Imagem da matéria: Carta aberta pede urgência de aprovação na Câmara da lei que regula criptomoedas
Foto: Shutterstock

Diversas entidades de classe do setor de criptomoedas do Brasil apresentaram uma carta aberta ao deputados federais pedindo que o Projeto de Lei 4401/2021 seja apreciado em regime de urgência.

As entidades ressaltaram que a regulação se faz necessária “especialmente em razão de casos graves e alarmantes envolvendo pirâmides financeiras e outras práticas ilícitas, que usam criptoativos como falsa narrativa”.

Publicidade

A carta é assinada por ABCripto, Abfintechs, Brasscom e Zetta, que nomearam a iniciativa de Coalizão Empresarial da Criptoeconomia.

Leia abaixo a carta na íntegra:

Aos Excelentíssimos Senhores Deputados Federais,

Nos últimos meses, o Poder Legislativo acertadamente deu celeridade na tramitação e também trouxe melhorias aos Projetos de Lei que tratam de ativos digitais, especialmente em razão de casos graves e alarmantes envolvendo pirâmides financeiras e outras práticas ilícitas, que usam criptoativos como falsa narrativa.

Tal movimento sinaliza a compreensão dos parlamentares acerca da urgência e da importância do assunto, e este é exatamente o ponto apoiado por esta carta aberta aos Exmos. Deputados. As entidades empresariais abaixo assinadas endossam a urgência e a importância da votação do Projeto de Lei 4401/2021 que trata dos criptoativos e outros ativos digitais.

Entendemos também que normatização não significa restrição; muito pelo contrário, ela pode e deve ser fomentadora, determinando princípios, diretrizes, pilares e valores, estabelecendo assim as bases para a criação de novos negócios
e investimentos. Consideramos que um claro arcabouço regulatório, embasado nessa lógica, é fundamental para a segurança jurídica, proporcionando um mercado saudável com melhores práticas que são necessárias para a efetiva
proteção dos consumidores, investidores e da poupança popular.

Ao mesmo tempo, a criptoeconomia e as tecnologias a ela inerentes têm cada vez mais um papel fundamental, positivo e inovador, além de democratizar o acesso a diversas soluções, com transparência, confiança e segurança. A blockchain, por exemplo, já vem sendo adotada pelos mais variados setores privados e públicos.

Publicidade

Assim, considerando a importância do tema, bem como as contribuições e aplicações positivas da criptoeconomia e suas tecnologias, solicitamos prioridade e urgência na votação do Projeto de Lei nº 4401/21.

Colocamo-nos, por fim, à disposição para contribuir por meio de audiências, reuniões, debates e quaisquer outras formas de fundamentar a defesa da celeridade na votação das referidas proposições que, vale reiterar, consideramos
passo fundamental para a melhoria do mercado, aproveitamento das oportunidades, a proteção dos consumidores e investidores, bem como na prevenção da lavagem de dinheiro, fraudes e o financiamento ao terrorismo.

VOCÊ PODE GOSTAR
Moedas douradas à frente de bandeira do Brasil

Fundos de criptomoedas têm semana negativa, mas Brasil registra entrada de R$ 15 milhões

Brasil segue momento positivo para fundos de criptomoedas, enquanto produtos ao redor do mundo têm semana negativa com queda dos preços
moeda de bitcoin à frente da bandeira de hong kong

Aprovação de ETFs de Bitcoin e Ethereum pode ocorrer segunda em Hong Kong

O esperado aceno regulatório abriria um dos maiores mercados financeiros do mundo para os ETFs de Bitcoin e Ethereum
Imagem da matéria: Manhã Cripto: Bitcoin sobe 4% e Ethereum salta 7% puxados por ETFs em Hong Kong e alívio de tensões no Oriente Médio

Manhã Cripto: Bitcoin sobe 4% e Ethereum salta 7% puxados por ETFs em Hong Kong e alívio de tensões no Oriente Médio

Após forte queda no fim de semana, Bitcoin e Ethereum voltam a ganhar força com notícias de que Hong Kong aprovou ETFs das criptomoedas
Imagem da matéria: Importação de criptomoedas no Brasil dobra e chega a R$ 14 bilhões no 1º bimestre

Importação de criptomoedas no Brasil dobra e chega a R$ 14 bilhões no 1º bimestre

Dados do Banco Central mostram que a importação de criptoativos saltou de US$ 1,4 bilhão no primeiro bimestre de 2023, para US$ 2,9 bilhões no início deste ano