Imagem da matéria: Bolsonaro acaba com monopólio da Casa da Moeda para impressão de dinheiro
Foto: Shutterstock

O presidente da República, Jair Bolsonaro, editou na terça-feira (05) Medida Provisória (MP) para retirar da Casa da Moeda do Brasil (CMB) o monopólio de fabricação de moedas, cédulas, cadernetas de passaportes e impressão de selos. A medida foi publicada nesta quarta-feira (06) no Diário Oficial da União.

De acordo com a Medida Provisória 902/19, que já está em vigor desde a sua publicação, a Casa da Moeda perderá esse monopólio a partir de 1º de janeiro de 2020.

Publicidade

A norma, no entanto, trouxe uma exceção. A Casa da Moeda terá exclusividade para a fabricação de cadernetas de passaporte e a impressão de selos postais até 31 de dezembro de 2023.

Durante esse tempo serão “preservados os contratos firmados por inexigibilidade de licitação e eventuais prorrogações firmadas antes do fim da exclusividade”. 

Fim do monopólio

Essa MP alterou a Lei nº 5.895/73 para retirar desta norma a exclusividade que a estatal tinha “para as atividades de fabricação de papel-moeda, de moeda metálica e de cadernetas de passaporte, de impressão de selos postais e fiscais federais”.

As atividades de controle fiscal também deixarão de ser um monopólio da CMB. A CMB, no entanto, será mantida até o dia 31 de dezembro de 2021 como a empresa responsável pelos serviços de integração, instalação e manutenção dos equipamentos contadores de produção usados pelos fabricantes de cigarros.

Publicidade

O mesmo ocorrerá com a impressão de selos fiscais de produção usados por determinadas empresas para fins de controle da arrecadação do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI).

Esses serviços, no entanto, estarão submetidos à supervisão e acompanhamento da Secretaria Especial da Receita Federal do Brasil do Ministério da Economia, que adotará também requisitos de segurança  e uso dos selos fiscais federais.

A medida provisória foi um dos sete atos normativos assinados pelo presidente da república, Jair Bolsonaro, durante a cerimônia dos 300 dias de governo que ocorreu na terça-feira (05).

Na visão do ministro-chefe da Secretaria Geral, Jorge Oliveira, o fim desse monopólio da Casa da Moeda pode representar redução de custos  para o governo. 

Publicidade

“Quando se permite que outras empresas possam fazer, há um aumento de oferta e redução de custos”, disse.

De Medida Provisória à lei

A Medida Provisória, de iniciativa do presidente da república, tem força de lei desde sua edição mas tem prazo curto de validade. Se elas não forem aprovadas pela Câmara dos Deputados e pelo Senado, sua validade será de apenas 120 dias.

Esse processo legislativo se inicia quando o presidente da república apresenta a MP. Essa, então, será analisada inicialmente por uma Comissão Mista, com senadores e deputados. Nessa fase poderão ser sugeridas emendas por esses parlamentares.

Após essa fase, essa mesma comissão aprova um parecer, o qual será analisado pelo plenário da Câmara e depois pelo Senado. 

Se após a aprovação da Comissão mista, a Câmara não decidir em 45 dias sobre a Medida Provisória, essa casa terá a pauta trancada e não poderá discutir qualquer outro tema até que se delibere sobre a MP. O mesmo ocorrerá no Senado. No entanto, essa casa já terá sua pauta trancada se a Câmara não houver deliberado dentro dos 45 dias.

A votação para aprovação da MP e sua conversão em lei, depende ainda de votação da maioria tanto da Câmara quanto do Senado.

Publicidade

Compre Bitcoin na Coinext 

Compre Bitcoin e outras criptomoedas na corretora mais segura do Brasil. Cadastre-se e veja como é simples, acesse: https://coinext.com.br

VOCÊ PODE GOSTAR
Fachada do MPDFT - Facebook

PM que atraía colegas de farda para pirâmide com criptomoedas é alvo do MP do DF

O policial militar e um grupo suspeito de pessoas e empresas teriam aplicado um golpe de R$ 4 milhões; alvos do MPDFT são do DF e GO
Sede da Braiscompany em Campina Grande, Paraíba

TRF anula contrato e Braiscompany é condenada a pagar R$ 50 mil a cliente

O contrato de serviço de cessão temporária de criptoativos foi anulado pela 17ª Vara Cível de Brasília
Fotos dos equipementos de mineração de criptomoedas operados com furto de eletricidade em Canela, RS

Polícia Civil do RS fecha fazenda de mineração de criptomoedas que lucrava R$ 400 mil por mês

Além de crime de furto de energia, casal preso responderá por porte ilegal de arma e lavagem de dinheiro
logo do bitcoin em cima de livro

Goiânia recebe lançamento do livro “101 Perguntas Sobre Bitcoin”

A obra da Editora Portal do Bitcoin escrita pelo engenheiro Breno Brito serve como um guia para compreensão da criptomoeda mais popular do mundo; veja como participar