Ilustração de correntes ilustradas com pequenos zeros e uns
Shutterstock

Lançada no dia 28 de março, a Degen Chain tem levantado muita discussão na comunidade de criptomoedas por ser definida como uma blockchain de camada 3. Em quatro dias, ela registrou mais de 7.500 contratos e 2.300 tokens, apesar de boa parte serem fraudes.

Construída usando Arbitrum Orbit, a Degen foi lançada pelo provedor de infraestrutura Syndicate como uma rede especializada de custo ultrabaixo para o token Degen (DEGEN), que se tornou o token comunitário para usuários do serviço de rede social Farcaster Web3. Como o Farcaster é executado na Base, uma rede Ethereum de Camada 2, a Degen Chain é, portanto, uma rede de Camada 3, ou L3.

Publicidade

“Essa é uma ideia de layer trace de cripto. Ou seja, uma camada de escalabilidade construída em cima de outra camada de escalabilidade da Ethereum. Então, o Ethereum seria Layer 1, a Base é a Layer 2, e a Degen, a Layer 3 construída em cima da rede da Base”, explica Rony Szuster, analista do Mercado Bitcoin.

À medida que o Farcaster estabelece novos recordes de atividade de usuário e sua empresa controladora busca uma avaliação de unicórnio, os primeiros adotantes da Degen transformaram pequenos valores em fortunas: um trader que investiu menos de US$ 7 mil no token já obteve mais de US$ 2 milhões em lucro.

Esses ganhos extraordinários não chegam a ser novidade, já que nos últimos meses a febre das memecoins tem levado muitas pessoas a ganharem grandes quantias com essas criptomoedas. Porém, a Degen está se destacando por ser uma das primeiras redes L3 a conseguir uma adoção maior.

Por que a Degen está fazendo sucesso?

Dentre os milhares de tokens criados na rede, o maior por capitalização é o Degen Swap (DSWAP), que foi avaliado em pouco mais de US$ 14 milhões nesta manhã. Mas esse não é o único que já ganhou espaço, o Degen Pepe (DPEPE) tem uma avaliação mais alta, de US$ 23 milhões, mas é uma memecoin sem uso além da especulação.

Publicidade

Outras dezenas de tokens têm capitalização de mercado inferior a US$ 1 milhão e servem principalmente como apostas especulativas.

E apesar dos grandes números, a rede ainda não tinha stablecoins suportadas até a manhã desta segunda-feira (1), e os usuários podem transacionar ou negociar apenas com tokens DEGEN nativos.

O token DEGEN chegou a valer US$ 0,06 nesta manhã, o que representava uma alta de mais de 500% sobre o US$ 0,01 que ele valia na última quinta-feira, quando foi lançado.

Sobre o sucesso, Szuster lembra que esse volume alto de transações e tokens disparando é algo comum em um bull market, que é uma fase que está apenas no início no mercado.

“Isso costuma sempre fazer um rotation dos subsegmentos de cripto que valorizam forte nesse período. A gente viu, por exemplo, uma memecoin com início muito forte acontecendo na Solana no final do ano passado, depois isso migrou para algumas outras redes, como a própria Base, respingando em outras redes principais”, avalia o analista do MB.

Publicidade

Vale participar da Degen?

O barulho da nova rede também vem com críticas. O CEO da Polygon Labs, Marc Boiron, disse em um post no X/Twitter que “os L3s existem apenas para tirar valor do Ethereum e para os L2s nos quais os L3s são construído. Você não precisa de L3s para escalar. E é por isso que o Polygon Labs não funciona em L3s”.

Boiron argumenta que as redes L3 desviam segurança e valor da camada base do Ethereum. “Se todos os L3s se estabelecessem em um L2, então o Ethereum não capturaria basicamente nenhum valor e, portanto, a segurança do Ethereum estaria em risco”, escreveu Boiron.

Já Szuster, do MB, afirma que, do ponto de vista de fundamento de longo prazo, não consegue ver nenhuma utilidade prática para ativos nessa rede. “Nós já vemos, por exemplo, as Layers 2 por si só começando a resolver esse problema de escalabilidade do Ethereum, não tem necessidade do ponto de vista de infraestrutura [existir uma L3], pelo menos não hoje em dia”.

Para ele, esse parece ser um caso de “hype de mercado”, de investidores de varejo entrando de forma irracional em busca de ganhos de curto prazo. “De modo geral, achamos que é um hype momentâneo, algo que vai passar nas próximas semanas, vai diminuir esse volume, essa quantidade de carteiras e trades, e vai surgir alguma outra memecoin que vai tomar esse lugar e esse ciclo vai continuando”, afirma.

VOCÊ PODE GOSTAR
Fachada da GameStop em Tyler no Texas

Memecoin da rede Solana com tema GameStop sobe 1.900% e desperta febre do GME

A memecoin GME decolou na segunda-feira (13), entregando retornos consideráveis, superando os das ações da GameStop
Imagem da matéria: Desenvolvedor da Solana rouba R$ 1,6 milhão de investidores para apostar em jogos de azar

Desenvolvedor da Solana rouba R$ 1,6 milhão de investidores para apostar em jogos de azar

“O que vier a seguir está nas mãos de Deus”, disse o dev após assumir o roubo
Imagem da matéria: Investidores aproveitam queda do Bitcoin para acumular ainda mais moedas

Investidores aproveitam queda do Bitcoin para acumular ainda mais moedas

As baleias de Bitcoin compraram avidamente a última queda; investidores de longo prazo agora aguardam a próxima alta para realizar lucros
Imagem da matéria: O poder dos RWA: executivo explica por que faz sentido tokenizar ativos do mundo real

O poder dos RWA: executivo explica por que faz sentido tokenizar ativos do mundo real

Fabrício Tota, diretor do MB, discutiu no Ethereum Rio como empresas podem tirar o máximo proveito da tecnologia blockchain através da tokenização