Montagem com imagens de bunners espalhados em cidades da Alemanha
(Reprodução/X)

Várias cidades da Alemanha têm se deparado com uma campanha pró-Bitcoin de uma comunidade engajada em propagar conhecimento sobre a maior criptomoeda do mundo.

A iniciativa é do “Einundzwanzig” (“vinte e um” em tradução para o português), que lançou um site e um podcast sobre o mercado cripto. Acerca do nome, trata-se de uma referência aos 21 milhões de Bitcoin que podem ser minerados.

Publicidade

O Einundzwanzig usa um slogan muito parecido com os da indústria cripto, que é “dinheiro saudável” — “Gesundes-geld“ em alemão e “Healthy money” em inglês. No entanto, a frase mais comum é “dinheiro da liberdade”, ou “freedom money”.

A campanha vem se espalhando em centros comerciais, pontos de ônibus, dentre vários lugares estratégicos. São outdoors, cartazes, telas eletrônicas e vários avisos relacionados ao Bitcoin. A ação inclusive já pegou uma parte da vizinha alemã, Áustria.

“Dinheiro saudável, mundo melhor”, dizem os banners e praguinhas fixados pelas ruas de Buchholz e Dortmund, por exemplo. “Feliz Dia do Gênesis”, diz outro painel em referência ao primeiro bloco de Bitcoin minerado por Satoshi Nakamoto em 03 de janeiro de 2009.

A ação, contudo, se concentra na grande vilã do mercado global, a inflação, para chamar a atenção para uma potencial solução através do Bitcoin que, apesar de sua volatilidade, vem gradativamente ao longo dos anos se provando como reserva de valor, assim como o ouro.

Publicidade

Dinheiro livre, diz um painel.

Outras imagens espalhadas pelo X mostram que postes também foram usados para adesivos conhecidos como “praguinha”.

Informações no site da entidade afirmam que em pelo menos 150 cidades de língua alemã têm recebido encontros gratuitos com grupos regionais onde discutem apenas os tópicos sobre Bitcoin e educação financeira.

“A troca é totalmente gratuita e ninguém quer vender nada para você. Somos apenas pessoas normais”, diz o Einundzwanzig.

Alemanha e as criptomoedas

A ocasião é propícia para se ter uma ideia do quanto vem crescendo a comunidade Bitcoin na Alemanha e da necessidade de conscientizar sobre os benefícios, desafios e conceitos básicos relacionados à criptomoeda pioneira, comenta o site Criptonoticias.

A Alemanha é um dos países pioneiros do Bitcoin. No primeiro trimestre do ano passado, por exemplo, o país desbancou Singapura e se tornou o país mais amigável para o mercado de criptomoedas, de acordo com um estudo da Coincub Global Crypto Ranking na época.

VOCÊ PODE GOSTAR
Imagem da matéria: História indica que 3º trimestre é o pior para o Bitcoin, mas será que 2024 vai surpreender?

História indica que 3º trimestre é o pior para o Bitcoin, mas será que 2024 vai surpreender?

Terceiro trimestre é historicamente o período de menor ganho para o Bitcoin, mas uma possível queda de juros nos EUA pode mudar o cenário em 2024
Moedas de bitcoin empilhadas em formato de torre

Alta do Bitcoin vai além de Trump e fundamentos mostram possível forte recuperação, diz analista

Beto Fernandes, analista da Foxbit, afirma que os próprios fundamentos do Bitcoin explicam a valorização e ressalta relação oferta e demanda
Imagem da matéria: De “Bitcoin é uma fraude” a candidato cripto: como Trump mudou para agradar investidores

De “Bitcoin é uma fraude” a candidato cripto: como Trump mudou para agradar investidores

O ex-presidente dos EUA já chamou o Bitcoin de fraude, mas agora se aproxima do setor cripto para angariar votos
Imagem da matéria: Manhã Cripto: Bitcoin sobe acima de US$ 58 mil à medida que ETFs voltam a atrair investidores

Manhã Cripto: Bitcoin sobe acima de US$ 58 mil à medida que ETFs voltam a atrair investidores

Os ETFs de Bitcoin à vista negociados nos EUA captaram US$ 654,3 milhões entre os dias 5 e 9 de julho