Smartphone mostra logotipo da Binance à frente de tela de negociação
Shutterstock

A euforia no mercado de critptomoedas parece ter voltado. Não só os preços do Bitcoin (BTC) e outros ativos estão em forte alta, mas o próprio volume de negociações no setor também foi reanimado. Mesmo assim, a maior exchange do mundo, a Binance, não tem conseguido surfar o bom momento como seus concorrentes.

De acordo com dados do The Block, a média móvel de sete dias dos volumes à vista nas maiores exchanges de criptomoedas superou US$ 24 bilhões em 26 de outubro, o maior patamar desde o fim de março.

Publicidade

Recentemente, o BTC chegou a superar o patamar de US$ 35 mil em meio a euforia dos investidores com a possibilidade de que em breve a Comissão de Valores Mobiliários dos EUA (SEC) aprove o primeiro ETF de Bitcoin à vista, o que deve destravar investimento institucional no mercado e puxar os preços para cima, segundo especialistas.

Porém, essa euforia toda não está se refletindo nos números da Binance. A participação de mercado da corretora entre aquelas que não dão suporte ao dólar diminuiu de 74% em dezembro de 2022 para 50% este mês, apontam dados do The Block.

Não bastasse perder força no mercado de negociação à vista, no segmento de contratos futuros a companhia também está sofrendo. Dados do Coinglass mostram que a Bolsa de Chicago (CME) agora é a segunda na lista das maiores plataformas de negociação de futuros de Bitcoin.

Leia também: Negociação de futuros de Bitcoin bate recorde na Bolsa de Chicago

Com uma posição em aberto de US$ 3,54 bilhões, a CME saltou da quarta para a segunda posição no ranking nos últimos dias, ficando apenas 8% atrás da Binance, que tem US$ 3,83 bilhões. Os contratos em aberto referem-se ao valor em dólares bloqueado no número de contratos ativos ou em aberto.

Publicidade

A atual situação da Binance

“É difícil para os institucionais comprometerem recursos devido ao risco vindo das notícias”, comentou um trader ao The Block para tentar explicar a perda de espaço da Binance.

Essa visão é corroborada pelo cenário visto no mercado de futuros, já que a CME não só é regulada como é a maior bolsa de derivativos do mundo, dando muito mais segurança aos seus investidores.

A Binance vê suas concorrentes ganhando espaço ao mesmo tempo que sofre com investigações e ações de reguladores ao redor do mundo, incluindo nos Estados Unidos e no Brasil.

Os problemas da maior exchange do mundo ficam ainda mais evidentes diante da recente saída de 16 grandes executivos da empresa, incluindo o chefe da regional dos Reino Unido, Jonathan Farnell, e do líder da Binance.US, Brian Shroder.

VOCÊ PODE GOSTAR
Pessoa segura smartphone com logo BUSD com as mãos apoiado em uma mesa

SEC encerra investigação sobre stablecoin da Binance sem ações de penalidade

A SEC alegou que a stablecoin BUSD era um valor mobiliário em um processo movido contra a Binance no ano passado
Mineração

Queda do Bitcoin faz com que apenas 6 máquinas de mineração continuem lucrativas

Com um custo de US$ 0.08 kWh, apenas as máquinas ASIC com eficiência de 23 W/T permanecem minerando Bitcoin com lucro
Imagem da matéria: Manhã Cripto: Bitcoin sobe acima de US$ 58 mil à medida que ETFs voltam a atrair investidores

Manhã Cripto: Bitcoin sobe acima de US$ 58 mil à medida que ETFs voltam a atrair investidores

Os ETFs de Bitcoin à vista negociados nos EUA captaram US$ 654,3 milhões entre os dias 5 e 9 de julho
moeda de bitcoin ao lado de celular com logo da mt gox

Despejo da Mt. Gox ameaça muito mais o Bitcoin Cash do que o Bitcoin, diz analista

Ao todo, os clientes da Mt. Gox terão para receber US$ 9,5 bilhões em Bitcoin e US$ 73 milhões em Bitcoin Cash