Imagem da matéria: Carta aberta pede urgência de aprovação na Câmara da lei que regula criptomoedas
Foto: Shutterstock

Diversas entidades de classe do setor de criptomoedas do Brasil apresentaram uma carta aberta ao deputados federais pedindo que o Projeto de Lei 4401/2021 seja apreciado em regime de urgência.

As entidades ressaltaram que a regulação se faz necessária “especialmente em razão de casos graves e alarmantes envolvendo pirâmides financeiras e outras práticas ilícitas, que usam criptoativos como falsa narrativa”.

Publicidade

A carta é assinada por ABCripto, Abfintechs, Brasscom e Zetta, que nomearam a iniciativa de Coalizão Empresarial da Criptoeconomia.

Leia abaixo a carta na íntegra:

Aos Excelentíssimos Senhores Deputados Federais,

Nos últimos meses, o Poder Legislativo acertadamente deu celeridade na tramitação e também trouxe melhorias aos Projetos de Lei que tratam de ativos digitais, especialmente em razão de casos graves e alarmantes envolvendo pirâmides financeiras e outras práticas ilícitas, que usam criptoativos como falsa narrativa.

Tal movimento sinaliza a compreensão dos parlamentares acerca da urgência e da importância do assunto, e este é exatamente o ponto apoiado por esta carta aberta aos Exmos. Deputados. As entidades empresariais abaixo assinadas endossam a urgência e a importância da votação do Projeto de Lei 4401/2021 que trata dos criptoativos e outros ativos digitais.

Entendemos também que normatização não significa restrição; muito pelo contrário, ela pode e deve ser fomentadora, determinando princípios, diretrizes, pilares e valores, estabelecendo assim as bases para a criação de novos negócios
e investimentos. Consideramos que um claro arcabouço regulatório, embasado nessa lógica, é fundamental para a segurança jurídica, proporcionando um mercado saudável com melhores práticas que são necessárias para a efetiva
proteção dos consumidores, investidores e da poupança popular.

Ao mesmo tempo, a criptoeconomia e as tecnologias a ela inerentes têm cada vez mais um papel fundamental, positivo e inovador, além de democratizar o acesso a diversas soluções, com transparência, confiança e segurança. A blockchain, por exemplo, já vem sendo adotada pelos mais variados setores privados e públicos.

Publicidade

Assim, considerando a importância do tema, bem como as contribuições e aplicações positivas da criptoeconomia e suas tecnologias, solicitamos prioridade e urgência na votação do Projeto de Lei nº 4401/21.

Colocamo-nos, por fim, à disposição para contribuir por meio de audiências, reuniões, debates e quaisquer outras formas de fundamentar a defesa da celeridade na votação das referidas proposições que, vale reiterar, consideramos
passo fundamental para a melhoria do mercado, aproveitamento das oportunidades, a proteção dos consumidores e investidores, bem como na prevenção da lavagem de dinheiro, fraudes e o financiamento ao terrorismo.

VOCÊ PODE GOSTAR
Tigran Gambaryan, chefe de compliance da Binance, posa para foto

Deputados pedem que EUA tratem diretor da Binance preso na Nigéria como refém

Numa resolução apresentada ao Congresso, os deputados French Hill e Rich McCormack apelaram à libertação de Tigran Gambaryan
Imagem da matéria: Exchanges da Coreia do Sul definem diretrizes para barrar deslistagens em massa de criptomoedas

Exchanges da Coreia do Sul definem diretrizes para barrar deslistagens em massa de criptomoedas

As diretrizes padronizam os critérios para apoiar e encerrar a negociação de ativos digitais em plataformas de câmbio
Imagem da matéria: Kavak vai tokenizar R$ 30 milhões para financiar operação de venda de carros usados no Brasil

Kavak vai tokenizar R$ 30 milhões para financiar operação de venda de carros usados no Brasil

A startup mexicana de compra e venda de carros usados Kavak concluiu, em parceria com a Liqi, a tokenização de R$ 5,4 milhões em notas comerciais
Imagem da matéria: Mercado Bitcoin lança emissão de Renda Fixa Digital da Bolt Energy

Mercado Bitcoin lança emissão de Renda Fixa Digital da Bolt Energy

A parceria teve início em 2022 e atinge R$ 24 milhões captados à empresa de energia