Imagem da matéria: Binance.US responde à SEC sobre misteriosas movimentações monetárias
CEO da Binance, CZ (Foto: Divulgação)

O CEO da Binance, Changpeng “CZ” Zhao, recebeu um empréstimo de US$ 250 milhões da Bam Management U.S. Holdings, apenas para transferi-lo para a Bam Trading, de acordo com documentos judiciais revelados esta semana.

Um dia depois que a SEC processou a Binance, a equipe jurídica da exchange apresentou respostas a perguntas do órgão regulador sobre manobras financeiras específicas, de acordo com documentos judiciais revelados no dia 6 de junho. 

Publicidade

Uma das perguntas da SEC dizia respeito a uma transferência de US$ 183 milhões da Paxos Trust Company para a Bam Trading — a empresa que faz negócios como Binance US — em janeiro.

A Paxos Trust é uma fintech que fez parceria com a Binance em 2019 para lançar a Binance USD (BUSD), uma stablecoin e o 28º maior ativo digital por capitalização de mercado. Mas parou de cunhar BUSD em fevereiro, após a SEC pressionar a empresa. 

Tanto a Bam Trading quanto a Bam Management operam a Binance US, uma plataforma cripto que é ostensivamente executada separadamente da maior exchange de criptomoedas do mundo. 

A equipe jurídica da Binance US afirmou nos documentos que a Bam Management US Holdings emitiu uma nota conversível de US$ 250 milhões para Zhao em dezembro. O documento continua e aponta que Zhao “financiou a compra desta nota com BUSD, dos quais US$ 183 milhões foram enviados à Paxos Trust Company, como emissora da BUSD, para converter a BUSD em USD”.

Publicidade

E que “estes fundos foram então transferidos para a Bam Trading em janeiro de 2023.”

Já faz algum tempo que os órgãos reguladores estão de olho na Binance US — que a Binance afirma ser administrada de forma totalmente independente.

O maior regulador de Wall Street alega que a empresa norte-americana não colaborou com a sua investigação. Enquanto isso, a Binance US disse repetidamente que as exigências da SEC não são razoáveis. 

O processo da SEC em junho alegou que a Binance e seu chefe praticavam um “flagrante desrespeito” às leis federais de valores mobiliários e “se enriqueceram com bilhões de dólares americanos, colocando os ativos dos investidores em risco significativo.”

E a SEC está particularmente interessada na Ceffu, a custodiante institucional de criptoativos e parceira da Binance. O regulador acredita que a Ceffu tem atuado como um canal entre a Binance US e a Binance Holdings e tem sido usada para transferir fundos de clientes dos EUA para fora dos EUA.

Publicidade

Zhao afirmou hoje no Twitter que “a Binance US não usa e nunca usou a Ceffu ou a Binance Custody.”

Mas outros documentos da SEC revelados hoje mostram que a exchange norte-americana “licenciou software de custódia e serviços de suporte da Ceffu” — aparentemente contradizendo a alegação de Zhao. 

As misteriosas movimentações monetárias não são novas: a Binance US transferiu US$ 400 milhões de sua plataforma para a Merit Peak Ltd., uma empresa de negociações gerida pelo CEO da Binance, Changpeng Zhao, segundo relatado pela Reuters em fevereiro, citando registros bancários e mensagens internas da empresa. 

A SEC disse no ano passado que estava investigando a empresa.

*Traduzido por Gustavo Martins com autorização do Decrypt.

VOCÊ PODE GOSTAR
Antônio Neto Ais e Fabrícia Campos, casal que lidera a Braiscompany (Foto: Reprodução/Instagram)

MPF faz nova denúncia contra donos da Braiscompany e doleiro por lavagem de dinheiro

Antônio Neto e Fabrícia Farias realizaram operações financeiras de grande porte com características de lavagem de dinheiro em pleno colapso da pirâmide
Imagem da matéria: Descentralização é o futuro, mas vem com custos mais altos, afirma especialista

Descentralização é o futuro, mas vem com custos mais altos, afirma especialista

O executivo Leo Kahn destacou no Ethereum Rio 2024 que apesar dos custos, indústria cripto deve incentivar ao máximo a descentralização
Imagem da matéria: Ex-diretor da FTX deve pegar até 7 anos de prisão, pedem promotores dos EUA

Ex-diretor da FTX deve pegar até 7 anos de prisão, pedem promotores dos EUA

Ryan Salame foi um dos executivos da FTX que coordenaram a doação de milhões para campanhas políticas usando dinheiro dos clientes
criptomoedas, criptoativos, regulação, Brasil, projeto de lei

Banco Central anuncia próximos passos da regulamentação do mercado cripto no Brasil

Sem definir datas, BC diz que irá fazer mais uma consulta pública no segundo semestre e um planejamento interno sobre stablecoins