Imagem da matéria: Criptomoedas Não Vão Superar Sistema Financeiro, diz União Europeia
(Foto: Shutterstock)

O relatório Monetary Dialogue de Julho, recentemente publicado pelo Parlamento Europeu, afirma que criptomoedas como o bitcoin não têm ainda capacidade para suplantar o sistema financeiro atual, dada a fraca capacidade de processar transações que a tecnologia blockchain atual tem.

De acordo com o documento de 31 páginas, criado a pedido da Comissão dos Assuntos Econômicos e Monetários da União Europeia, a tecnologia por trás do bitcoin enfrenta ainda algumas limitações que fazem demasiado caro processar o número de transações que o sistema financeiro atual processa.

Publicidade

Assim o documento, que nota que com criptomoedas transações monetárias são “seguras, transparentes e rápidas,” nota que estas não são uma ameaça também para moedas fiduciárias. O relatório reconhece, no entanto, que tecnologias como a Lightning Network do bitcoin estão a ser desenvolvidas e podem vir a mudar o futuro das criptomoedas.

De momento, segundo o relatório, as criptomoedas são usadas como um veículo para a especulação financeira. Posto isto, o documento aborda a possibilidade de uma criptomoedas lançada por um banco central (CBDC – de Central Bank Digital Currency).

Este tipo de criptomoedas poderia já ser disruptiva, visto ter a capacidade de dar a estas instituições financeiras maior controle sobre a política monetária de um pais, podendo aplicar até taxas de juro negativas sem que haja outra opção para os cidadãos.

Políticas como esta podem, de acordo com os autores, levar a um sistema financeiro mais estável. Lê-se no relatório (traduzido):

Publicidade

“Como o caráter de reserva fracionária do sistema bancário atual pode ser uma fonte importante de instabilidade, tal mudança disruptiva não é necessariamente um desenvolvimento ruim, mas pode finalmente abrir o caminho para um sistema financeiro mais estável.”

Avanços das criptomoedas

Apesar de reconhecer os problemas das criptomoedas e de negar a possibilidade de estas suplantarem o sistema financeiro atual, o relatório aborda a possibilidade de virem a beneficiar países sob rígidos controles monetários, como a China em que as criptomoedas são utilizadas para passar dinheiro para além das fronteiras do pais.

Este abordou ainda a criptomoeda Venezuelana, a Petro, supostamente apoiada por uma parte das reservas de petróleo do país. Caracterizou a sua pré-venda como uma forma de contornar sanções internacionais e obter capital estrangeiro.

O documento aponta que as criptomoedas podem também vir a fazer avanços em países com moedas fiduciárias mais estáveis, tendo em conta o aumento no número de corretoras que permitem trocar criptos por moedas fiduciárias como o real ou o dólar.

Este aumento, junto de um aumento de liquidez e uma redução na volatilidade, pode ajudar as criptomoedas a servirem de proteção contra riscos financeiros como um crash na bolsa. Lê-se:

Publicidade

“Em princípio, criptoativos poderiam, portanto, oferecer uma oportunidade de diversificação e proteção contra movimentos em outras classes de ativos. No entanto, assim que o valor de uma criptomoeda se tornar estável em relação a alguma moeda tradicional, suas propriedades de cobertura também corresponderão às da respetiva moeda tradicional, diminuindo sua utilidade.”

Propostas de regulação

O relatório adianta ainda algumas propostas de potenciais regulações a serem implementadas. Salienta que quaisquer medidas não podem vir a “restringir a criação de riqueza,” tendo ao mesmo tempo de ter em conta a potencial diversificação da futura evolução do ecossistema.

Pelos autores do mesmo, aumentar a transparência nos mercados e ajudar investidores a protegerem-se deve ser uma prioridade para os reguladores. Bancos que ofereçam contas a clientes relacionados com criptomoedas devem também “ter em conta os riscos associados à exposição a criptomoedas.”

O documento apela ainda para regulações mais claras por toda a União Europeia, criticando fortemente a Alemanha por colocar demasiados entraves no mercado:

“[A] Lei Bancária (Kreditwesengesetz) se aplica, criando efetivamente um obstáculo de entrada que reduz a demanda e a liquidez das criptomoedas e, em última análise, inibe a adoção massiva das criptomoedas.”

BitcoinTrade

A BitcoinTrade é a melhor solução para compra e venda de criptomoedas.
Negocie Bitcoin, Ethereum e Litecoin com total segurança e liquidez.
Acesse agora ou baixe nosso aplicativo para iOs ou Android:
https://www.bitcointrade.com.br/

VOCÊ PODE GOSTAR
Moeda de Bitcoi sob mapa da América comd estaque para Venezuela

Venezuela quer desativar todas as fazendas de mineração de criptomoedas do país

O governador do estado de Carabobo afirmou que o governo está prestes a publicar um decreto que irá proibir a mineração de criptomoedas
Imagem da matéria: Merge Madrid: encontro Web3 promete unir Europa e América Latina em outubro

Merge Madrid: encontro Web3 promete unir Europa e América Latina em outubro

De 8 a 10 de outubro, pontos chave da cidade de Madri atrairão o ecossistema Web3 sob uma perspectiva de negócios, legal e técnica
Imagem da matéria: Câmara dos EUA aprova projeto de lei para frear criação de CBDC

Câmara dos EUA aprova projeto de lei para frear criação de CBDC

O apoio à legislação ficou bastante dividido entre os partidos, com muito menos apoio dos democratas em comparação com outros projetos de lei envolvendo criptomoedas neste mês
Ilustração da memcoin em Solana Bonk

Como criar uma memecoin em Solana com a Pump.fun

Protocolo viralizou ao permitir a qualquer pessoa criar uma criptomoeda por cerca de R$ 15