Imagem da matéria: Criador da Dogecoin detona outras meme coins: “não são inteligentes nem divertidas”
Foto: Shutterstock

Billy Markus, o programador responsável por criar a Dogecoin (DOGE) oito anos atrás com seu amigo Jackson Palmer, não é um grande fã das novas criptomoedas meme que se espalham pelo mercado.

Mais conhecido no Twitter por Shibetoshi Nakamoto (@BillyM2k), Markus compartilhou sua frustração com as moedas que tentam a todo custo repetir o sucesso da Dogecoin, a primeira e mais famosa meme coin que já existiu.

Publicidade

“Lembre-se que Dogecoin foi feito há oito anos. Como sátira. Tirando sarro das moedas idiotas.  As moedas de “meme” atuais nem são memes. Elas são feitas por pessoas tentando ficar ricas com outras pessoas tentando ficar ricas. Cada um na sua, mas na verdade é uma coisa diferente”, escreveu Markus ao 1,1 milhão de seguidores que acumula no Twitter.

Ele continuou explicando sua visão de que sátira deve ter alguns elementos “levemente inteligentes” enquanto as piadas devem ser engraçadas, duas coisas que as novas meme coins não são capazes de entregar.

“Publicidade de spam, mentir sobre quem está envolvido em um projeto, fazer promessas ridículas, tentar desesperadamente chamar a atenção de Elon Musk para promovê-lo, não são inteligentes ou divertidos”, pontuou.

As visões dos criadores da Dogecoin

Billy Markus é o único fundador da Dogecoin que ainda possui alguma relação com o projeto. Embora não atue ativamente no desenvolvimento da criptomoeda, ele é conselheiro da Dogecoin Foundation, uma organização reconstruída em agosto do ano passado para apoiar os avanços da DOGE.

Publicidade

Markus tem uma presença forte na comunidade da Dogecoin no Twitter, onde compartilha memes relacionados a moeda quase que diariamente e, uma vez ou outra, troca mensagens com Elon Musk. Não à toa, seu papel na fundação é “conselheiro de comunidade e memes”.

Já o outro cofundador da Dogecoin, Jackson Palmer, não poderia ser mais diferente. Ele despreza as criptomoedas e toda a comunidade que se criou ao redor delas. Em julho de 2021, ele voltou ao Twitter após deixar sua conta desativada por anos, para dar um fim definitivo ao seu relacionamento com a Dogecoin.

“Depois de anos estudando isso, acredito que a criptomoeda é uma tecnologia hiper-capitalista inerentemente de direita, construída principalmente para amplificar a riqueza de seus proponentes por meio de uma combinação de evasão fiscal, supervisão regulatória reduzida e escassez artificialmente aplicada”, escreveu.

Na visão de Palmer, os princípios de descentralização que as criptomoedas carregavam no início foi se perdendo ao longo do caminho à medida que o setor passou a ser controlado por um “poderoso cartel de figuras ricas”, que incorporam as características do sistema financeiro que pretendia substituir.

VOCÊ PODE GOSTAR
Imagem da matéria: As criptomoedas estão se tornando políticas – e a Consensys quer ficar fora disso

As criptomoedas estão se tornando políticas – e a Consensys quer ficar fora disso

Enquanto outras empresas gastam milhões em candidatos pró-cripto, Joe Lubin diz ao Decrypt que a Consensys resistiu ao impulso
Donald Trump é fotografado em comício nos EUA

Trump agora aceita doações em Bitcoin e cumpre promessa com relação às criptomoedas

Bitcoin, Ethereum, Dogecoin, Solana, Shuba Inu e XRP estão entre criptomoedas aceitas pela candidato Donald Trump 
Cofre dourado no formato de baleia receb moedas shiba inu SHIB

Baleias voltam a encher os bolsos de Bitcoin, mostra análise

A acumulação acelerada de baleias é um sinal de que o mercado altista do Bitcoin ainda está ativo
Imagem da matéria: Trader transforma US$ 27 mil em US$ 2 milhões ao antecipar alta da GameStop

Trader transforma US$ 27 mil em US$ 2 milhões ao antecipar alta da GameStop

O súbito ressurgimento das ações “memes” nesta semana rendeu uma pequena fortuna aos traders que nunca desistiram das loucuras de 2021