Imagem da matéria: Cade prorroga de novo inquérito que opõe bancos e corretoras de criptomoedas
Foto: Shutterstock

O Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) decidiu prorrogar mais uma vez o prazo para encerrar o inquérito administrativo que visa apurar se os bancos têm agido de modo anticoncorrencial com as empresas de criptomoedas.

Essa é a segunda vez que o Cade afirma que irá prorrogar o prazo para encerrar o inquérito e decidir se vai ou não instaurar um processo administrativo contra os bancos.

Publicidade

De acordo com o despacho emitido pelo órgão na última sexta-feira (06), os motivos que foram apresentados para essa nova prorrogação de prazo são os mesmos de anteriormente.

Assim como da outra vez, a autarquia precisará de um prazo maior para analisar com mais profundidade os documentos apresentados pelas partes e, se necessário, oficiar outras empresas.

Ao menos esse foi o motivo apresentado na Nota Técnica nº 18/2019 do Cade, pelo qual o órgão se baseou para pedir a primeira prorrogação feita em 15 de março desse ano.

Na nova decisão, a autarquia apenas afirmou que o prazo deveria ser estendido sob os termos da Nota Técnica nº 18/2019 do Cade.

Publicidade

“Assim, por permanecem presentes as circunstâncias do caso concreto apontadas na referida Nota Técnica e devido à continuidade da instrução, decido pela prorrogação do presente Inquérito Administrativo, com fundamento no art. 66, §9º da Lei 12.529, de 30 de novembro de 2011”.

Da outra vez a autarquia chegou a dizer que havia uma grande complexidade que cercava esse caso. A discussão, conforme consta na nota técnica, envolvia “catorze situações de encerramento unilateral de conta corrente e ao menos oito recusas de contratar (abrir conta corrente)”.

Resposta do Cade

A autarquia, por meio de sua assessoria de comunicação, emitiu uma nota para re portagem explicando que o órgão pode prorrogar mais de uma vez o inquérito, quando se deparar como caso de difícil elucidação.

“O inquérito administrativo é uma fase preliminar de investigação com o objetivo de apurar infrações à ordem econômica. De acordo com a Lei nº 12.529/2011, o inquérito administrativo tem prazo de duração de 180 dias, contado da data de sua instauração, podendo ser prorrogado por 60 dias “quando o fato for de difícil elucidação e o justificarem as circunstâncias do caso concreto”. Esta prorrogação pode ser realizada por mais de uma vez”.

Publicidade

O Cade ainda apontou que o processo administrativo somente poderá ser aberto depois que o inquérito administrativo, que está ainda em andamento for concluído.

“Somente após a conclusão do inquérito administrativo a Superintendência-Geral poderá abrir um processo administrativo, caso haja indícios suficientes de práticas lesivas ao mercado”.

Bancos x exchanges

A situação de lá para cá, parece ter se agravado. O caso mais recente de encerramento de conta corrente, colocou a empresa Coinbr numa situação ameaçadora para sua atividade empresarial.

Essa empresa que apenas tinha uma conta corrente na Caixa Econômica Federal (CEF) recebeu a notícia de que essa instituição financeira estaria rescindindo unilateralmente o contrato.

O caso foi levado ao Cade pela Associação Brasileira de Criptoativos e Blockchain (ABCB), a qual reiterou a voracidade das instituições bancárias em detrimento das empresas do setor de criptomoedas.

Publicidade

Rocelo Lopes, Ceo da Coinbr e Stratum, disse ao Portal do Bitcoin naquela época que a CEF se achou no direito de fechar mais de 25 contas no Brasil e que seu caso era mais um deles. Ele também havia afirmado que entraria com uma ação judicial contra o banco.

Para não ter sua atividade empresarial prejudicada, Rocelo resolveu então trabalhar com uma empresa de soluções de pagamento chamada Othos, a qual atua no setor de criptomoedas.


 Compre criptomoedas na 3xBit

Inovação e segurança. Troque suas criptomoedas na corretora que mais inova do Brasil. Cadastre-se e veja como é simples, acesse: https://3xbit.com.br

VOCÊ PODE GOSTAR
Celular com logo do Pix sob bandeira do Brasil

Pix: Um catalisador para o futuro das finanças descentralizadas no Brasil? | Opinião

Para o autor, o Pix, combinado com os princípios das finanças descentralizadas e conceitos de dinheiro programável, poderia abrir caminho para uma nova era de inovação financeira
Ilustração mostra mapa do Brasil com pontos ligados em blockchain

Banco Central, UFRJ, Polkadot e Ripple se unem para aprofundar pesquisas sobre interoperabilidade entre blockchains e DREX

A Federação Nacional de Associações dos Servidores do Banco Central (Fenasbac) antecipa…
Gustavo Scarpa em um campo de futebol usando o uniforme do Atlético Mineiro

Scarpa x Bigode: Pedras preciosas não valem como garantia em processo contra pirâmide cripto, diz PF

Um laudo das pedras de alexandrita apreendidas da suposta pirâmide Xland foi avaliado por um juiz, que determinou que elas não têm valor significativo
Pizza em uma mão moeda de bitcoin na outra

Bitcoin Pizza Day: Corretoras comemoram data histórica do Bitcoin com promoções; confira

Semana tem pizza grátis, cashback, joguinho e descontos em comemoração à primeira transação comercial com o Bitcoin realizada há 14 anos