Smartphone mostra logotipo da Binance à frente de tela de negociação
Shutterstock

A Binance, maior exchange de criptomoedas do mundo, anunciou nesta quinta-feira (31) que está encerrando gradualmente o suporte à sua stablecoin nativa, a BUSD.

“Como a Paxos interrompeu a emissão de novos BUSD, a Binance cessará gradualmente o suporte para produtos BUSD”, diz a declaração de hoje, que continua: “tenha certeza de que o BUSD será sempre garantido na proporção de 1:1 pelo dólar”.

Publicidade

De acordo com um comunicado de imprensa, a exchange de criptomoedas seguirá removendo gradativamente pares de negociação à vista e de margem BUSD.

A corretora também incentivou os usuários a converter seus atuais BUSD em outros ativos disponíveis na plataforma até fevereiro de 2024. “Os usuários são incentivados a converter seus ativos BUSD em outros ativos disponíveis na Binance antes de fevereiro de 2024. Os usuários podem negociar seus saldos BUSD por FDUSD sem taxas de negociação ou converter seus saldos BUSD para FDUSD na proporção de 1:1”, diz o comunicado, fazendo referência à nova stablecoin FUSD.

Leia também: CVM rejeita acordo com Binance em investigação sobre oferta de derivativos

No entanto, nem todos os produtos e serviços que usam a stablecoin nativa da Binance serão afetados. Os depósitos e retiradas de tokens BUSD através da Ethereum continuarão, assim como os depósitos na Polygon, BNB Chain, Avalanche e Tron.

Descontinuação progressiva do BUSD

A descontinuação progressiva do BUSD no amplo espectro de produtos e serviços que atualmente o suportam será feita em etapas, afirma a empresa.

Publicidade

A menos que a data seja deixada em aberto, os produtos Futures, Earn, Loans, Gift Cards e Pay irão descontinuar gradualmente o uso do BUSD a partir das primeiras semanas de setembro até dezembro.

O anúncio de hoje oferece sinais contraditórios em relação ao bem-estar geral da empresa.

A Binance enfrenta sérios problemas regulatórios em todo o mundo, incluindo múltiplas investigações por parte das autoridades em diversas jurisdições. Os Estados Unidos alegaram que a empresa violou as leis de valores mobiliários, a França está investigando uma possível “lavagem de dinheiro” e o Brasil acusou um executivo da Binance de administrar um esquema de pirâmide.

A empresa também encerrou sua parceria de cartão cripto junto com a Mastercard e Visa em países selecionados, encerrando o produto na América Latina e no Oriente Médio.

No entanto, a Binance continua a lançar novos produtos: esta semana, ela lançou um produto de pagamento cripto-bancário denominado Send Cash em nove países latino-americanos – embora o Brasil tenha ficado de fora após a descontinuidade do cartão da corretora e da chegada do serviço Binance Pay ao país.

*Traduzido por Rodrigo Tolotti com autorização do Decrypt.

VOCÊ PODE GOSTAR
Ilustração de uma lâmpada flamejando B de bitcoin

Parceria em tokenização entre Mercado Bitcoin e Bolt Energy democratiza acesso ao setor de energia

A parceria entre as empresas teve início em 2022
Bitcoin e grafico de mercado

Traders de Bitcoin miram US$ 74 mil já na próxima semana com nova onda de fluxo positivo para ETFs

Com ETFs registrando quatro dias seguidos de entradas e dados de inflação nos EUA abaixo do esperado, o Bitcoin já começou a retomar a alta e superou os US$ 66 mil
Imagem da matéria: Empresário "vende" Bitcoin durante discurso para formandos nos EUA e recebe onda de vaias

Empresário “vende” Bitcoin durante discurso para formandos nos EUA e recebe onda de vaias

O discurso de formatura da Ohio State University incluiu defesa do Bitcoin e cantorias que chocaram o público
Imagem da matéria: FTX prometeu devolver 118% dos fundos dos clientes; o que acontece agora?

FTX prometeu devolver 118% dos fundos dos clientes; o que acontece agora?

Segundo os balanços, a FTX deve cerca de US$ 11 bilhões, e conseguiu levantar entre US$ 14,5 e US$ 16,3 bilhões até agora