Imagem da matéria: "Dono da Lifetycon é um ladrão. As pessoas foram lesadas", diz vereador de São Miguel do Oeste
Vereador Valnir Camilo Scharnoski (PL). Imagem: Reprodução

A Câmara de Vereadores de São Miguel do Oeste, Santa Catarina, aprovou na terça-feira (22) a Moção 2/2022, que provoca o Procon catarinense a avaliar as condutas da suposta empresa de investimentos em criptomoedas Lifetycon, acusada de dar calote em centenas de clientes moradores no município.

O objetivo, segundo o autor do documento, o vereador Valnir Camilo Scharnoski (PL), é que os Procons do município e do estado viabilizem junto à Lifetycon e seu presidente, Eliade Costa, alternativas para pagamento dos valores devidos.

Publicidade

O vereador não poupou críticas a Eliade Costa, a quem chamou de “ladrão”. “As pessoas foram lesadas”, disse.

Durante a discussão, o vereador Vagner Rodrigues dos Passos (PSL) afirmou que o dono da Lifetycon foi de professor de violão a megainvestidor em pouco tempo.

“Que eu saiba ele não tinha experiência no ramo né, pois dava aula de violão. E a empresa dele virou uma megapotência. A última vez que o vi ele estava com quatro seguranças. Então você vê, em três anos, é uma carreira meteórica né”, disse Passos, afirmando que a própria filha teve aulas com Costa. “De professor de violão para megainvestidor. É mega porque se fala milhões né”, ressaltou.

“Até agora, a gente sabe que foram centenas, mas pode ser que chegue a milhares de pessoas que foram enganadas. A não ser que o dono se apresenta com alguma satisfação”, disse.

Eliade Costa, presidente da Lifetycon (Imagem: Reprodução)

Apesar da esperança de que a Lifetycon possa reverter a situação, Passos acredita que quando o Procon começar a avaliar o caso, os investidores que tiverem documentação que comprovem os aportes na empresa podem ter alguma chances de receber dinheiro de volta em um processo.

Publicidade

Vereador criticou quem ajudou a Lifetycon crescer

O autor da Menção, Valnir, também comentou sobre o caso e fez duras críticas àqueles que ajudaram no crescimento do negócio controverso da Lifetycon. Conforme apurou recentemente o Portal do Bitcoin, trata-se de um esquema clássico: a empresa prometia lucros de 5% ao mês, que seriam obtidos com o genérico “investimento em criptomoedas”.

“Contratam pessoas que estão trabalhando em outro local, bem assalariadas; iludiram essas pessoas, contrataram e começaram a vender uma história que eu acho que era meio ilusória”, disse Valnir sobre a Lifetycon, afirmando que também foi procurado para aderir ao negócio.

Ele acrescentou: “Muitas pessoas investiram. Eu acredito que São Miguel do Oeste botou mais de R$ 100 milhões. Isso é um absurdo! Alguém vem aqui, lesa a população, vai embora e ninguém sai procurando”.

Sobre o documento, o vereador disse que as pessoas com problemas na Lifetycon precisam ser assistidas, ajudadas, auxiliadas. “Então a nossa Moção é nesse intuito”, concluiu.

Publicidade

O presidente da Câmara, Vanirto José Conrad (PSD), também fez um comentário com um ditado popular: “Quando a esmola é demais o santo desconfia”.

Eliade Costa e Lifetycon

Eliade Costa aparece promovendo a Lifetycon em vários vídeos no Youtube com a frase-chave “a evolução da economia”, usada em suas palestras sobre o tema.

Em um dos vários vídeos postados no Youtube, Costa aparece recebendo agradecimento da Polícia Militar de Chapecó, também Município de Santa Catarina, por uma doação feita pela da Lifetycon que proporcionou a compra de várias armas para a corporação.

VOCÊ PODE GOSTAR
criptomoedas caindo no fogo

Volume de negociação em corretoras de criptomoedas cai pela 1ª vez em 7 meses

Análise aponta que guerra no Oriente Médio e freio no fluxo dos ETF cripto dos Estados Unidos foram os motores para a queda
CEO do MB Reinlado Rabelo em evento da CVM na USP

“A Bolsa é sim lugar de startups”, diz CEO do Mercado Bitcoin em evento da CVM

Reinaldo Rabelo participou do evento do “Tecnologia e Democratização dos Mercados de Capitais no Brasil”
Imagem da matéria: Em operação contra “Rei do Bitcoin”, PF descobriu fraude em contratos públicos envolvendo irmão do ex-governador do Paraná 

Em operação contra “Rei do Bitcoin”, PF descobriu fraude em contratos públicos envolvendo irmão do ex-governador do Paraná 

Nova operação da Polícia Federal apura crimes ligados às investigações da operação Daemon, de 2021, que prendeu o “Rei do Bitcoin”, Claudio Oliveira
Vitalik Buterin criador do Ethereum

A proposta de taxas de gás de Vitalik Buterin tornará o Ethereum mais parecido com a Solana?

Vitalik propõe “taxas de gás multidimensionais” e afirma que é uma busca para um sistema mais personalizado e equitativo