Imagem da matéria: Budweiser irá lançar NFTs como acesso para o "budverso”
Foto: Shutterstock

A popular marca de cervejas Budweiser foi uma surpreendente recém-chegada ao setor de tokens não fungíveis (ou NFTs, na sigla em inglês) em agosto, quando adquiriu uma obra temática de sua marca da coleção Rocket Factory de Tom Sachs e a utilizou na página oficial da marca no Twitter.

Agora, a Budweiser está lançando seus próprios NFTs e serão um ingresso de entrada para as enormes ambições da empresa no setor cripto.

Publicidade

Nesta segunda-feira (29), a Budweiser irá lançar sua primeira série de NFTs chamada de “Budverse Cans: Heritage Edition”.

A série apresenta 1.936 colecionáveis individuais de NFTs, fazendo referência ao ano que a empresa começou a lançar sua cerveja em lata. Cada NFT terá elementos de fotos, anúncios e documentos de design clássicos que contam a história da marca.

Além disso, cada NFT apresentará vantagens ainda não anunciadas para detentores.

“Esses NFTs irão atuar como sua chave ao Budverso e pode desbloquear benefícios, recompensas e surpresas exclusivas”, anunciou a marca em seu servidor oficial do Discord, notando que tais benefícios são estritamente para detentores maiores de idade dos NFTs.

As latas Budverse Cans serão vendidas em dois níveis de raridade, em que Core Cans estarão disponíveis por US$ 499 cada e Gold Cans serão vendidas a US$ 999 cada. A empresa ainda não divulgou onde os NFTs serão vendidos ou em qual plataforma blockchain serão emitidos.

NFTs atuam como um recibo criptográfico para um item digital comprovadamente escasso e podem ser usados para coisas como ilustrações digitais, arquivos em vídeo, cards de negociação e mais. A indústria de NFTs explodiu em 2021, atingindo um volume negociado de US$ 10,67 bilhões apenas no terceiro trimestre.

Publicidade

NFTs são considerados como um alicerce fundamental do futuro metaverso, uma visão de uma internet evoluída em que pessoas interagem usando avatares em 3D em espaços compartilhados e imersivos.

O Facebook está apostando bastante no metaverso, por exemplo, tendo reformulado sua empresa-mãe como Meta. A Budweiser também têm ambições no metaverso, caso o nome “Budverse” seja uma indicação.

Budweiser, pertencente à Anheuser-Busch, também mudou seu nome no Twitter para “beer.eth”. A empresa adquiriu esse nome no Ethereum Name Service (ou ENS) em agosto, junto com o NFT Rocket Factory.

Um nome no ENS é utilizado para o redirecionamento a uma carteira Ethereum, assim como um nome de domínio ou URL direciona para um website.

Publicidade

No entanto, a Budweiser rapidamente descobriu a desvantagem de revelar um endereço público de carteira Ethereum ao mundo.

Poucas horas após publicar seu NFT Rocket Factory em agosto, sua carteira foi bombardeada de NFTs não solicitados e enviados por uma variedade de colecionadores, incluindo diversos colecionáveis com temática de pênis.

*Traduzido e editado por Daniela Pereira do Nascimento com autorização de Decrypt.co.

VOCÊ PODE GOSTAR
Imagem da matéria: Ex-conselheiro do Ethereum quer R$ 50 bilhões do governo dos EUA por ser preso injustamente

Ex-conselheiro do Ethereum quer R$ 50 bilhões do governo dos EUA por ser preso injustamente

Steven Nerayoff alega ter sido vítima de provas fabricadas em um suposto caso de extorsão de 10.000 ETH
Imagem da matéria: Ethena (ENA): Conheça a criptomoeda que acaba de estrear no mercado com alta de 45%

Ethena (ENA): Conheça a criptomoeda que acaba de estrear no mercado com alta de 45%

O token de governança ENA da Ethena Labs, junto do USDe, possuem uma história controversa, mas isso não impediu o apoio de investidores e traders
Paolo Ong, da SEC Filipinas

Termina prazo para saída da Binance das Filipinas e reguladores avisam: “Não há como sacar fundos após bloqueio”

“Não podemos endossar nenhum método de como retirar seu dinheiro agora que a ordem de bloqueio foi emitida”, disse o regulador filipino
Imagem da matéria: Como a Binance entrou em pé de guerra com o governo da Nigéria

Como a Binance entrou em pé de guerra com o governo da Nigéria

Nigéria acusa a Binance de facilitar corrupção e outros crimes e já até prendeu executivos da exchange no país