bruno e marrone,golpe,bitcoin,d9
Cantor Bruno, de Bruno e Marrone, em foto com acusado de estelionato no Brasil (Imagem: Reprodução/Instagram)

Após quase uma semana da polêmica gerada por duas fotos publicadas no Instagram pelo cantor Bruno, da dupla Bruno e Marrone, o artista se manifestou sobre sua estadia em Dubai, nos Emirados Árabes, e sobre as imagens onde ele aparece com Danilo Santana, foragido da Justiça brasileira acusado de um golpe de R$ 200 milhões com bitcoin.

‘Só agora estou processando as informações que estou recebendo”, disse Bruno em nota enviada pela assessoria do artista ao Portal do Bitcoin na noite de quinta-feira (22).

Publicidade

A assessoria também explicou por que Bruno foi para Dubai e sua relação com ‘Dubaiano’, como Danilo se apresenta no Instagram, e da dificuldade em contatar o cantor em meio à polêmica das fotos.

“Somente na manhã hoje conseguimos contato com Bruno e apuramos que a viagem para Dubai estava programada há algum tempo, para comemorar o aniversário do cantor, como ele sempre faz. Chegando lá, conheceu Danilo Santana, por intermédio de amigos em comum. Ressaltamos que Bruno, só teve conhecimento dos processos e acusações envolvendo Danilo Santana após sua postagem”, diz a nota.

Noticiado em primeira mão pelo Portal do Bitcoin na tarde do domingo (18), o caso repercutiu em vários jornais brasileiros no decorrer da semana. Na noite de quarta (21), por exemplo, o apresentador do Cidade Alerta, Luiz Bacci, pediu insistentemente no ar que o cantor apagasse as fotos, acreditando que tais publicações poderiam prejudicar o cantor.

“O fato é que onde o Bruno está a polícia também queria estar para prender esse homem”, disse Bacci na ocasião.

Publicidade

Bruno e Dubaiano no Instagram

No início da semana, duas fotos no Instagram — ainda disponívels — revelaram que Bruno esteve em companhia de um procurado da Justiça brasileira, o suposto golpista do bitcoin Danilo Vunjão Santana Gouveia, vulgo ‘Dubaiano’, que inclusive ganhou do Instagram uma conta verificada.

Danilo Santana é acusado de liderar a D9 Clube de Empreendedores, um golpe com bitcoin que prometia lucros de mais de 30% ao mês e que lesou clientes em R$ 200 milhões. Se pisar em solo brasileiro, ele pode ser preso, já que é considerado foragido pela Justiça após uma denúncia do Ministério Público da Bahia em 2018.

Em um vídeo no Cidade Alerta a defesa de Danilo disse que jamais existiu crime, mas que providências estão sendo tomadas para reparação de danos.

VOCÊ PODE GOSTAR
moeda do bitcoin com o logo da microstrategy ao fundo

MicroStrategy quer arrecadar US$ 500 milhões com notas conversíveis para comprar mais Bitcoin

A empresa de Michael Saylor já é a maior detentora corporativa de Bitcoin, com participações que excedem 1% da oferta circulante de BTC
Sede da Braiscompany em Campina Grande, Paraíba

TRF anula contrato e Braiscompany é condenada a pagar R$ 50 mil a cliente

O contrato de serviço de cessão temporária de criptoativos foi anulado pela 17ª Vara Cível de Brasília
Bitcoin em gráfico de alta com seta azul apontado para o alto

Bernstein eleva projeção e vê Bitcoin em US$ 200 mil até 2025

Para o longo prazo, os analistas preveem que cada Bitcoin pode valer US$ 500 mil até o final de 2029 e US$ 1 milhão até 2033
Moedas douradas de Bitcoin (BTC) e um gráfico de preço ao fundo

Preço do Bitcoin despenca com liquidações de US$ 245 milhões no mercado

As liquidações de criptomoedas dispararam na terça-feira (11), com o Bitcoin despencando 5% e indo a US$ 66 mil