CEO da corretora de criptomoedas Coinbase, Brian Armstrong, participa de palestra
(Reprodução)

Em uma série de publicações no Twitter, o CEO da Coinbase, Brian Armstrong, argumentou que o Bitcoin oferece uma alternativa à moeda de reserva, e isso pode ser a chave para expandir a civilização ocidental.

Armstrong disse que, como o país que controla a moeda de reserva, os EUA estão no caminho para inflar a oferta de moeda e aumentar os gastos com déficit, “até perder essa vantagem”.

Publicidade

Com o yuan chinês e o euro tendo “seus próprios problemas”, Armstrong sugeriu que “a suposição é de que os EUA podem continuar a inflacionar”, mas que os observadores não contavam com a “alternativa” apresentada pelas criptomoedas, que representam um “antídoto para a inflação”.

No entanto, Armstrong divergiu da tese maximalista do Bitcoin, argumentando que as criptomoedas e o dólar podem coexistir e que as criptomoedas servirão como “um controle e equilíbrio natural que complementará o dólar e será o melhor defensor dos interesses americanos de longo prazo (e da civilização ocidental de forma mais ampla)”.

Da mesma forma, Armstrong disse que a moeda fiduciária e as criptomoedas “coexistirão por um longo tempo”, com stablecoins lastreadas em dólares que deverão desempenhar “um papel importante na unificação desses mundos”.

Armstrong expandiu sua tese em vários comentários e respostas posteriores, observando que o Bitcoin “ampliaria os princípios fundamentais da liberdade econômica”, como direitos de propriedade e dinheiro sólido na civilização ocidental.

Publicidade

Em resposta a uma postagem que destacava o argumento de que uma moeda deflacionária poderia prejudicar o crescimento econômico porque impediria a concessão de empréstimos, Armstrong respondeu que isso significaria simplesmente “um patamar mais alto para a concessão de empréstimos”, uma vez que os empréstimos só ocorreriam quando as pessoas sentissem que o retorno esperado de um projeto seria melhor do que simplesmente manter a moeda.

Visão de futuro

Armstrong tem se envolvido em uma série de previsões para o futuro recentemente. Em uma entrevista recente com o Decrypt, ele sugeriu que “agentes” autônomos de AI poderiam fazer transações usando cripto no futuro e que os criptoativos poderiam ter um papel no estabelecimento da procedência das informações.

No curto prazo, ele também apontou a mídia social descentralizada, as tecnologias de pagamento e as stablecoins como tecnologias que poderiam “ajudar a empurrar as criptomoedas para a próxima onda de adoção”, juntamente com DeFi e NFTs.

Armstrong também expressou otimismo em relação à possível aprovação de um ETF de Bitcoin à vista, visto como um termômetro para a adoção institucional da criptomoeda. O entusiasmo com a perspectiva de aprovação de um ETF de Bitcoin à vista pela SEC impulsionou a criptomoeda para uma alta de 18 meses acima de US$ 42 mil nos últimos dias.

*Traduzido por Gustavo Martins com autorização do Decrypt.

You May Also Like
bitcoin, fogo, traders, shorts

Alta do Bitcoin faz traders que apostavam na queda perder R$ 1,3 bilhão em liquidações

Os contratos em aberto do Bitcoin já ultrapassaram US$ 25 bilhões, de acordo com dados do Coinglass
Imagem da matéria: Manhã Cripto: Rali continua e Bitcoin (BTC) atinge US$ 62 mil; Executivos da Binance são presos na Nigéria

Manhã Cripto: Rali continua e Bitcoin (BTC) atinge US$ 62 mil; Executivos da Binance são presos na Nigéria

A maior criptomoeda acumula ganhos de 45% neste ano, se aproximando cada vez mais da máxima histórica de US$ 69 mil
Moeda dourada de Bitcoin (BTC) próxima a uma seta que indica uma alta nos preços

Qual é o preço real que o Bitcoin deve atingir para superar seu recorde histórico de US$ 69 mil?

Um único Bitcoin não compra o que costumava comprar. Veja como o ativo se comporta quando comparado à inflação na economia dos EUA
coração preso a uma ratoeira

Golpe cripto que usa romance como isca aumentou 85 vezes desde 2020

A receita de “golpes do amor” dobrou de 2022 a 2023, mesmo com a queda do valor total enviado para os golpistas