Imagem da matéria: Corretora chinesa de criptomoedas encerra operações no Brasil e anuncia prazo para saques
Foto: Shutterstock

A exchange chinesa Coinbene anunciou nesta segunda-feira (18) que vai encerrar oficialmente todas as atividades no Brasil, país onde atuou por quatro anos com certa dificuldade. Os clientes terão até o final de novembro para realizar os saques.

Em uma nota oficial, a Coinbene disse que estava sofrendo restrições operacionais devido às recentes proibições do governo chinês ao mercado cripto que impediam a continuidade do seu serviço aqui no Brasil.

Publicidade

“Considerando que os principais serviços técnicos e inovações de produtos vêm da equipe chinesa, podemos não ser capazes de fornecer serviços de alta qualidade aos clientes brasileiros como sempre fizemos”, explica a equipe brasileira da exchange, que finaliza: “Se não podemos fornecer serviços de qualidade, preferimos parar”.

Com o fim das operações no Brasil, a corretora perde sua equipe local de atendimento e deixa de oferecer depósitos e saques em reais na plataforma. 

Os brasileiros que possuem conta na Coinbene devem fazer o saque dos seus ativos em real até o dia 31 de novembro, data em que os serviços serão oficialmente interrompidos. “Após esta data, toda e qualquer tratativa deverá ser feita diretamente com a Coinbene Global”, informa a corretora.

Um funcionário brasileiro da exchange, que preferiu não ter seu nome divulgado, confirmou ao Portal do Bitcoin as informações anteriores e alertou que a exchange pode não estar com dificuldades apenas no Brasil, já que o problema operacional é global.

Publicidade

“De fato a Coinbene irá encerrar as atividades, o anúncio da plataforma global ainda não saiu, porém a filial do Brasil já está sinalizando o encerramento”. Ele não confirmou o fim da plataforma global, mas disse acreditar que fechará em breve “devido às recentes investidas dos reguladores da China que tornam inviável a operação”.

Passado conturbado da Coinbene no Brasil

A Coinbene abriu a sua filial no Brasil em 2018 e, ao contrário de outras exchanges internacionais que também expandiram sua operações no país, a corretora chinesa enfrentou certa dificuldade para consolidar a sua posição no mercado brasileiro.

No final do ano passado, clientes suspeitaram que a Coinbene havia abandonado o país quando a plataforma deixou de responder os usuários brasileiros. 

Na época, a diretora de operações na corretora no Brasil, Sófia Fang, disse ao Portal do Bitcoin que a plataforma está passando por uma fase de reestruturação e por isso não estava funcionando. 

Publicidade

Ela alegou, no entanto, que o atendimento seguia normalmente, embora os clientes informassem que seus e-mails não eram respondidos e que o telefone que a corretora informava no Google, pertencia a outra pessoa.

Além dos problemas operacionais, empecilhos legais também marcaram a jornada da Coinbene no Brasil. Em agosto de 2020, a Comissão de Valores Mobiliários (CVM) proibiu a exchange de captar clientes no país para investimento em contratos futuros. Na época, os reguladores alegaram que a oferta desse tipo de produto correspondia a um contrato derivativo e que de tal forma, precisava de autorização expressa da CVM para ser ofertado aos brasileiros.

VOCÊ PODE GOSTAR
Imagem da matéria: Semana Cripto: ETFs de Ethereum recebem sinal verde; Dogecoin dispara com tweet de Elon Musk

Semana Cripto: ETFs de Ethereum recebem sinal verde; Dogecoin dispara com tweet de Elon Musk

Muitas coisas inesperadas aconteceram esta semana, mas o mercado estava atento e engajado
Imagem da matéria: Manhã Cripto: Bitcoin se estabiliza acima de US$ 67 mil; Ethereum atinge US$ 3 mil em semana decisiva para ETFs

Manhã Cripto: Bitcoin se estabiliza acima de US$ 67 mil; Ethereum atinge US$ 3 mil em semana decisiva para ETFs

A semana promete ser agitada à medida que chega o prazo final para a SEC decidir se aprova ou rejeita o lançamento de ETFs de Ethereum à vista
Imagem da matéria: Ethereum tem melhor sequência de alta em 3 anos e pode saltar 60% se ETF for aprovado, dizem analistas

Ethereum tem melhor sequência de alta em 3 anos e pode saltar 60% se ETF for aprovado, dizem analistas

Se a SEC aprovar os pedidos de ETF de Ethereum nesta quinta-feira, enviará um sinal positivo que pode levar o ativo a disparar, assim como ocorreu com o Bitcoin em janeiro
Imagem da matéria: Câmara dos EUA aprova projeto de lei para frear criação de CBDC

Câmara dos EUA aprova projeto de lei para frear criação de CBDC

O apoio à legislação ficou bastante dividido entre os partidos, com muito menos apoio dos democratas em comparação com outros projetos de lei envolvendo criptomoedas neste mês