Imagem da matéria: Bitcoin supera os US$ 40 mil após pazes com Elon Musk e adoção por El Salvador
Foto: Shutterstock

O bitcoin ultrapassou a barreira dos US$ 40 mil nesta segunda-feira (14) depois de 18 dias cotado abaixo dessa marca. Nas últimas 24 horas, o BTC valorizou 13,7% e agora é negociado a US$ 40.800, segundo os dados do CoinGecko.

Um dos fatores que ajudaram a criptomoeda líder do mercado a valorizar foi uma declaração de ontem (13) do Elon Musk. O empresário afirmou no Twitter que a Tesla, sua fabricante de carros elétricos, voltará a aceitar bitcoin como forma de pagamento quando 50% da mineração for feita com energia renovável.

Publicidade

A promessa do bilionário foi o empurrão que o ativo precisava para superar a resistência e dar continuidade à recuperação da semana passada, quando os preços voltaram a subir com o anúncio de que El Salvador tornaria o bitcoin uma moeda de curso legal.

O Elon Musk, vale lembrar, foi um dos causadores da fase de baixa do bitcoin que se intensificou no mês passado e fez a criptomoeda ter o seu pior maio da história.

A última vez que a BTC alcançou os US$ 40 mil foi durante um breve momento de alta no dia 27 de maio, mas logo os preços voltaram a cair e a cotação permaneceu abaixo dessa marca até então.

A valorização de hoje diminui um pouco a distância do bitcoin da sua máxima histórica de US$ 64.860. Para chegar lá novamente, o preço do BTC precisa crescer mais 37%.

Publicidade

Dificuldade de mineração 

A dificuldade de mineração do bitcoin sofreu um ajuste negativo de 5,3% no domingo (13) e caiu para 19,8 trilhões, o nível mais baixo do ano segundo os dados do BTC.com. No começo de janeiro, o BTC mostrava um nível parecido de dificuldade, resultado do último ajuste de 2020. No entanto, a dificuldade se tornou cada vez mais alta no decorrer do ano, atingindo um pico no início de maio.

Esse movimento foi interrompido depois que os mineradores precisaram remanejar suas atividades à medida que o governo chinês passou a reprimir à mineração no país.

A China, vale lembrar, é responsável por cerca de 65% de toda a mineração de bitcoin, mas essa dominância pode estar ameaçada. Na última semana, três províncias onde atuam um grande número de mineradores proibiram a atividade, o que fez cair o hashrate do BTC e, consequentemente, a dificuldade da mineração.

O ajuste da dificuldade é um mecanismo que garante que o ecossistema do bitcoin continue funcionando independente de quantos validadores dedicam poder computacional para a blockchain. Quando há uma queda no número de mineradores, também cai a dificuldade dos problemas matemáticos que devem ser resolvidos para adicionar um bloco à rede.

Publicidade

O próximo ajuste está previsto para acontecer no dia 28 de junho e, segundo uma estimativa do BTC.com com base no atual hashrate do bitcoin, a dificuldade deve cair mais 5,47% no futuro.

VOCÊ PODE GOSTAR
Imagem da matéria: Herdeiro paga R$ 2,2 milhões em Bitcoin para resgatar vítima de sequestro em Petrópolis, mas é enganado

Herdeiro paga R$ 2,2 milhões em Bitcoin para resgatar vítima de sequestro em Petrópolis, mas é enganado

Ao todo, vítima gastou quase R$ 5 milhões nos pagamentos: além do envio de Bitcoin, foram 40 depósitos bancários
Moedas de Bitcoin sobre mesa espelhada

Análise: o preço do Bitcoin está novamente sendo ditado pela política do Fed

“Análise dos últimos 40 dias revela uma maior alinhamento com as expectativas de taxa de juros para junho”, diz firma de análises CoinShares
CEO da Galaxy Digital, Mike Novogratz, em entrevista ao BNN Bloomberg no YouTube

O Bitcoin precisa de uma nova narrativa para voltar a subir, segundo CEO da Galaxy Digital

Mike Novogratz também acredita que o preço do BTC flutue entre US$ 55 mil e US$ 75 mil até que novos eventos ocorram
trader segura moeda de bitcoin em frente a grafico em computador

Bolsa de Chicago planeja lançar negociação de Bitcoin à vista, diz jornal

O objetivo é capitalizar a crescente demanda este ano entre os gestores de Wall Street para ganhar exposição ao setor de criptomoedas