Luiz Marinho ministro Trabalho posa para foto-Facebook
Ministro do Trabalho Luiz Marinho posa para foto (Reprodução/Facebook)

“E se o Uber sair [do Brasil]? Problema do Uber. Não estou preocupado”. A frase dita pelo Ministro do Trabalho, Luiz Marinho (PT/SP), em entrevista ao jornal Valor Econômico, viralizou nas redes sociais nesta segunda-feira (06). Segundo o ministro, se houver alguma rebeldia por parte do Uber — ou qualquer outro app — acerca de uma possível regulamentação do setor, ele pedirá que os Correios criem um aplicativo para ocupar o espaço deixado vago.

Marinho foi questionado pela equipe do Valor se já havia um ponto de partida na pasta relacionada a regulamentação do trabalho por aplicativos. Ele afirma que o ministério vai criar um grupo de trabalho para definir qual será o melhor modelo de regulamentação para plataformas de aplicativo como o Uber. Segundo ele, “as empresas estão dispostas a discutir”.

Publicidade

O comentário de Marinho, contudo, sugere que caso venha a ocorrer alguma “rebeldia” por parte das empresas de aplicativos, ele seguirá o mesmo exemplo da Espanha: “Na Espanha, no processo de regulação, o Uber e mais alguém disseram que iam sair. Esta rebeldia durou 72 horas. Era uma chantagem.”

Ao ser questionado se a saída de uma empresa como Uber não criaria um problema para a economia, o ministro disse que, para resolver o problema, poderia pedir aos Correios para criar um aplicativo para responder a demanda dos usuários.

“Posso chamar os Correios, que é uma empresa de logística e dizer para criar um aplicativo e substituir [o Uber]. Aplicativo se tem aos montes no mercado. Não queremos regular lá no mínimo detalhe. Ninguém gosta de correr muito risco, especialmente os capitalistas brasileiros. Mas qual a regulação para proteção do trabalho e das pessoas?”, retrucou Marinho, afirmando que a ideia é incluir os trabalhadores de aplicativos no sistema do INSS (Instituto Nacional do Seguro Social).

No entanto, para incluir a mesma classe na CLT, ou seja, vínculo empregatício com carteira assinada, o ministro disse que dependerá de como a atividade se enquadra na lei. 

Publicidade

“Você pode ter relações que caibam na CLT ou que se enquadrem, por exemplo, no cooperativismo. Aliás, o cooperativismo pode se livrar do iFood, do Uber. Porque aí nasce alguma coisa que pode ser mais vantajosa, especialmente para os trabalhadores”, disse o ministro.

Americanas, Ambev e salário mínimo 

O ministro também falou ao jornal que está conversando com o Ministério Público do Trabalho para entender melhor o que ocorreu na crise da Americanas, bem como averiguar se há alguma cumplicidade de auditorias acerca dos relatórios financeiros de outras empresas, como a Ambev.

“Ninguém deseja que uma empresa desse tamanho vá à falência”, disse Marinho. Ele também revelou que não descarta manter o saque-aniversário do FGTS, mas defende mudanças nas regras da modalidade.

Sobre o salário mínimo, Marinho disse que primeiro é saber se, em 2023, vai haver uma mudança na política de valorização do salário mínimo, bem como entender como se dará os acordos com as centrais sindicais.

Publicidade

“Tudo é ambiente de negociação, avaliação e monitoramento. Eu teria segurança de retomar na forma que era”, disse Marinho, se referindo ao formato do primeiro governo Lula.

  • Já pensou em inserir o seu negócio na nova economia digital? Se você tem um projeto, você pode tokenizar. Clique aqui, inscreva-se no programa Tokenize Sua Ideia e entre para o universo da Web 3.0!
VOCÊ PODE GOSTAR
Imagem da matéria: Scarpa quer desfecho de ação contra Willian Bigode por golpe cripto: “Já passou da hora”

Scarpa quer desfecho de ação contra Willian Bigode por golpe cripto: “Já passou da hora”

O jogador do Atlético Mineiro está desde o ano passado atrás dos valores investidos na WLJC Gestão Financeira através de Bigode
Imagem da matéria: Fundos de criptomoedas do Brasil captam mais R$ 50 milhões na semana

Fundos de criptomoedas do Brasil captam mais R$ 50 milhões na semana

Fundos cripto brasileiros ficam pela segunda semana consecutiva atrás apenas dos EUA em captação
Celular com logotipo da Receita Federal sobre notas de reais

Receita alerta sobre golpe do “erro na declaração” do Imposto de Renda; veja como se proteger

Os criminosos informam supostos erros em declarações para induzir a vítima a baixar um arquivo malicioso
Celular com logotipo da Receita Federal sobre notas de reais

Tokenização de ativos enfrenta área cinzenta na declaração de Imposto de Renda |Opinião

Para o autor, a declaração de tokens que representam recebíveis, e outros ativos do mundo real, devem mudar nos próximos anos