Imagem da matéria: Cidade no RS vira refém após hackers bloquearem sistema e pedirem resgate em bitcoin
(Foto: Shutterstock)

O sistema de informática da Prefeitura de Candiota (RS) foi bloqueado por hackers no último final de semana, travando vários serviços online. Após a ação, percebida somente na segunda (12), os cibercriminosos deixaram uma mensagem que pedia um resgate em bitcoin.

Procurada pela reportagem, a assessoria do município informou que foi montada uma força-tarefa para restabelecer o sistema cuja previsão de normalização é para o dia 19. 

Publicidade

“A gente está colocando todos os dados no sistema. Nós perdemos todos os dados do dia 1º ao dia 10”, disse ao Portal do Bitcoin o assessor de comunicação da prefeitura, Marcio Vieira.

O valor em bitcoin pedido como resgate não pode ser informado, mas, segundo ele, todas as informações constam no boletim de ocorrência registrado na Polícia Civil.

Como se trata de um crime virtual, o caso irá para as mãos da Polícia Federal.

Parte do sistema restabelecido

Ainda de acordo com a assessoria, um dos serviços online prestados à população já foi restabelecido. O sistema de emissão de nota fiscal eletrônica voltou ao normal graças a um backup feito antes da bloqueio.

Em reportagem ao Bom Dia Rio Grande na quinta-feira (15), o secretário de Administração e Finanças de Candiota, Alexandre Vedooto, disse que os hackers deram 24 horas para o pagamento do resgate.

Publicidade

“É uma estratégia criminosa que vem afetando as cidades gaúchas”, comentou o apresentador.

Ações similares

Esse tipo de crime cibernético já ocorreu em vários estados brasileiros tanto em órgãos públicos quanto privados.

Dentre eles podemos citar o porto de Fortaleza (CE), a Câmara Municipal de Palmas (TO), uma loja de produtos para bebês em Campo Grande, uma empresa de contabilidade em Boa Vista e um hospital em Pirajuí (SP).

O caso mais recente havia acontecido no Rio de Janeiro em junho deste ano quando hackers criptografaram o sistema da companhia de energia Light, que atende cerca de 4 milhões de pessoas no estado.

Na ocasião, os cibercriminosos pediram um resgate de US$  7 milhões em Monero (XMR), uma criptomoeda cuja transação é muito difícil de ser rastreada — ao contrário do bitcoin cuja rede é pública.

VOCÊ PODE GOSTAR
Antônio Ais posa para foto ao lado de carro

Criador da Braiscompany, Antônio Neto Ais é solto na Argentina

O benefício de prisão domiciliar valerá até que o processo de extradição para Brasil seja resolvido
Gustavo Scarpa em um campo de futebol usando o uniforme do Atlético Mineiro

Scarpa x Bigode: Pedras preciosas não valem como garantia em processo contra pirâmide cripto, diz PF

Um laudo das pedras de alexandrita apreendidas da suposta pirâmide Xland foi avaliado por um juiz, que determinou que elas não têm valor significativo
Cofre dourado no formato de baleia receb moedas shiba inu SHIB

Baleias voltam a encher os bolsos de Bitcoin, mostra análise

A acumulação acelerada de baleias é um sinal de que o mercado altista do Bitcoin ainda está ativo
moeda de bitcoin ao lado de celular com logo da mt gox

Manhã Cripto: Bitcoin cai após Mt. Gox mover US$ 9 bilhões em BTC

A grande movimentação de Bitcoin pela Mt. Gox é um sinal de que, muito em breve, os investidores lesados pelo hack de 2014 serão ressarcidos