Imagem da matéria: Binance interrompe operações em Ontário, a maior província do Canadá
Foto: Shutterstock

Binance, a maior exchange de criptomoedas em volume do mundo, anunciou na sexta-feira (25) que deixará de oferecer seus serviços à população de Ontário, a província mais populosa do Canadá onde estão localizadas grandes cidades como Toronto e Ottawa.

De acordo com uma nota oficial, a Binance explica que seus Termos de Uso foram atualizados para enquadrar a região do Canadá como uma jurisdição restrita a partir da madrugada deste sábado (26).

Publicidade

“Lamentavelmente, a Binance não pode mais continuar atendendo aos usuários baseados em Ontário. Os clientes da região são aconselhados a tomar medidas imediatas para encerrar todas as posições ativas até 31 de dezembro de 2021”, diz a nota.

A exchange não detalhou os motivos da sua saída, se limitando a dizer que a decisão “faz parte de nossos esforços contínuos de compliance”. Um dos fatores que podem estar por trás da fuga da Binance é a postura mais firme que os reguladores de Ontário estão adotando com as empresas de criptomoedas que atuam na região.

A Binance frequentemente está na mira das autoridades ao redor do mundo. Ontem (25) foi a vez do governo japonês emitir um aviso afirmando que a exchange continua a operar no país sem registro formal. O principal regulador financeiro do país já havia emitido a mesma alerta contra a corretora em 2018.

Ontário de olho nas exchanges

Nos últimos meses, os reguladores de Ontário redobraram a fiscalização às corretoras que atuam no território. Na segunda-feira (21), a Bybit, uma das cinco maiores exchanges do mundo, foi acusada de violar as leis de valores mobiliários de Ontário.

Publicidade

De acordo com a denúncia formal, a plataforma descumpriu as leis regionais ao oferecer negociação de derivativos sem ter a devida licença para isso. A Bybit foi a terceira exchange de grande porte a receber essa alerta do governo, junto com a KuCoin e Poloniex. 

Em março, a Comissão de Valores Mobiliários de Ontário (OSC) avisou que todas as corretoras de criptomoedas deveriam realizar o registro no governo para não enfrentar uma potencial “ação regulatória”. 

As plataformas tinham até abril para regular os seus serviços. A Binance provavelmente foi uma dessas exchanges alertadas e, para contornar o risco de sofrer algum tipo de punição, optou por deixar a região.

VOCÊ PODE GOSTAR
Costas de um policial de Hong Kong

Empresário e filho se entregam à polícia após sequestrarem investidora de criptomoedas

A dupla teria tentado acertar as contas com a mulher de 55 anos que teria intermediado um investimento de cerca de R$ 10 milhões em criptomoedas
Arte digital mostra mãos operando um celular que projeta moedas

Como declarar tokens de utilidade no Imposto de Renda 2024?

Entenda como declarar os utility tokens, ativos que dão acesso a serviços específicos
Imagem da matéria: El Salvador já minerou R$ 154 milhões em Bitcoin usando energia de vulcão

El Salvador já minerou R$ 154 milhões em Bitcoin usando energia de vulcão

A mineração de Bitcoin é feita com energia do vulcão Tecapa, usando 300 processadores voltados para essa atividade
Senado, Congresso, Câmara dos Deputados, Brasília, Parlamento

Projeto de Lei quer proibir uso de criptomoedas fruto de crimes durante processo penal

Deputado autor do PL afirma que em muitos casos, mesmo durante a investigação, acusados continuam a movimentar recursos do crime