Globo envolto a notas de dinheiro de vários países
Shutterstock

Nos últimos anos, o mundo viveu uma grande crise econômica por conta da pandemia de covid-19 que resultou em um aumento da inflação e consequentemente uma alta dos juros em busca de evitar uma recessão global.

No artigo de hoje vou abordar o cenário econômico global, trazendo informações do que é preciso estar atento este ano e quais fatores podem impactar a economia, assim como os nossos investimentos.

Cenário econômico global e expectativas para 2024

O ano de 2023 foi predominantemente marcado pela forte discussão sobre a política monetária, isso porque os principais bancos centrais do mundo atingiram picos nas taxas de juros. Consequentemente neste ano a atenção continuará voltada para esse assunto, afinal o Federal Reserve (Fed) ainda não sinalizou quando começará os cortes dos juros americanos.

Recentemente o presidente do Fed, Jerome Powell, enfatizou que quando o banco central americano tiver a confiança de que a inflação vem se movendo de forma sustentável, a 2% então cuidadosamente vão começar a cortar os juros ao longo do ano para não levar a economia a uma recessão.

A grande questão é quando isso vai acontecer, isso porque apesar do Brasil estar cortando os juros, é um país emergente, ou seja, possui uma economia sensível, logo como economias desenvolvidas estão desestabilizadas cresce o risco interno.

Publicidade

Por isso, para conseguir controlar a economia doméstica, termos uma flexibilização dos juros e um destrave de fluxo de capital, é preciso que os EUA indique quando esses cortes vão começar. 

Outro ponto de atenção esse ano é a eleição americana, isso porque é uma disputa acirrada, logo ao longo do ano é necessário acompanhar as movimentações políticas nos EUA porque pode impactar certos tipos de investimentos. 


Outro fator são os conflitos geopolíticos, como da Rússia com a Ucrânia e também o de Israel com o Hamas, que apesar de baixa probabilidade de escalonamento, é preciso acompanhar porque pode afetar mercados como o de commodities.

Por último, vale destacar que no início deste ano a Evergrande, maior empresa imobiliária do mundo, decretou falência. Então temos duas das principais economias mundiais (EUA e China) crescendo menos, logo a tendência é que o mundo cresça menos também. 

Isso vai de acordo com as expectativas de crescimento da economia brasileira para esse ano, já que os analistas do mercado financeiro projetam um PIB de 1,75% em 2024, de acordo com o Boletim Focus do Banco Central.

Já para a Selic, que está em 11,25% ao ano, a expectativa é de encerrar 2024 em 9% ao ano, segundo o Boletim Focus.

Mas é claro, fatores externos como eleições nos EUA podem afetar a decisão de juros e impactar a nossa economia local.

Publicidade

Investimentos

Uma carteira ideal sempre será uma carteira diversificada, respeitando o seu perfil de investidor e os seus objetivos. No entanto,  na minha visão a bolsa de valores brasileira está em um momento oportuno, com ações em níveis bem interessantes.

Renda fixa também acaba sendo uma boa opção visto que os juros ainda estão altos. No entanto, tenho olhado para uma outra classe de ativos que são os tokens de ativos do mundo real (RWA).

Essa opção consiste na possibilidade de empresas e pessoas tokenizarem ativos do mundo real com mais eficiência operacional, redução de custos e segurança através da infraestrutura blockchain. Ou seja, atualmente é possível comprar um recebível de forma tokenizada e como uma rentabilidade bem interessante para o investidor.

Outra opção é investir em um CCB tokenizado. O grande destaque é que o mercado de capitais vem sendo tokenizado e instituições financeiras como Citibank projetam que até 2030 esse mercado seja trilionário. 

Criptomoedas é outra classe de ativos que muita gente vem olhando. Apesar da volatilidade tem se provado ser mais uma boa opção de diversificação de carteira, principalmente se você olhar para o Bitcoin e o Ethereum que são as principais criptomoedas por valor de mercado.

Inclusive o Bitcoin está entre os top 10 ativos do mundo com maior valor de mercado, provando o seu potencial.

As ações americanas também acabam sendo uma ótima opção para quem está familiarizado com esse mercado. Para quem estava de olho em Inteligência Artificial (IA) e comprou ações da Nvidia teve um resultado satisfatório.

Por último, destaco a importância da dolarização do patrimônio, afinal o dólar é a moeda mais forte do mundo. O dólar segue forte, isso porque só a economia brasileira não está sendo o suficiente para manter a moeda americana abaixo dos R$ 5, isso porque está tendo muita pressão lá fora por conta dos juros.

Acompanhar as notícias e esses acontecimentos que citei são fundamentais para manter uma carteira de investimentos equilibrada. Lembrando que isso não é uma recomendação de investimento, apenas uma análise de mercado tendo em vista os acontecimentos atuais e esperados para esse ano.  

Sobre o autor

Daniel Coquieri é CEO da empresa de tokenização de ativos Liqi Digital Assets. Empreendedor do ramo da tecnologia, foi fundador da BitcoinTrade, uma das maiores corretoras de criptomoedas do Brasil.

VOCÊ PODE GOSTAR
Imagem da matéria: Real completa 30 anos com desvalorização de mais de 40% no período

Real completa 30 anos com desvalorização de mais de 40% no período

Lançado em julho de 1994, o real já chegou a valer mais que o dólar quando havia paridade cambial