Imagem da matéria: Crítica do Bitcoin, presidente do Banco Central Europeu admite que filho perdeu "tudo" em cripto
Christine Lagarde, presidente do Banco Central Europeu (Foto: Brinacor/Wikimedia Commmons)

A presidente do Banco Central Europeu e conhecida crítica das criptomoedas, Christine Lagarde, está fazendo o possível para manter a Zona do Euro isolada da volatilidade dos ativos cripto. No entanto, na sexta-feira (24), Lagarde admitiu que não conseguiu fazer o mesmo por sua própria família.

O filho de Lagarde, na faixa dos trinta anos, comprou criptomoedas contra a vontade dela e “perdeu tudo”, admitiu a política francesa durante uma reunião pública em Frankfurt na sexta-feira, de acordo com um relatório da Reuters.

Publicidade

“Ele me ignorou completamente, o que é um direito dele”, disse Lagarde a uma plateia de estudantes. “E ele perdeu quase todo o dinheiro que tinha investido.”

Lagarde falou publicamente no ano passado sobre os investimentos em cripto de seu filho, dizendo que ele investiu em ativos digitais apesar de suas inúmeras intervenções fracassadas e tentativas de convencê-lo de que estava cometendo um erro. A oficial europeia tem dois filhos, ambos na faixa dos trinta anos, mas nunca esclareceu publicamente qual dos dois investiu em cripto.

Somente depois de sofrer perdas significativas é que o filho de Lagarde finalmente admitiu que deveria ter ouvido a mãe, disse a chefe do BCE na sexta-feira.

“Não era muito, mas ele perdeu tudo, perdeu cerca de 60% disso”, acrescentou Lagarde. “Então, quando tive outra conversa com ele sobre isso, ele aceitou relutantemente que eu estava certa.”

Publicidade

A líder do sistema bancário europeu há muito tempo expressa seu desprezo pelas criptomoedas. No ano passado, ela afirmou que todos os ativos cripto “não valem nada” e são “baseados em nada”. Ao ser questionada se o Bitcoin deveria ser mantido pelos bancos centrais, Lagarde descartou tal possibilidade como “fora de cogitação”.

Embora Lagarde seja abertamente crítica em relação a ativos digitais descentralizados como o Bitcoin e outras criptomoedas, ela tem sido uma defensora fundamental das moedas digitais emitidas por bancos centrais (CBDCs) por anos. Sob sua liderança, o Banco Central Europeu começou a buscar ativamente um euro digital, embora uma decisão final ainda não tenha sido tomada sobre sua adoção.

As CBDCs, como o euro digital proposto, são versões eletrônicas da moeda fiduciária de um estado que permitem pagamentos eletrônicos ponto a ponto sem depender de intermediários como bancos.

Embora as CBDCs já tenham sido adotadas por alguns países, incluindo Bahamas, Jamaica e Nigéria, elas se tornaram um ponto de conflito político em outras nações, como nos Estados Unidos. Detratores rotularam a tecnologia financeira como “absolutamente anti-americana” e tentaram proibi-la em várias jurisdições, devido ao seu potencial de permitir que os governos monitorem transações financeiras.

*Traduzido com autorização do Decrypt.

VOCÊ PODE GOSTAR
Imagem da matéria: Fundos de criptomoedas têm semana positiva apesar da pressão da Mt. Gox e Alemanha

Fundos de criptomoedas têm semana positiva apesar da pressão da Mt. Gox e Alemanha

Fundos de criptomoedas tiveram entradas líquidas de US$ 441 milhões após quatro semanas de saídas, com investidores vendo oportunidade na queda dos preços
Imagem da matéria: Kavak vai tokenizar R$ 30 milhões para financiar operação de venda de carros usados no Brasil

Kavak vai tokenizar R$ 30 milhões para financiar operação de venda de carros usados no Brasil

A startup mexicana de compra e venda de carros usados Kavak concluiu, em parceria com a Liqi, a tokenização de R$ 5,4 milhões em notas comerciais
Imagem da matéria: Manhã Cripto: Bitcoin se estabiliza e ETFs captam US$ 130 milhões, maior entrada em quase um mês

Manhã Cripto: Bitcoin se estabiliza e ETFs captam US$ 130 milhões, maior entrada em quase um mês

Os ETFs de Bitcoin não registravam uma captação tão grande de fundos desde 7 de junho
moeda de bitcoin com bandeira dos EUA no fundo

Fed diz que inflação está caindo, mas não rápido o suficiente: por que isso importa para o Bitcoin?

A queda da inflação beneficia os ativos de risco, incluindo as criptomoedas, pois daria ao Fed confiança para começar a reduzir as taxas de juros este ano