Imagem da matéria: Polícia prende Do Kwon, o criador das criptomoedas Terra/Luna, diz ministro de Montenegro
Do Kwon (Foto: Reprodução/Terraform Labs)

O criador do projeto Terra e das criptomoedas Terra (LUNA) e TerraUSD (UST), o coreano Do Kwon, foi preso em Montenegro, um pequeno país da região dos Bálcãs, no sudeste europeu.

As informações surgiram a partir de um tweet do ministro do interior do país, Filip Adzic escrito manhã desta quinta-feira (23)

Publicidade

“A polícia montenegrina deteve uma pessoa suspeita de ser um dos fugitivos mais procurados, o cidadão sul-coreano Do Kwon, cofundador e CEO da Terraform Labs, com sede em Cingapura”, tuitou Adzic.

O suspeito foi detido no aeroporto da capital local, Podgorica com documentos falsificados, acrescentou Adzic, dizendo que ainda aguarda a confirmação oficial da identidade.

Leia também: De US$ 40 bilhões a zero: quem é Do Kwon, o homem que deu um golpe mundial com a criptomoeda LUNA

A conta não verificada de Adzic é seguida pela conta oficial do governo de Montenegro e já foi citada anteriormente em tweets oficiais.

Publicidade

No final do ano passado, a Interpol havia aprovado um pedido feito por promotores sul-coreanos para emitir um alerta vermelho contra Do Kwon.

Acusações

Kwon foi acusado de violar as regras do mercado de capitais na Coreia do Sul e enfrenta processoss legais em várias jurisdições durante o derretimento do Terra, que deu início ao chamado inverno cripto.

O ecossistema Terra, que era composto da stablecoin algorítmica UST e o token LUNA, implodiram em maio deste ano, com mais de US$ 40 bilhões do patrimônio dos investidores eliminados em questão de semanas.

O colapso da Terra foi acompanhado de uma venda maciça de criptos, fazendo com que os preços do Bitcoin e outras principais criptomoedas caíssem drasticamente. 

Publicidade

Muitos acreditam que o crash também seja parcialmente culpado pelas falências de empresas cripto a Celsius e a Voyager, bem como o fundo de hedge Three Arrows Capital. Além disso, também fez com que órgãos reguladores do mundo todo aumentassem o escrutínio sobre investimentos em cripto e stablecoins.

“Motivos políticos”

Em outubro, durante entrevista, Do Kwon havia se recusado a revelar seu paradeiro e dito que as investigações tinham motivos políticos.

O empresário disse que sequer recebeu uma cópia do mandado de prisão que busca responsabilizá-lo por sua suposta violação das regras do mercado de capitais, alegando que todas as informações que está recebendo partem da mídia. 

Um dos motivos pelos quais Do Kwon não recebeu uma intimação presencial é porque sua localização é desconhecida — embora ele garanta não estar fugindo das autoridades.

Acreditava-se que Do Kwon morava em Singapura desde o final do ano passado, quando deixou a Coreia a Sul, fechando mais tarde, em abril deste ano, a filial da Terraform Labs no país.

Publicidade

No entanto, quando as autoridades de Singapura foram procuradas para cooperar com o caso em setembro, afirmaram que Do Kwon não residia mais na cidade-estado, levando a Coreia do Sul a pedir que a Interpol emitisse um alerta vermelho para tentar localizá-lo. Desde então, seu paradeiro é desconhecido e deve continuar assim se depender do empresário.

“A razão pela qual eu não quero falar sobre minha localização com a mídia é porque quando o crash aconteceu em maio, tiveram muitas situações em que a minha segurança pessoal foi ameaçada. Pessoas invadiram meu prédio na Coreia e em Singapura”, justificou

O criador da Luna não deixou de comentar sobre a sua reputação no Twitter, se mostrando arrependido como a forma agressiva que usava a rede social.

Segundo ele, a persona que criou era “em grande parte por valor de entretenimento”. “O jargão da indústria para isso é chamado de shitposting. Em retrospecto, eu deveria ter me mantido em um padrão mais rigoroso”, disse ele sobre seus tweets do passado. 

VOCÊ PODE GOSTAR
Imagem da matéria: Binance demitiu funcionário que descobriu manipulação milionária de cliente da corretora, diz jornal

Binance demitiu funcionário que descobriu manipulação milionária de cliente da corretora, diz jornal

Uma semana antes da demissão, o funcionário produziu um relatório afirmando que a DWF Labs lucrou milhões através da manipulação de mercado de seis tokens
Imagem da matéria: Em operação contra “Rei do Bitcoin”, PF descobriu fraude em contratos públicos envolvendo irmão do ex-governador do Paraná 

Em operação contra “Rei do Bitcoin”, PF descobriu fraude em contratos públicos envolvendo irmão do ex-governador do Paraná 

Nova operação da Polícia Federal apura crimes ligados às investigações da operação Daemon, de 2021, que prendeu o “Rei do Bitcoin”, Claudio Oliveira
criptomoedas caindo no fogo

Volume de negociação em corretoras de criptomoedas cai pela 1ª vez em 7 meses

Análise aponta que guerra no Oriente Médio e freio no fluxo dos ETF cripto dos Estados Unidos foram os motores para a queda
Imagem da matéria: Pump.fun: site que permite criar memecoin por apenas R$ 15 bate recorde de atividade

Pump.fun: site que permite criar memecoin por apenas R$ 15 bate recorde de atividade

Entre os 14.500 tokens lançados na Solana por meio do pump.fun, milhares eram baseados na GameStop