Imagem da matéria: Dificuldade de mineração do bitcoin sobe pela oitava vez desde proibição na China
Foto: Shutterstock

Está ficando cada vez mais difícil minerar bitcoin (BTC), pois a dificuldade da rede aumentou novamente nesse domingo (31). Dessa vez, subiu 7,85% desde o último ajuste.

De acordo com dados da BTC.com, esse foi o oitavo aumento consecutivo desde julho e o segundo maior desde agosto, conforme a dificuldade ultrapassou US$ 21,6 trilhões.

Publicidade

A mineração de bitcoin é o processo de criar novas moedas ao solucionar quebra-cabeças matemáticos e complexos com a ajuda de software específico instalado no computador dos usuários.

Mineradores competem entre si para verificar transações e acrescentá-las ao blockchain, obtendo recompensas por seus esforços e recursos gastos.

Por sua vez, a dificuldade de mineração de bitcoin é uma medida de quão difícil é minerar novas moedas. Quanto mais difícil, mais poder computacional é necessário para encontrar novos blocos.

A dificuldade atingiu uma alta recorde de 25,05 trilhões em maio de 2021 antes de despencar para uma queda anual de 13,67 trilhões em junho, quando a China (historicamente, um dos países mais importantes do mundo para a mineração de bitcoin e de outras moedas) implementou uma proibição à mineração de criptomoedas.

Imagem: BTC.com

Da mesma forma, a taxa de hashes do Bitcoin (uma medida que rastreia o número de cálculos sendo feito por segundo) também está crescendo nos últimos meses.

Publicidade

De acordo com dados da Blockchain.com, a taxa de hashes da rede ultrapassou 159 TH/s no domingo (31) e atingiu seu maior nível desde maio deste ano.

Imagem: Blockchain.com

Em meses recentes, a taxa de hashes também se correlacionou bastante com o preço do bitcoin que, em outubro, atingiu uma nova alta recorde de US$ 67.276, segundo o site CoinGecko.

Dados da Bybt.com mostram que outubro foi um mês extremamente bom para investidores de bitcoin, fazendo com que lucrassem 39,93% (o segundo melhor resultado desde outubro de 2017 quando a principal criptomoeda do mercado disparou quase 48%).

Por conta do recente ciclo de alta do bitcoin e do aumento da dificuldade e da taxa de hashes, talvez seja seguro sugerir que a rede está a caminho de se recuperar completamente das consequências da proibição de cripto na China.

Publicidade

Além disso, a ausência da China no mapa mundial de mineração de bitcoin também teve um impacto positivo na descentralização dessa atividade.

Os Estados Unidos garantiram a primeira posição, com uma participação de mais de 35% do mercado, seguidos da Rússia e do Cazaquistão com 18% e 11%, respectivamente.

*Traduzido e editado por Daniela Pereira do Nascimento com autorização da Decrypt.co.

VOCÊ PODE GOSTAR
Moeda do Bitcoin envolta por raios (Lightning Network)

Lightning Labs está trazendo stablecoins para a blockchain do Bitcoin

“Ideia é ter dólares criptografados e stablecoins na blockchain do Bitcoin”, explicou Elizabeth Stark, CEO da Lightning Labs
Imagem da matéria: Investidores aproveitam queda do Bitcoin para acumular ainda mais moedas

Investidores aproveitam queda do Bitcoin para acumular ainda mais moedas

As baleias de Bitcoin compraram avidamente a última queda; investidores de longo prazo agora aguardam a próxima alta para realizar lucros
Anic de Almeida Peixoto Herdy é casada com herdeiro da Unigranrio

Herdeira é sequestrada em Petrópolis e criminosos exigem resgate em Bitcoin

Técnico de informática amigo do casal conversou com sequestradores por entender de criptomoedas e foi preso por suspeita de envolvimento
Moedas de Bitcoin sobre mesa espelhada

Análise: o preço do Bitcoin está novamente sendo ditado pela política do Fed

“Análise dos últimos 40 dias revela uma maior alinhamento com as expectativas de taxa de juros para junho”, diz firma de análises CoinShares