Imagem da matéria: Dominância do bitcoin cai para menos de 50%, menor nível em três anos
(Foto: Shutterstock)

A dominância do bitcoin no mercado de criptomoedas caiu nesta quinta-feira (22) para o nível mais baixo desde agosto de 2018.

Enquanto os dados do CoinMarketCap apontam que o ativo representa 49,5% do valor total do setor, o CoinGecko mostra uma porcentagem ainda menor de 47,7%.

Publicidade

Isso quer dizer que o bitcoin representa agora pouco menos da metade de toda capitalização de mercado total das criptomoedas. 

Atualmente, o valor dos seis mil criptoativos juntos é de US$ 2,14 trilhões. Sozinho, o BTC corresponde a US$ 1,04 trilhão desse valor, seguido pelo Ethereum com US$ 303 bilhões.

Isso acontece em um momento em que o bitcoin não desempenha tão bem quanto as altcoins. Enquanto a moeda é negociada em queda de 4% a US$ 53 mil, o Ethereum está na sua melhor fase. Hoje o ETH conquistou um novo recorde de preço de US$ 2.641.

A dominância do ether subiu para 14,4%, mas ainda não superou os níveis de junho de 2017 quando ele quase passou o bitcoin. Naquela época, a dominância do Ethereum chegava a 34%, enquanto a porcentagem do BTC era 39%.

Publicidade

Altseason no horizonte?

Com a dominância do BTC caindo para menos de 50%, o momento é propício para uma temporada de altcoins.

O indicador Altcoin Season Index afirma que uma altseason é quando 75% das 50 moedas têm um desempenho melhor do que o bitcoin na última temporada (90 dias).

O cenário se confirma já que entre os 50 maiores ativos do mercado, o desempenho do BTC só não é superado por CEL e SNX. Ou seja, 48 criptomoedas valorizaram mais do que o bitcoin nos últimos três meses. 

Dogecoin fica em primeiro lugar com a maior alta neste período de 3,351%, seguida por PancakeSwap (3,166%) e Chiliz (2,599%).

O Ethereum vem na 39º posição com uma alta de 116% na temporada, enquanto o bitcoin está em 48º com ganhos de 68%.

Publicidade

Enquanto muitos projetos se mostram fortes para crescer de forma independente, o BTC passa por uma fase de correção que se estende desde domingo (18). 

A rede da maior criptomoeda do mundo está congestionada, com mais de 200 mil transações aguardando confirmação. Enquanto isso, as taxas nunca estiveram tão caras como agora, chegando a custar R$ 340.

VOCÊ PODE GOSTAR
Imagem da matéria: Ministério Público contrata empresa para rastrear transações com criptomoedas

Ministério Público contrata empresa para rastrear transações com criptomoedas

Segundo o MPF, contratação é para “sistema de identificação, monitoramento, rastreamento, pesquisa e análise de transações eletrônicas com uso de criptomoedas”
Imagem da matéria: FIT21: Conheça o projeto de lei que promete transformar a regulação das criptomoedas nos EUA

FIT21: Conheça o projeto de lei que promete transformar a regulação das criptomoedas nos EUA

Aprovado na Câmara esta semana, o projeto FIT21 visa regular o setor de criptomoedas dando segurança para consumidores e estimulando empreendedores
Imagem da matéria: Mercado Bitcoin anuncia três novas listagens: BVM, RIO e AEVO

Mercado Bitcoin anuncia três novas listagens: BVM, RIO e AEVO

As novidades ampliam as opções de investimento na plataforma que já somam mais de 220 ativos
Imagem da matéria: Ethereum tem melhor sequência de alta em 3 anos e pode saltar 60% se ETF for aprovado, dizem analistas

Ethereum tem melhor sequência de alta em 3 anos e pode saltar 60% se ETF for aprovado, dizem analistas

Se a SEC aprovar os pedidos de ETF de Ethereum nesta quinta-feira, enviará um sinal positivo que pode levar o ativo a disparar, assim como ocorreu com o Bitcoin em janeiro