Imagem da matéria: Empresa brasileira lança pool de mineração de ethereum, sofre ataque mas retoma atividades
Foto: Shutterstock


No final do mês passado, o Brasil ganhou sua primeira pool de mineração de Ethereum, a Garimpool. Pool é o nome que se dá a grupos de mineradores que decidem unir seus ‘poderes computacionais’ para quebrar blocos e dividir a recompensa da atividade.

O projeto foi lançado pelos brasileiros Bruno Kauf e Mayron Muylaert — ambos entusiastas das criptomoedas e com experiência na área de tecnologia — e mais três sócios.

Publicidade

“Fiz uns cursos de tecnologia no Vale do Silício, na Califórnia (EUA), onde eu morava, e voltei de lá com essa ideia de montar um grupo de mineração”, disse Kauf ao Portal do Bitcoin.

Menos de uma semana após ser lançada, a plataforma atraiu cerca de 400 mineradores e ficou entre as 40 maiores do mundo, segundo o site MiningPoolStats.

Até o último final de semana, quatro blocos tinham sido mineradores, cada um variando entre US$ 8 mil e US$ 12 mil, disse Kauf.

Mas aí veio o problema.

Na segunda-feira (3), a pool foi atacada e saiu do ar. Uma mensagem foi fixada no site, garantindo que os fundos dos mineradores estavam seguros. Havia 1,51 Ether – cerca de US$ 5.100 – para ser distribuído, segundo Kauf. Alguns youtubers e mineradores começaram a ser perguntar se o negócio todo não passava de algum tipo de golpe.

Publicidade

Na manhã da quinta-feira (5), no entanto, a plataforma foi restabelecida. De acordo com Kauf, o site sofreu uma tentativa malsucedida de ataque em conjunto com um DDOS. Em resumo, um DDOS é um tipo de ‘investida virtual’ que sobrecarrega o sistema e deixa os servidores indisponíveis.

“Fizemos testes de segurança e trabalhamos muito para retornar as operações da Garimpool. Crescemos muito rápido e atraímos pessoas boas e ruins. Temos suspeitas de quem atacou a gente, mas não podemos falar”, disse Kauf.

Na sexta-feira (7), a plataforma voltou a figurar entre as top 40 pools do mundo e a ter pouco mais de 400 mineradores. Um deles é o youtuber Denny Torres, que mantém um canal sobre mineração caseira no Youtube.

Em vídeo publicado nesta semana, Denny disse que uma pool nova e pequena, por ainda ter poucos mineradores, leva mais tempo para minerar um bloco de Ethereum e distribuir o lucro nas wallets.

Publicidade

Por outro lado, falou ele, como há menos participantes, o prêmio pago a eles após a descoberta do bloco é maior do que em uma pool maior.

VOCÊ PODE GOSTAR
Homem aponta controle para TV que emerge imagens em 3D

‘TV 3.0’ que chegará ao Brasil em 2025 vai precisar de internet ou conversor? Entenda

Novo sistema de transmissão para TVs promete enviar som e imagem com qualidades maiores, além de maior interatividade com o espectador
homem segura com duas mãos uma piramide de dinheiro

Polícia do RJ investiga grupo acusado de roubar R$ 30 milhões com pirâmide financeira

Para ganhar a confiança dos investidores, a empresa fraudulenta fazia convites para assistir jogos de futebol em camarote do Maracanã
criptomoedas, criptoativos, regulação, Brasil, projeto de lei

Quase 80% dos brasileiros desejam mais regulamentação em cripto, aponta pesquisa

Pesquisa que abrangeu América Latina teve 827 respondentes no Brasil, entre usuários e não usuários de criptomoedas
Tela de celular mostra logo da Comissão de Valores Mobiliários do Brasil CVM

CVM ganhou R$ 832 milhões com multas aplicadas em 2023, um aumento de 1.791%

A autarquia também registrou o maior número de casos julgados desde 2019