bitcoin
Foto: Shutterstock

Conforme o Banco Central dos EUA (Fed) despeja trilhões de dólares na economia americana para combater a crise do coronavírus, as criptomoedas estão se tornando cada vez mais atraentes para os investidores institucionais, de acordo com Richard Byworth, CEO da Diginex, empresa de serviços financeiros digitais com sede em Hong Kong.

Byworth argumenta que os planos do Fed de imprimir dinheiro, juntamente com as incertezas políticas em torno da próxima eleição presidencial, podem levar os investidores a buscar ativos digitais como forma de proteger suas carteiras.

Publicidade

“Acho que chegamos a um ponto com os bancos centrais em que não há como reverter”, disse Byworth em entrevista ao Forkast.News. “Obviamente, Trump quer ser reeleito, ele não vai deixar o Fed parar de facilitar ou imprimir dinheiro – então, quando você olha para o Bitcoin como um ativo digital escasso, isso é algo que está realmente começando a criar consciência em torno dos investidores que procuram proteger seu portfólio.”

Recentemente, o Fed delineou planos para buscar as taxas de juros baixas de anos, perseguindo ativamente uma inflação mais alta enquanto tenta recuperar o nível de atividade econômica de antes de pandemia; declarações anteriores do Fed e economistas apontam que uma taxa de “inflação média” de mais de 2% ao ano seria tolerável.

Bom para Bitcoin, ruim para o dólar

Investidores conhecidos como Paul Tudor Jones e Tim Draper têm sido otimistas quanto ao crescimento das criptomoedas, e Draper chegou a apostar que o preço do Bitcoin poderia subir para US$ 250.000 em 2023.

“Acho que o caminho para chegar a um preço de US$ 250.000 seria uma significativa desvalorização do preço em dólar”, disse Byworth. “Eu acho que pode chegar lá se o Fed continuar no caminho da perda de controle da impressora … de minha própria perspectiva, vejo um preço muito mais alto de onde estamos hoje, mesmo nos próximos seis meses.”

Publicidade

A maior mudança no ano passado, afirma Byworth, foi a introdução de produtos futuros de criptomoedas em diversas bolsas. “Isso realmente fez o crescimento do mercado de derivativos sair de um estágio muito inicial para onde estamos hoje”, explicou ele.

O investimento institucional em ativos digitais como Bitcoin cresceu apesar da pandemia do coronavírus; na maior empresa de gerenciamento de ativos digitais do mundo, Grayscale Investment, os fundos de investimento de ativo único para Bitcoin e Ethereum totalizaram US$ 3,5 bilhões e US$ 410 milhões em julho, respectivamente.

*Traduzido e republicado com autorização da Decrypt.co
VOCÊ PODE GOSTAR
Donald Trump posa para foto em evento político nos EUA

Trump cobrará R$ 5 milhões de quem quiser dividir mesa com ele em evento de Bitcoin

Uma foto com Trump também custará caro aos participantes, indo de R$ 330 mil a R$ 550 mil
Fachada de um prédio da BlackRock na Califórnia, EUA

Investidores seguem confiantes no Bitcoin e ETF da BlackRock tem maior captação desde março

Desde março o ETF de Bitcoin à vista da BlackRock não captava mais de R$ 2,9 bilhões em um único dia
Imagem da matéria: "Buy Bitcoin": 7 anos atrás, estagiário dizia para o mundo comprar Bitcoin no Congresso dos EUA

“Buy Bitcoin”: 7 anos atrás, estagiário dizia para o mundo comprar Bitcoin no Congresso dos EUA

Quem seguiu o conselho tomou uma sábia decisão: o Bitcoin valorizou 2.321% desde então, indo de US$ 2.387 para US$ 57.801
Imagem da matéria: 5 fatores que podem levar o Bitcoin a US$ 100 mil até o fim de 2024

5 fatores que podem levar o Bitcoin a US$ 100 mil até o fim de 2024

Apesar da recente queda do mercado de criptomoedas, vários catalisadores oferecem uma oportunidade para os investidores de longo prazo que buscam um alívio