Celular com logo da Binance na frente de um fundo amarelo com logo da Binance.jpg
CPI afirma que Binance sonega quase meio bilhão de reais por ano (Foto: Shutterstock)

A Binance anunciou ao seus clientes por meio de e-mail no sábado (21) que após o dia 1º de fevereiro não irá mais poder usar o sistema SWIFT em transferências bancárias envolvendo dólares americanos para comprar ou vender criptomoedas em transações menores do que US$ 100 mil.

A rede SWIFT surgiu na década de 70 e padronizou os números e agências dos bancos ao redor do mundo. As corretoras de criptomoedas utilizam a rede para permitir que clientes façam remessas internacionais com moeda estrangeira.

Publicidade

O problema da Binance parece ser com a empresa parceira que gerencia essas remessas. A empresa não diz nada nesse sentido no anúncio, mas afirma que está procurando um novo parceiro.

“O parceiro bancário que atende sua conta informou que será mais capaz de processar transações com dólares americanos por meio SWIFT caso sejam em valores menores do que US$ 100 mil. Isso está acontecendo com todos os clientes de cripto deles. Por favor, esteja ciente de que, até acharmos uma solução alternativa, você pode não conseguir usar sua conta bancária para comprar ou vender critpomeodas com dólares americanos por meio do SWIFT em valores menores que US$ 100 mil depois do dia 1º de Fevereiro”, afirma a Binance no e-mail.

Segundo reportagem da Bloomberg, o parceiro da Binance que está limitando o uso do SWIFT é o Signature Bank, que com a medida está colocando em curso uma política de diminuir sua exposição ao mercado de ativos digitais.

Em seu comunicado, a Binance afirma que os clientes poderão continuar comprando criptomoedas por meio de cartões de dcrédito e débito, transferências usando outras moedas fiat (euro, por exemplo) e no sistema p2p.

Publicidade

Leia abaixo (em inglês) o e-mail enviado aos clientes que podem ser afetados:

Clientes brasileiros passaram pelo corte em 2021

Em novembro de 2021, a Binance anunciou que iria parar de oferecer para os clientes brasileiros operações pelo sistema SWIFT. Além do Brasil, usuários de outros 81 países também perderam acesso ao canal de saque e depósito bancário em dólar americano.

Até então, os clientes podiam sacar e depositar em dólar na Binance fazendo remessas de suas contas bancárias locais através da rede SWIFT.

No caso dos depósitos, o usuário transferia o valor desejado para a conta bancária da Binance e em seguida, a exchange creditava o valor em BUSD, na proporção de 1:1, na conta do usuário na corretora. No caso do saque, o valor em dólar era creditado na conta bancária do usuário.

  • Já pensou em inserir o seu negócio na nova economia digital? Se você tem um projeto, você pode tokenizar. Clique aqui, inscreva-se no programa Tokenize Sua Ideia e entre para o universo da Web 3.0!
VOCÊ PODE GOSTAR
Imagem da matéria: Gnosis (GNO) dispara 20% após lançamento de plano para reviver o token

Gnosis (GNO) dispara 20% após lançamento de plano para reviver o token

Um programa de crescimento com aporte milionário de fundo cripto está sendo votado neste momento pelos usuários do GNO
Imagem da matéria: Minerador sortudo de Bitcoin resolve bloco sozinho e fatura R$ 1 milhão

Minerador sortudo de Bitcoin resolve bloco sozinho e fatura R$ 1 milhão

Minerador solo completou o bloco 843.231 do Bitcoin usando software da CKpool
Imagem da matéria: Volume de negociação de 'Notcoin' ultrapassa US$ 1 bilhão no maior airdrop de jogos de 2024

Volume de negociação de ‘Notcoin’ ultrapassa US$ 1 bilhão no maior airdrop de jogos de 2024

Jogo Notcoin, baseado no Telegram, lançou mais de 80 bilhões de tokens para cerca de 35 milhões de jogadores em um airdrop
Imagem da matéria: FIT21: Conheça o projeto de lei que promete transformar a regulação das criptomoedas nos EUA

FIT21: Conheça o projeto de lei que promete transformar a regulação das criptomoedas nos EUA

Aprovado na Câmara esta semana, o projeto FIT21 visa regular o setor de criptomoedas dando segurança para consumidores e estimulando empreendedores