcoin vão obrigar rede elétrica do Texas a crescer mais que o previsto

CEO da ERCOT, que controla a rede elétrica do Texas, disse que nos próximos seis anos a capacidade do estado vai precisar praticamente dobrar
Desenho de uma caixa sustentada por paraquedas

ZkSync fará airdrop de 3,7 bilhões de tokens ZK nas carteiras dos usuários na próxima semana

Não haverá período de bloqueio para o airdrop da comunidade, mas a distribuição foi limitada a 100 mil tokens por carteira