Cliente da BitcoinTrade “queima” R$ 100 mil ao despejar 40 bitcoins no mercado

Ele deveria ter usado outra estratégia para vendes seus bitcoins

Bitcoin pegando fogo - portal do bitcoin
Foto: Shutterstock


Na noite de quinta-feira (07), um cliente da corretora BitcoinTrade tomou a infeliz decisão de vender cerca de 40 Bitcoins a mercado, derrubando a cotação de R$ 57.400 para R$ 48.500 (-15,5%). 

Gráfico da BitcoinTrade no momento da queda

Como a exchange preza pela transparência, é possível consultar todo o histórico dos trades, inclusive com os códigos internos de cada ordem. 

É possível observar tais dados pela API da exchange, uma mecanismo padrão de consulta automatizada, através deste link.

Rastros deixados pelo usuário

Com os dados em mãos, coletei alguns insights valiosos sobre o acontecimento. Um deles é que o “active order code” é o mesmo para todas as vendas até o fatídico R$ 48.500, indicando que foi realizado em uma única ordem.

Isto ocorreu às 19:50h, horário de Brasília, da última quinta-feira. Aprox 13 BTCs foram vendidos até R$ 56.900. No entanto, os 29 BTCs restantes foram realizados numa média próxima de R$ 54.000.

Desta forma, é possível calcular um “prejuízo” próximo de R$ 100 mil, considerando-se os R$ 57.400 que o mercado estava negociando no momento, em linha com os US$ 9.890 da cotação no mercado internacional.

Proposital ou acidente?

Entrei em contato com a exchange, e um diretor afirmou que não houve falha no sistema, e tampouco reclamação de qualquer cliente, até o momento do contato, na manhã de 8 de maio. Segundo a exchange BitcoinTrade, os sistemas funcionaram de acordo com o previsto.



Desta forma, não é possível concluir se isto foi proposital, ou um erro do cliente. No entanto, ao analisarmos o tamanho da ordem, de aprox. R$ 2,2 milhões, podemos estabelecer algumas hipóteses.

Quem é esta baleia?

A julgar pelo horário do trade, no período noturno aqui no Brasil, são pequenas as chances de ser um cliente institucional, por exemplo, a mesa de operações de algum banco ou fundo de investimento.

A possibilidade de ser um cliente institucional com escritório em Miami ou NY também é reduzida, pois o trade ocorreu às 18h50 no fuso horário da costa leste.

Tudo aponta para um cliente pessoa física, porém uma baleia. Afinal, não é qualquer pessoa que possui mais de 40 BTCs.

Evitando erros semelhantes

Este tipo de perda jamais teria ocorrido caso o cliente tivesse optado pela negociação através das mesas de OTC, o mercado de balcão, voltado para grandes volumes.

Várias exchanges oferecem este tipo de serviço, inclusive a própria BitcoinTrade, segundo me informou o Diretor que conversei.

Para nós mortais, nada muda, porém é importante notar que erros operacionais acontecem, independente do seu tamanho.


Sobre o autor

Marcel Pechman atuou como trader por 18 anos nos bancos UBS, Deutsche e Safra. Desde maio de 2017, faz arbitragem e trading de criptomoedas, além de ser cofundador do site de análise de criptos RadarBTC.